terça-feira, novembro 30, 2021
CasaEditoriasEspecialPrêmio Jacaré

Prêmio Jacaré

Mico do ano

Para a Covid-19 que já matou cerca de 300 voltarredondenses e mais de 200 barramansenses. Sem contar que levou o caos ao sistema de Saúde das duas cidades, além de ser responsável pelo fechamento de centenas de empresas e a demissão de milhares e milhares de trabalhadores nos dois municípios. Sem contar as crises familiares que gerou, as separações, as brigas entre amigos e a politicagem que fomentou ao longo dos últimos nove meses.

Paulinho do Raio-X
Leva três micos e pode pedir música no Fantástico:
1 – Por ter sido preso em flagrante em um caso de extorsão contra o prefeito Samuca Silva;
2 – Pela proeza, nada gratificante, de ser o primeiro vereador da história de Volta Redonda a perder o mandato em um caso suspeito e corrupção; e
3 – Por jurar que iria apresentar provas de sua inocência, o que ainda não ocorreu até hoje, dia 31 de dezembro. Jurar é pecado; em falso, então…

 

Jacaré do bem

Neto – Por vencer as eleições para prefeito de Volta Redonda, com 85.673 votos (57,20%), já no primeiro turno, derrotando outros 13 candidatos, entre eles, Samuca, que buscava a reeleição.

Rodrigo Drable – Por ter sido reeleito prefeito de Barra Mansa, mostrando que a maioria dos eleitores – 51,41% – preferiu ignorar a denúncia – ainda sendo apurada – de que teria oferecido suborno a vereadores para aprovarem as suas contas de 2018 Durante o ano ainda enfrentou, de peito aberto, a Justiça de Barra Mansa, defendendo as medidas que tomou de combate à Covid-19. Tem mais. Apesar da crise, não atrasou o pagamento dos salários do funcionalismo local. Hoje, dia 31, por exemplo, paga o mês de dezembro.

Renan Cury – Foi o candidato mais votado em Volta Redonda nas eleições para a Câmara de Vereadores com 3.124 votos.

Furlani – Foi o candidato mais votado em Barra Mansa nas eleições para a Câmara de Vereadores com 2.435 votos.

Tigrão – O ainda vereador – seu mandato termina hoje, dia 31 – Tigrão é um homem de palavra. Prometeu que não seria candidato à reeleição e que distribuiria seus votos por três candidatos ao Parlamento de Volta Redonda. Elegeu dois.

Mauricio Pessôa – O ainda vereador – seu mandato termina hoje, dia 31 – é um homem de palavra. Anunciou que não seria candidato à reeleição pelo PSD pelo fato de a legenda ter decidido ficar contra Samuca (PSC) e não foi. Preferiu apoiar Rodrigo Furtado, que foi reeleito.

Juliana Carvalho – A bela professora radical de esquerda deu à luz o Psol de Volta Redonda, conquistando o sexto lugar na corrida ao Palácio 17 de Julho, obtendo 3.588 votos (2,40%), a maior votação da legenda em toda a história da cidade do aço. Sua colega de esquerda, a também professora Mônica, do nanico PSTU, só obteve 182 votos (0,12%). Gritante diferença entre as duas.

Professora Clarice – Foi uma grata surpresa nas eleições para prefeito de Barra Mansa. Conseguiu 6.479 votos, igual a 7,69 % do eleitorado local, ficando em quarto lugar, tirando o PT do ostracismo na região. Cida Diogo, por exemplo, petista como ela e candidata em Volta Redond,a só obteve 3.459 votos. Igual a 2,31% do eleitorado.

Maurício Batista – Foi responsável pelas maiores polêmicas do governo Samuca, adotando mão inglesa ou mudando mão e contramão de várias ruas e avenidas de Volta Redonda. A maioria deu certo; as que não deram foi porque sofreram boicote de empresários e políticos. Na crise entre Samuca e a Viação Sul Fluminense, coube a ele achar uma solução, temporária, que tem tudo para ser permanente, para melhorar o serviço prestado pelas empresas de transporte de passageiros.

Victoria Steinbruch – Foi anunciada como futura presidente da CSN, em substituição ao pai, Benjamin Steinbruch, quando este se aposentar. A jovem, para quem não sabe, desde os 10 anos já vinha sendo preparada para o cargo. No auge da crise entre Steinbruch e Volta Redonda, ela chegou a participar, com ouvinte, de várias reuniões do pai com empresários e políticos no interior da Usina Presidente Vargas.

 

Jacaré do mal

Samuca – Por acreditar que tudo ia bem. Não ia, tanto que perdeu a eleição para Neto já no primeiro turno, ficando atrás até de Baltazar, a quem cooptou oferecendo emprego de diretor no Hospital do Retiro.

Wilson Witzel – Enganou os eleitores prometendo salvar o estado do Rio. Se salvar a própria pele das acusações de corrupção, já será um grande feito.

Antônio Furtado – Elegeu-se na ‘onda bolsonarista’ com mais de 100 mil votos, mas não teve peito de disputar a eleição para prefeito em 2020, e ainda viu a legenda que comanda na região ser envolvida em estranha distribuição de verbas a candidatos do PSL, sem votos, até hoje não esclarecida.

Bruno Marini – Sofreu duas condenações durante o ano: da Justiça de São Paulo, por sonegação de impostos; e da Justiça Eleitoral fluminense, pelo uso de falsa pesquisa para prefeito de Barra Mansa, onde aparecia bem. Era tão falsa que perdeu para Rodrigo Drable, ficando atrás de Thiago Valério.

Vereador Sidney Dinho – Arrumou um quiproquó sem tamanho na Câmara de Volta Redonda atacando, xingando e ameaçando quase todos os parlamentares da Casa de serem ‘subservientes’ ao prefeito Samuca Silva por aprovarem a lei do estacionamento rotativo. Que ele também aprovou.

Para todas as candidatas à Câmara de Volta Redonda, já que nenhuma se elegeu. Muitas, nem voto tiveram.

América Tereza – A ex-vereadora surpreendeu, para pior. Depois de obter 35.576 votos para prefeito em 2016 e 6.723 votos para deputado federal em 2018, a ilustre assessora do ainda prefeito Samuca Silva só obteve 1.259 votos pelo PSC para a Câmara de Volta Redonda. Se continuar assim, perde até para presidente da Associação de Moradores da Barreira Cravo, onde reside.

Sérgio Santos – O secretário de Saúde de Barra Mansa, sempre na sombra de Rodrigo Drable, parecia ir bem no combate à Covid-19. Ia, até perder as estribeiras com um médico e depois com um vereador eleito sobre assuntos ligados ao novo coronavírus.

Nelson Gonçalves – Como deputado, sempre ficou em cima do muro; ao perder o mandato, aceitou um emprego no governo Samuca, mas traiu o prefeito meses depois ao lançar a candidatura de Paulo Baltazar. Resultado: perdeu o amigo, perdeu o emprego e não terá moleza com Neto.

Seu Mauro – O dono do cemitério Portal da Saudade prometeu a Samuca que, em troca do fim da Lagoa do Belvedere, iria criar um novo acesso aos bairros da região da Vila Rica. Pela foto, dá para ver que a promessa foi ladeira abaixo.

Mauricio Ruiz – Foi responsável direto pelo fim da Lagoa do Belvedere. Chegou ao cúmulo de dizer que ali nunca existiu uma lagoa. Deve ser cego…

Zeca, José Geraldo – O presidente do Saae-VR volta a ganhar um Jacaré do Mal. Ao longo dos anos, ele se perdeu com nomeações, demissões, promoções e até um caso de assédio sexual dentro da autarquia que comanda, envolvendo um dos seus diretores, cujo resultado ninguém conhece até hoje. Na gaveta, estava; na gaveta, ficou…

SES – A Secretaria Estadual de Saúde merece o Jacaré do Mal por se lixar para a imprensa do interior, sonegando informações à população sobre qualquer doença, especialmente a Covid-19, que não soube enfrentar.

ARTIGOS RELACIONADOS

Resistindo à violência

Telhado de vidro

A volta do Cinturão

LEIA MAIS

Grampos

O roubo da identidade

Resistindo à violência

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp