Sem tréguas

Abril não foi nada bom para em termos de controle da violência

Roberto Marinho

Quem aproveitar o final de semana para andar, meio que à toa, por alguns lugares de Volta Redonda vai achar que a Covid-19 já era. Virou coisa de um passado recente. Motivos para pensar assim não faltam: os bares e restaurantes estão cheios; as pessoas voltaram a ocupar as ruas; e os jovens só saem das praças quando o sol começa a raiar. Os criminosos estão fazendo a mesma coisa.
É que os números da violência na cidade do aço cresceram no mês de abril em comparação com meses anteriores e ainda com o mesmo período do ano passado. O número de homicídios dolosos, por exemplo, praticamente dobrou: foram 4 assassinatos em abril/20 contra 7 em abril/21. A média mensal de mortes se manteve a mesma do ano passado, de seis vítimas/mês.
Confira abaixo outros índices da violência em Volta Redonda.

Roubos de veículos: mantiveram o mesmo patamar, com 14 ocorrências de janeiro a abril de 2021, número idêntico ao de 2020. Na comparação somente com o mês de abril, foram três registros este ano, contra um no ano passado.

Roubo de cargas: seis ocorrências registradas este ano, e nenhuma no ano passado. Só em abril de 2021 foram três registros.

Roubos a estabelecimentos comerciais: embora tenham diminuído na comparação entre 2020 (28 casos até abril) e 2021 (22 casos em igual período), eles dispararam no último mês. Cinco casos foram registrados em abril de 21, contra uma única ocorrência em abril de 20.

Roubos a residência: dobraram na comparação entre os dois quadrimestres, com dois casos no ano passado, contra quatro registrados este ano.

Roubos de rua: também tiveram um ligeiro aumento no total – 100 casos no primeiro quadrimestre do ano passado e 107 este ano -, mas com uma aceleração em abril de 2021, com 24 casos, contra os 19 ocorridos no ano passado, o que representa um aumento de aproximadamente 25%.

Estelionato: 401 casos no primeiro quadrimestre de 2021, contra 228 em 2020, aumento de 79,5%. Na comparação do mês de abril, foram 99 casos em 2021, contra 52 registros em 2020, um crescimento de 90,4%.

Estupro: no ano passado, foram 19 ocorrências, enquanto em 2021 foram 23, um aumento de praticamente 25%. Em abril deste ano foram quatro registros, contra os cinco casos ocorridos no mesmo mês do ano passado.

Ameaça: em 2020 foram registradas 286 ocorrências. Em 2021, foram 324 casos, um aumento de 13,3%. No mês de abril, foram 41 casos em 2020, contra 69 em 2021, crescimento de 68,3%.

Furto de veículos: foram realizados 102 registros em 2021, contra 79 em 2020, um aumento de aproximadamente 29%.

Furto de celular: em 2021 foram 44 ocorrências; e no ano passado, 31, o que representa um aumento de cerca de 40% entre os dois períodos.

Deixe uma resposta