“Sou recebido com carinho”

Rodrigo Drable confirma ser pré-candidato a prefeito e diz que população não mudou modo de tratá-lo nas ruas

O impacto de ter sido afastado por uma decisão da Justiça, revogada posteriormente por liminar impetrada no Supremo Tribunal Federal, já foi digerido pelo prefeito Rodrigo Drable (DEM), que voltou a circular pelas ruas de Barra Mansa assim que reassumiu o cargo. “Em todos os lugares aonde vou, sou recebido com carinho”, contou Rodrigo em entrevista exclusiva ao aQui. “E (ouço) muitas declarações de indignação com os pilantras”, disparou, sem citar nomes, mas, referindo-se, certamente, aos seus adversários políticos.

Provocado a dizer se manterá ou não sua pré-candidatura à eleição de 15 de novembro, Rodrigo não deixou por menos. “Mais do que nunca”, afirmou categoricamente, garantindo que Barra Mansa continua enfrentando problemas com a Covid-19 e, lógico, com a queda das receitas. “Não podemos deixar os aventureiros destruírem a cidade”, justificou, negando-se a citar os nomes dos que se enquadrariam na classificação.

Veja a seguir a íntegra da entrevista exclusiva de Rodrigo Drable em que ele confirma que vai buscar sua reeleição:

aQui: Prefeito, o senhor ainda está disposto a sair como pré-candidato a prefeito e buscar sua reeleição?  

Rodrigo Drable: Mais do que nunca! A cidade está enfrentando uma série de dificuldades, seja no combate ao vírus, seja na reestruturação financeira ou na recuperação da infraestrutura. Não é fácil, mas estamos avançando à base de muito trabalho. Não dá para deixar que essa turma de aventureiros que querem o Poder a qualquer custo destrua a oportunidade de vermos Barra Mansa crescer novamente.

 

aQui: O senhor acha que os últimos acontecimentos políticos que levaram a Justiça a afastá-lo do cargo por 16 dias vão afetar seus objetivos?

Rodrigo: Acredito na Justiça. O Presidente do Supremo Tribunal Federal deixou claro que não há fundamentos e pairam severas dúvidas quanto à legalidade e veracidade da denúncia. No final das contas vai ficar provada a trambicagem que fizeram, e o envolvimento de dois candidatos a prefeito nisso.

 

aQui: O senhor acha que a estratégia da oposição, de denunciá-lo por supostamente tentar comprar o voto de vereadores para aprovarem suas contas na Câmara, foi um desespero de causa?

Rodrigo: Claro que foi. O sujeito quer ser prefeito, aí ele faz uma pesquisa, que custa uma grana alta e, se na pesquisa dele eu apareço com 37 % e ele com 2%, ele acaba tendo duas opções: pendura a chuteira ou faz o jogo sujo que todo mundo conhece.

 

 aQui:  Desde que o senhor reassumiu o posto, o que o senhor tem sentido nas ruas? Já foi agredido, mesmo que verbalmente, por alguém? Qual foi sua reação?

Rodrigo: Metade dos meus dias é na rua, acompanhando as obras e serviços e, diga-se de passagem, são muitos por todos os lados. Em todos os lugares que vou, sou recebido com carinho e declarações de indignação com os pilantras.

 

aQui: Como o senhor analisa os ataques dos internautas – que devem ser seus adversários?

Rodrigo: Sinceramente, não dou atenção.. Sofro ataques desde 2015, quando anunciei que seria candidato a prefeito. Não dou atenção para eles. Me chamavam de ‘Digão da Bicicleta’ e ‘Prefeice’… Eu sou apaixonado por ciclismo e sempre usei muito o Facebook para dar visibilidade a tudo o que faço… O que mais me incomoda é a oposição escrever ‘prefeice’… Poderiam pelo menos escrever direito.

 

aQui: Como está o relacionamento do senhor com a Câmara? 

Rodrigo: Continuo tendo relacionamento institucional com a Câmara. A postura de alguns sempre será oportunista… Para entender isso, basta dizer que os vereadores de oposição, todos eles, eram tremendos puxa-saco, até eu me negar a atender seus pedidos pessoais. Cara feia e desaforo não me incomodam; enquanto eles cacarejam, eu sigo trabalhando!

 

Deixe um comentário