‘Vacina pouca, no meu braço primeiro’

Hospitais públicos de Volta Redonda já estão vacinando todos os seus funcionário

Vinicius de Oliveira

No início da semana, a prefeitura de Volta Redonda anunciou que o município tinha ultrapassado a marca de duas mil pessoas vacinadas. Tudo conforme o figurino. “Até o momento, 2.159 pessoas que fazem parte do grupo prioritário definido pelo Ministério da Saúde já receberam doses da vacina. Nesta primeira etapa, estão sendo vacinados principalmente pessoas institucionalizadas (que residem em asilos – com 60 anos de idade ou mais); pessoas institucionalizadas com deficiência; cuidadores; e trabalhadores da saúde que ficam na linha de frente contra o vírus”, divulgou a secretaria de Comunicação.
Até aí, nenhum problema. Contudo, na tarde de quinta, 28, cerca de uma dezena de funcionários do Hospital São João Batista desandaram a postar fotos em suas redes sociais com o braço à mostra, sendo vacinados. O fato não deveria causar surpresa, embora chame a atenção, afinal, o país passa atualmente por um processo de vacinação contra a Covid-19. E o que era para ser motivo de comemoração quase virou caso de polícia.
Tudo porque esses funcionários teoricamente não atuam na linha de frente do combate à pandemia. Seriam profissionais da área administrativa da unidade, como motorista, recepcionista, assistente social, secretária e até o responsável pelo almoxarifado. Além disso, conforme apurou o jornal, ninguém dos postos de saúde, como os próprios médicos que atendem a população, teria sido vacinado, porque a quantidade de imunizantes não seria suficiente para todos.
Em tese, o hospital – que está sob intervenção judicial –, estaria ferindo o Plano Nacional de Imunização (PNI). “Mandei mensagem para os grupos de trabalhadores dos postinhos e foram unânimes ao dizer que ninguém foi vacinado até agora. Tá todo mundo bolado. Quem garante que as pessoas que nos procuram não estão com a Covid? Por que priorizar apenas as emergências?”, desabafou um funcionário de um posto de saúde, que pediu para não ser identificado. Ao serem questionados pelo aQui, os interventores do Hospital São João Batista e até o departamento jurídico da unidade demonstraram tranquilidade. Em nota enviada ao jornal na noite de quinta, 28, se eximiram de qualquer responsabilidade e explicaram que o processo de vacinação dentro da unidade está sob a responsabilidade da própria prefeitura de Volta Redonda. “De acordo com a gerente de enfermagem indicada pela prefeitura de Volta Redonda para integrar a comissão de transição da intervenção, Glauciléia Rodrigues, as vacinas foram disponibilizadas a todos os funcionários do Hospital São João Batista”, ressaltaram.
A nota afirma ainda que a prefeitura sabe, inclusive, dos detalhes do processo de vacinação que acontece dentro do HSJB. “Uma listagem foi desenvolvida com nome, CPF, setor e espaço para a assinatura desses profissionais vacinados. Todo o protocolo seguiu as orientações repassadas pelo setor epidemiológico da secretaria municipal de Saúde”, finalizaram.
A prefeitura, também através de nota, explicou que não disponibiliza o quantitativo de imunizantes. “O protocolo adotado em Volta Redonda determinou que a direção de cada hospital (público ou privado) remetesse à secretaria Municipal de Saúde uma lista com nome e lotação de cada pessoa apta a receber vacina. Ou seja, que a pessoa indicada na lista esteja dentro do que preconiza o Ministério da Saúde no Plano Nacional de Vacinação. Assim, a responsabilidade imediata pelos nomes passados é da direção de cada hospital. A secretaria Municipal de Saúde informa ainda que não recebeu nenhuma denúncia formal sobre irregularidades na fila da vacina”, diz a nota da prefeitura, salientando que “está enviando ao Ministério Público do Estado todos os nomes constantes nas listas de vacinados já colhidas até agora”.
Para o representante do Fórum Municipal de Saúde de Volta Redonda, Alexandre Campos Inacio da Fonseca, o município e interventores do Hospital São João Batista estão errados. “Todos os profissionais de alguns hospitais estão sendo vacinados, enquanto outros hospitais não têm prazo para serem. Pior, os postos de saúde ainda não receberam. É de extrema importância que se tenha a transparência desse plano municipal de imunização. A prefeitura tem a deliberação pra vacinar quem quiser dentro daquele monte de categoria, mas ela tem que deixar claro qual é o plano para que a população possa julgar”, ponderou Alexandre.
Ainda de acordo com o integrante do Fórum, priorizar todos os funcionários de hospitais públicos e deixar de fora os particulares, por exemplo, é injusto, já que foram eles, em muitos casos, que compensaram as faltas de leito no SUS. “Durante a pandemia, por exemplo, quase 60% das internações estavam sendo feitas por hospitais particulares. É grave eles ficarem de fora por questões políticas, e o Neto, provavelmente, quer ganhar o apoio dessa galera. A prefeitura tem a deliberação para fazer o plano, mas duvido que no plano tem algo assim ‘vacina todo mundo dos hospitais primeiro’, até porque não vai ter vacina para todos os funcionários de hospitais”, argumentou.
Vale lembrar que o HSJB não foi o único hospital público a vacinar seus funcionários. Uma fonte do jornal garantiu que todos os profissionais do Hospital do Retiro, independentemente da função que exercem, começaram a ser vacinados a partir de ontem, sexta, 29. “A coordenadora de epidemiologia passou que era pra vacinar todos que trabalham nos hospitais: recepção, técnicos de raio-x, motorista de ambulância, pessoal da limpeza, médicos que ainda não vacinaram, anestesista, médicos do ambulatório”, detalhou a fonte.
Outra fonte, ligada à coordenação de epidemiologia do município, confirmou que os funcionários dos postos de saúde não foram vacinados. Mas serão. “Somente quem é referência para Covid. As Unidades de Emergência e Hospitais, todos já estão sendo vacinados, mas os da atenção básica ainda não”, disse para, logo em seguida, tranquilizar os funcionários. “Toda a rede de saúde será vacinada. Já passamos o quantitativo e a lista de funcionários (dos postinhos). Assim que tiver a confirmação, serão informados”, completou.

Deixe uma resposta