Miguel e Sophia

Cartórios divulgam os nomes de bebês mais registrados no Rio de Janeiro na década

Miguel, com 32.148 registros, e Arthur, com 31.740, foram os nomes mais escolhidos no estado do Rio de Janeiro para registro de nascimento na última década (2010 – 2020). Já Sophia foi o nome feminino mais escolhido pelos pais nos últimos 10 anos. O ranking geral mostra a preferência pelo nome simples, uma vez que o composto aparece apenas em uma ocasião, no 10º lugar, com Maria Eduarda, 15.559.
O levantamento de 2010 a 2020, realizado por meio da Central Nacional de Informações do Registro Civil – plataforma eletrônica com os números de Cartórios de todo o País, administrada pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen/Brasil), reuniu dados de todos os 172 Cartórios de Registro Civil do estado do Rio de Janeiro, que formaram uma base de mais de 1,7 milhão de registros realizados na última década, disponível no Portal da Transparência do Registro Civil – https://www.registrocivil.org.br .
No ranking do Brasil, Miguel, com 321.644, e Arthur, com 287.886, foram os nomes mais escolhidos da década. A popularidade do período recaiu sobre os nomes simples, com apenas dois compostos entre os 10 mais: na quinta colocação, Maria Eduarda (214.250), o nome feminino mais registrado, e na oitava, Pedro Henrique (154.232), que ocupa o sexto lugar da lista masculina. Outros nomes que aparecem no top 10 geral são Davi (248.066), Gabriel (223.899), Alice (193.788), Heitor (154.237), Laura (153.557) e Sophia (147.579).
Mudança de nome
Apesar do nome ser regido pela regra da imutabilidade, ou seja, deve se manter inalterado para segurança das relações jurídicas, existem exceções em lei onde a alteração é possível. Ela pode ser feita em Cartório, até um ano após completar a maioridade – entre 18 e 19 anos – sem qualquer motivação -, desde que não prejudique os sobrenomes de família. Também é possível a correção de nome quando for comprovado erro evidente de grafia no registro.
No caso de pessoas transexuais, a mudança do nome pode ser feita em Cartório, sem a necessidade de prévia autorização judicial, apenas com a confirmação de vontade do indivíduo. As demais alterações, como exposição do nome ao ridículo ou proteção a testemunhas só podem ser feitas por meio de processo judicial.
Já a inclusão do sobrenome, pode ocorrer nos casamentos, nos atos de reconhecimento de paternidade e maternidade – biológica ou socioafetiva -, e nos casos em que os pais de filhos menores constatam, em conjunto, que o registro original não reflete todas as linhagens familiares. Já a retirada ou alteração do sobrenome pode ser solicitada pela pessoa viúva, mediante a apresentação da certidão de óbito do cônjuge.

RANKING DO RIO DE JANEIRO DE NOMES MAIS REGISTRADOS NA DÉCADA 


10 NOMES MAIS FREQUENTES
MIGUEL – 32.148
ARTHUR – 31.740
BERNARDO – 23.135
DAVI – 22.603
SOPHIA – 19.937
ALICE – 19.642
GABRIEL – 17.469
HEITOR – 16.792
LAURA – 16.562
MARIA EDUARDA – 15.559

 

10 NOMES MASCULINOS MAIS FREQUENTES
MIGUEL – 32.148
ARTHUR – 31.740
BERNARDO – 23.135
DAVI – 22.603
GABRIEL – 17.469
HEITOR – 16.792
THEO – 12.873
LUCAS – 12.509
PEDRO – 12.402
SAMUEL – 11.868 


10 NOMES FEMININOS MAIS FREQUENTES
SOPHIA – 19.937
ALICE – 19.642
LAURA – 16.562
MARIA EDUARDA – 15.559
VALENTINA – 13.735
HELENA – 11.735
JULIA – 10.944
MARIA LUIZA – 9.823
ISABELLA – 9.459
MANUELLA – 9.269 

RANKING DO RIO DE JANEIRO DE NOMES MAIS REGISTRADOS EM 2020 

10 NOMES MAIS FREQUENTES
ARTHUR – 2.698
THEO – 2.653
HEITOR – 2.537
MIGUEL – 2.452
LAURA – 2.147
GAEL – 2.124
BERNARDO – 2.088
HELENA – 1.996
ALICE – 1.883
DAVI – 1.689


10 NOMES MASCULINOS MAIS FREQUENTES
ARTHUR – 2.698
THEO – 2.653
HEITOR – 2.537
MIGUEL – 2.452
GAEL – 2.124
BERNARDO – 2.088
DAVI – 1.689
GABRIEL – 1.627
SAMUEL – 1.177
PEDRO – 1.176 


10 NOMES FEMININOS MAIS FREQUENTES
LAURA – 2.147
HELENA – 1.996
ALICE – 1.883
VALENTINA – 1.233
SOPHIA – 1.161
ANTONELLA – 1.081
MAITE – 1.080
MANUELLA – 1.033
MANUELA – 1.030
MARIA EDUARDA – 918 

Sobre a Arpen/RJ
A Arpen/RJ, entidade de utilidade pública, nos termos da Lei nº 5462/2009, se destina, entre os objetivos estatutários, a promover o aperfeiçoamento do registro civil de pessoas naturais e de interdições e tutelas no estado do Rio de Janeiro, bem como apoiar as iniciativas nacionais nessa área. 

Deixe uma resposta