‘Tá pior que antes’

Rodrigo anuncia que vai criar uma estrutura nova para enfrentar a Covid-19 na UPA-Centro

Na noite de quarta, 24, ao lado do presidente da Câmara, vereador Luiz Furlani, o prefeito Rodrigo Drable atualizou os dados da Covid-19 em Barra Mansa. Que não são bons. Das 47.131 pessoas testadas até aquele dia, os exames de 11.001 tinham dado positivo. “O número de óbitos, infelizmente, chegou a 310 pessoas”, acrescentou. “Estamos preocupados com a ocupação hospitalar. Temos 81% dos leitos de CTI ocupados, sendo que 41% dos leitos clínicos e 29% dos respiradores estão sendo utilizados. Isso nunca aconteceu em toda a pandemia”, pontuou.
Na live, Drable anunciou que a procura pelo atendimento “aumentou vertiginosamente nas três unidades que atendem a Covid de portas abertas” – na UPA-Centro, no Centro de Triagem e Tratamento da Covid na região leste, e ainda na Santa Casa. “Nós estamos nos deparando com uma situação delicada, que é sazonal”, definiu, anunciando a criação de uma nova estrutura ao lado da UPA-Centro, com tendas com ar condicionado e consultórios. “Vamos montar uma estrutura que segrega totalmente o acesso à UPA daqueles que possam ou não estar com Covid, mas que se sentem fragilizados e com a suspeita de estarem com a doença”, justificou.
Outra novidade é a extensão do horário de vacinação, motivada pelo aumento no fornecimento de vacinas e, principalmente, pelo público-alvo ser composto por mais pessoas. “A previsão é de que os próximos grupos sejam compostos por mais indivíduos, assim nós teremos uma extensão do horário da vacinação”, explicou. “Será das 16 às 22 horas”, informou, aproveitando para revelar quantas doses já foram aplicadas. “Foram 16.949 doses, das quais 13.248 da primeira dose e 3.701 da segunda dose”.
Sobre o ‘feriadão’, que começou ontem, sexta, 26, e vai até o dia 4 de abril, Drable anunciou que o alvoroço já não fazia mais sentido. “Não é uma questão de adesão, é uma Lei estadual, aprovada pela Alerj. É feriado e vale para todas as cidades”, disse, acentuando que o comércio poderia abrir, desde que os comerciantes pagassem hora extra aos funcionários. “Foi a forma que o Estado viu para diminuir o número de lojas abertas e a circulação de pessoas!”, avaliou.

Drable explicou que o ‘Feriadão de Páscoa’ não se aplicaria às unidades de saúde, segurança pública, assistência social e serviços funerários. Quanto ao horário, deixou claro que as lojas poderiam funcionar das 10 às 19 horas de segunda a sexta, e das 9 às 13 horas, aos sábados. Detalhe: ninguém poderá entrar nas lojas sem estar acompanhado por um vendedor.
“Em muitas lojas, as pessoas entram pra ver mercadoria, não entram pra comprar. Então, enchem os corredores, se aglomeram, se aproximam uma das outras e não compram nada. As lojas vão ter que ter um alguém na porta que só vai deixar entrar cliente acompanhado de vendedor”, explicou. “A pessoa vai chegar na porta da loja, vai limpar as mãos com álcool, vai fazer o asseio dos pés no tapete de cloro e vai entrar acompanhada de um vendedor”, reiterou.
Rodrigo foi além ao abordar o uso de máscaras nas lojas. “É muito comum vermos pessoas sem máscaras nas lojas. Sem clientes, os funcionários ficam conversando sem máscara. Isso vai ser cobrado e vai ser penalizada a loja que o funcionário não estiver de máscara”, prometeu.
Bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres, podem funcionar, novidade, de segunda a sábado, das 11 às 14 horas – horário de almoço. E depois só das 18 às 21 horas. “Às 21 horas tem que estar tudo fechado”, disparou o prefeito, lembrando que depois desse horário só desde que seja para entrega de pedidos ou a retirada do cliente no estabelecimento, mas sem consumo no local.
Tem mais. Supermercados, farmácias, açougue, padaria, material de construção e oficinas poderão funcionar, respeitando as medidas sanitárias. Quem tiver espaço de alimentação, deverá seguir as regras dos bares e restaurantes.
Pelo decreto em vigor, ficam proibidas as atividades em praças, campos de futebol, áreas de lazer e clubes recreativos, além da prática de esportes coletivos. Está proibido ainda a permanência em salas de espera de clínicas médicas, consultórios e prestadores de serviços. As academias só podem funcionar com até 50% da capacidade, entre outras medidas de precaução. Por fim, as atividades escolares particulares e públicas ficarão suspensas durante o feriadão da Páscoa.
Drable anunciou ainda que, apesar de discordar da medida, vai acatar o decreto do governador exigindo o fechamento das escolas e creches. “Se alguém me perguntar se eu acho isso bom, eu vou dizer que não e eu vou explicar o porquê. Se as crianças ficarem em casa, é ótimo. Tem o distanciamento e isso é importantíssimo quando nós estamos estourando aí a capacidade hospitalar. Mas se as crianças forem pra rua, é horrível. Então os pais têm que ter o comprometimento de manter seus filhos em casa. Não adianta ficar suspensa a aula e as crianças irem pra rua para o convívio dos colegas e esse vírus está circulando. Então, não pode ter convívio na rua”, ponderou.
Por fim, o prefeito de Barra Mansa anunciou que vai aumentar a capacidade de leitos de UTI. “Vamos abrir mais 10 leitos”, revelou, sem mostrar, contudo, estar muito feliz com a própria notícia “Os números da Covid estão crescendo muito. Hoje eu vi várias pessoas nas ruas sem máscara, conversando próximas umas das outras. As pessoas sentadas em praças olhando pro tempo sem máscara, como se tivéssemos em um momento tranquilo… Não estamos!”, disparou.
“É esse sentimento que eu não estou entendendo. Como não entrou no coração de cada um? A gente tá num momento crítico, extremado, onde ouvimos as notícias das mortes de amigos nossos. Nós ainda não chegamos na situação de outros lugares, mas hoje a gente tá muito pior do que estávamos há um mês atrás!”, pontuou.

Deixe um comentário