Ordem na casa

Márcia diz que encontrou uma bagunça no Hospital do Retiro

Diretora do Hospital do Retiro, Márcia Cury é conhecida pelo estilo direto e por ser exigente, até um pouco ‘durona’. E não gostou dos boatos que chegaram ao aQui dando conta que a unidade iria de mal a pior. Que o HR não estaria mais internando pacientes com a Covid por conta da falta de oxigênio nos leitos, o que teria, inclusive, provocado a transferência de urgência de alguns deles para o Hospital Regional, quando esta unidade ainda tinha leitos disponíveis e não para o Hospital São João Batista, como foi ventilado. “O Hospital do Retiro não disponibilizou algum leito de CTI Covid”, rebateu, anunciando que o HR teria 18 leitos de clínica médica Covid e o São João Batista teria cinco leitos de CTI Covid. “Isso está sendo mantido. Eu não estou transferindo paciente nenhum para o São João Batista. Toda nossa referência de paciente para CTI Covid é o Hospital Regional”, explicou.
De acordo com Márcia Cury, o Hospital do Retiro conta com duas salas que funcionam como CTI, com alguns leitos para pacientes com Covid. “Temos duas salas que são do tipo CTI e três salas separadas para pacientes com outras patologias. Dois leitos são separados para a sala vermelha da Covid. Mas esses pacientes chegam, é protocolo, rotina nossa, e são transferidos para o Hospital Regional que, por enquanto, é nossa referência”, ressaltou.
Em relação à falta de oxigênio nos leitos, Márcia afirmou que a usina de oxigênio instalada durante o governo Samuca Silva – e que não seria adequada para a demanda do hospital – continuava funcionando (a entrevista foi dada antes da instalação do tanque de oxigênio – ver box). e atenderia parcialmente às necessidades da unidade. Segundo ela, as adequações necessárias para sanar o problema já estariam sendo feitas, com a instalação de um tanque de oxigênio com grande capacidade de armazenamento.
“Não é que nós ficamos sem oxigênio. Nós estamos com a usina de oxigênio funcionando. A capacidade dela é que não permite que todos os leitos de CTI sejam ocupados. Nem a sala vermelha. Por isso, nós e o prefeito Neto estamos apressando (o processo) para colocar esse oxigênio – o tanque da White Martins – e poder usar os nossos 30 leitos de CTI Covid”, disse.
Márcia informou que a empresa White Martins – fornecedora de gases medicinais – foi quem ganhou a licitação para a instalação do novo sistema de fornecimento de oxigênio para o Hospital do Retiro. “A White Martins ganhou e vai fechar essa usina que está no hospital para entrar com o gás vindo do reservatório de grande capacidade que ela vai instalar”, explicou.
Mãe Joana
Márcia afirmou ainda que o HR foi entregue “uma bagunça” pela gestão Samuca – após ser administrado um período por uma OS (Organização Social) – e que ela está tendo muito trabalho para colocar as coisas em ordem. De acordo com Márcia, as deficiências iam desde aparelhos de raio-X sem funcionar a exames de laboratório que tinham que ser feitos fora da unidade. “Nós estamos trabalhando dia e noite para melhorar essa bagunça que encontramos. Eu cheguei lá e não tinha raio-X, tinha que se fazer fora, e agora o aparelho já está funcionando. Não tinha nada de laboratório, estava tudo sendo feito fora. Já estou fazendo o básico e semana que vem eu já faço contrato de comodato e vão chegar dois aparelhos novos para abrirmos a bioquímica e outros exames que vão ser feitos lá, voltando a funcionar normalmente o laboratório”, afirmou Márcia, que acrescentou: “Nós estamos trabalhando para melhorar a gestão, que não tinha nada, era tudo casa de mãe Joana. Nós estamos padronizando tudo, colocando ordem na casa”.

Deixe uma resposta