Quiproquó da Covid

Atirou no que viu e acertou no que não viu. O ditado popular serve para mostrar que o prefeito Rodrigo Drable nem podia imaginar que seu desabafo contra o uso político do início da vacinação contra a Covid-19 atingiria, em menos de 24 horas, um dos seus desafetos, o vereador Marcell Castro. Foi tiro e queda. Na segunda, em live, Drable deixou claro que não participaria de eventos oba-oba em cima de um assunto tão sério. “Essa coisa ridícula de tirar foto com a primeira vacina, eu me recuso a fazer, mas eu assumo o compromisso de fazer com o último e dizer “Olha, tá aqui, ó. Esse é o último que faltava ser vacinado e eu estou aqui, com orgulho, acompanhando a vacina do último!”, comparou.
Rodrigo foi além. “É uma palhaçada o que está sendo feito. As pessoas estão muito mais preocupadas com a repercussão de mídia do que vai ser feito do que com aquilo que elas efetivamente colocam em prática. Isso é uma afronta a qualquer pessoa com o mínimo de capacidade de raciocínio; é chamar o povo de burro! Desse teatro que está sendo feito pelo Brasil afora, me recuso a participar”, disparou.
Na manhã do dia seguinte, terça, 19, quando o helicóptero do Corpo de Bombeiros aterrissou no Parque da Cidade trazendo as primeiras doses da vacina para Barra Mansa, o prefeito não estava lá. Logo a seguir, as vacinas foram levadas para o Centro de Triagem e Tratamento da Covid-19 e quem fez as honras da casa foi o secretário de Saúde, Sérgio Gomes, e sua equipe. Nada mais do que justo. Só que, para surpresa geral, o que Rodrigo temia aconteceu: o vereador Marcell Castro chegou no posto querendo fazer um vídeo das vacinas sendo aplicadas para mostrar aos seus eleitores.
Antes, nas redes sociais, Marcell já tinha avisado que iria fiscalizar a chegada e a distribuição das vacinas. “Hoje, terça-feira, 19 de janeiro de 2021, é um dia histórico para Barra Mansa, pois chegam as primeiras doses da Coronavac, e eu vou acompanhar de perto todo o processo de imunização, aqui em Barra Mansa!”, prometeu, sem revelar que iria levar um dos seus assessores para filmar tudo para posterior postagem no Facebook, onde mantém uma página para realçar as suas atividades parlamentares.
Deu tudo errado. Ao saber da presença de Marcell Castro, o secretário de Saúde, Sérgio Gomes, o interpelou. “Você não pode entrar aqui dentro, não. Vamos iniciar a vacinação. Se uma mulher estiver de camisa de manga comprida, ela terá que tirar a blusa e ficar de sutiã. Respeite a privacidade das pessoas”, argumentou. Como o vereador insistiu em ficar e entrar na sala, Sérgio Gomes contou ao aQui que naquele momento os dois começaram a bater boca. “Eu disse a ele que se ele quisesse fiscalizar, que fiscalizasse lá fora (da sala); que pedisse o número das vacinas, o nome das pessoas vacinadas, endereço, CPF, o que quisesse. Isso, sim, é fiscalizar. Mas ele não tem o direito de ficar vendo alguém ser vacinado, filmar para postar nas redes sociais para se promover. Ele não pode invadir a privacidade das pessoas”, completou.
Segundo Sérgio Gomes, nesse momento um acompanhante de Marcell, inconformado, quis filmar o bate-boca entre eles. Chegou a dizer que podia filmar por ser ‘assessor’ do parlamentar. Foi o bastante para o secretário de Saúde ameaçar chamar a polícia para retirar os dois da sala do Centro de Triagem da Covid. “Nesse momento, o Marcell pediu calma e, no meu ouvido, diante de testemunhas, disse: ‘E nós, e nós, quando é que vamos ser vacinados?’. Reagi na hora e disse a ele que não tinha essa de furar fila, não”, revelou.
Sérgio Gomes garante que falou ao vereador que nem a mãe dele, secretário de Saúde de Barra Mansa, seria vacinada antes da hora. “Nem ela, nem os meus filhos que são médicos, nem eu. Vamos seguir as determinações do governo. Ninguém vai furar fila”, desabafou, acrescentando: “Lamentável que existam pessoas que ainda querem se promover nesse momento. Invadiu uma área restrita e estava filmando pessoas sem autorização, com intuito de se autopromover, como se participasse de algo. É um vereador que em momento nenhum da pandemia ajudou com nada, e ainda interrompe o trabalho da equipe”, enfatizou.
O prefeito Rodrigo Drable foi procurado para comentar a confusão no Centro da Covid, mas sua assessoria acabou enviando uma nota a respeito: “A prefeitura municipal de Barra Mansa lamenta a atitude do vereador e seu assessor, mas não comentará o fato. Estamos exclusivamente dedicados a combater a Covid e sermos realmente úteis neste momento. Ressaltamos que ninguém, mesmo “autoridades”, não terão qualquer preferência ou favorecimento sobre a população. Em Barra Mansa será seguido estritamente o protocolo do Ministério da Saúde”, pontuou.
Vacinação
Logo após o quiproquó, equipes da secretaria de Saúde de Barra Mansa, iniciaram o procedimento de imunização dos profissionais que estão na linha de frente de combate ao novo coronavírus do Centro de Triagem e Tratamento da doença, na Região Leste. Sérgio Gomes, já bem mais calmo, acompanhou a iniciativa e disse que o momento era especial e emocionante, principalmente porque Barra Mansa foi a cidade do estado do Rio de Janeiro a ter registrado o primeiro caso do novo coronavírus. “Isso fez com que saíssemos na frente nas medidas de reestruturação da rede pública de saúde para atender os pacientes infectados pelo vírus, testagem em massa e outras ações. Nosso trabalho foi e continua sendo referência para outros municípios da região e do Estado. Estávamos ansiosos pela vacina, que colocará fim a toda angústia e sofrimento sentido pela população da nossa cidade, do Brasil e do mundo”, avaliou.
Ele foi além. Disse que começar a vacinação pelo Centro de Triagem e Tratamento era uma questão de justiça. “Esses profissionais estão há meses lutando especificamente contra este vírus e buscando ao máximo preservar a vida dos pacientes. Foram muitos dias de tensão, medo e incertezas. Hoje, eles têm o benefício de receber o imunobiológico com prioridade. Barra Mansa foi uma das cidades a receber o maior percentual de doses da Coronavac, graças ao empenho e o trabalho em equipe dos profissionais da nossa rede pública de saúde, do prefeito Rodrigo Drable e da nossa vice-prefeita Fátima Lima”.
No total, cerca de 20, dos 97 profissionais do Centro de Triagem e Tratamento da Covid-19, foram imunizados na terça, 18, sendo informados que receberão a segunda dose da Coronavac em 8 de fevereiro. Também receberam a dose do imunizante profissionais da UPA Centro, Hospital da Mulher e Santa Casa. Os vereadores foram deixados de lado, é claro.

 

Versão de Marcel Castro

Em entrevista ao aQui, o vereador Marcell Castor reafirmou que não é verdadeira a informação dada pelo secretário de Saúde, Sérgio Gomes, de que teria tentado furar a fila da vacinação em Barra Mansa. “Fui apenas fiscalizar, vocês sabem disso, nunca fui lá para tomar vacina”, disse, como se o jornal soubesse de suas reais intenções ao se dirigir até o Centro de Triagem e Tratamento da Covid-19.
Veja abaixo, a íntegra da conversa entre Marcel e um dos repórteres do aQui:
aQui: Tive a informação de que houve um desgaste entre o senhor e o secretário de saúde. Parece que foi alguma coisa relacionada à vacina e ao fato do senhor desejar ser um dos primeiros a tomar. Isso procede?
Marcell: Eu fui apenas fiscalizar, vocês sabem disso, nunca fui lá para tomar vacina. Não, apenas o Secretário de Saúde não quis que eu chegasse perto para acompanhar.
aQui: A discussão foi essa, e não sobre vacinação de terceiros? Nem sobre sua própria vacinação?
Marcell: Nunca foi pedido ou discutido isso, é mentira com cunho político por eu ser da oposição. Não quero me vacinar na frente, nunca quis, serei o último a me vacinar, não houve essa conversa, não houve essa discussão. Deus tá vendo tudo que você e seu editorial fazem, eu nunca fiz nada contra vocês (jornal, grifo nosso). Não existe nada sobre minha vacinação.

Claque
Diante da repercussão do caso, vários internautas, entre eles, amigos e assessores do vereador, passaram a retrucar os comentários contra Marcell Castro, argumentando que o parlamentar estaria no seu direito de fiscalizar a vacinação contra a Covid em Barra Mansa. Alternando-se na tarefa, pelo menos três assessores ficaram postando o mesmo desmentido a cada nova postagem contra Marcell Castro feita por Sérgio Gomes.
Um dos assessores, que se identificou como Guiguito Paes, contou sua versão na página do aQui no Facebook, que é transcrita abaixo na íntegra, inclusive com os erros de português, motivados, talvez, pela pressa em defender seu vereador. “Sou assessor do Vereador Marcell Castro, eu estava presente, e falo com propriedade que é Mentira o que está postado nessa página. Vereador esteve na UPA, fazendo o seu dever, que é fiscalizar as ações do governo Municipal! Inclusive a narrativa difere do vídeo. Temos RO aberto na delegacia de polícia de Barra Mansa e iremos atrelar no processo TODOS que, compactuarem com essa falsa acusação contra nós! Calúnia e difamação, será um, dos crimes que irão responder! Fake News é crime, peço respeitosamente que reveja seu comentário e não tire conclusões baseadas em um postagem criminosa”, escreveu, argumentando em uma clara ameaça aos internautas que dessem crédito à denúncia do secretário de Saúde de Barra Mansa

Deixe um comentário