Grampos Barra Mansa

A pé – A secretaria de Saúde de Barra Mansa também inovou ao criar, no Parque da Cidade, um sistema de vacinação para pedestres. Uma tenda, com capacidade para 100 pessoas, foi instalada para atender ao público que não tem como comparecer ao local de carro. “Nós iniciamos o atendimento na tenda para as pessoas que buscam vacina a pé. Nós estamos fazendo um esforço para que a organização e a agilidade deem conforto no atendimento, tendo em vista também que o volume de vacinas no drive tem aumentado e que é necessário que as pessoas respeitem o horário, para a agilidade também ser mantida”, disse o prefeito Rodrigo Drable.

Refis – A prefeitura de Barra Mansa já arrecadou R$ 2090 mil graças ao Programa de Recuperação Fiscal (Refis), que foi criado para ajudar aos contribuintes que se encontram com dificuldades devido à pandemia e que precisam regularizar seus débitos referentes às taxas tributárias e não tributárias, como IPTU, ISS, ITBI e Saae-BM, contraídos até dia 31 de dezembro de 2020.

Santa Casa – O prefeito Rodrigo Drable, acompanhado do secretário de Saúde, Sérgio Gomes, do provedor da Santa Casa de Barra Mansa, Getúlio José Pereira e dos vereadores Deco e Bruno Oliveira, esteve acompanhando as obras do Hospital da Santa Casa de Misericórdia, que está prestes a receber um novo Centro de Tratamento Intensivo (CTI), que vai permitir o aumento de cirurgias oncológicas, entre outros procedimentos. “O CTI está quase pronto. É importante dizer que as escolhas que nós fazemos na vida são decisivas. Lá atrás, muitas cidades optaram por terem hospitais de campanha que foram desmontados e perderam tudo. Porém, aqui em Barra Mansa fizemos um esforço muito grande na Santa Casa. Nós escolhemos investir na estrutura do hospital. Mesmo nesse momento difícil, pensamos em aumentar a capacidade de atendimento para o futuro e fazer um CTI de qualidade”, disse o prefeito Rodrigo Drable, criticando, por tabela, o ex-prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, que manteve um Hospital de Campanha enquanto governava a cidade do aço.
Tem mais. O Hospital da Santa Casa ganhou também uma nova sala de procedimentos cardíacos, e um novo aparelho angiográfico. De acordo com Drable, Barra Mansa está dobrando a capacidade de atendimento cardíaco, que já era o maior do estado. “O Dr. Sérgio, ao longo dos anos, veio desenvolvendo a AngioBarra que salva tantas vidas. Nesse período, começamos a receber pacientes de outras regiões e com isso nós percebemos a necessidade de ampliar esse serviço. E assim foi feito”, explicou.

O bicho pegou – Agentes da Guarda Ambiental de Barra Mansa e da Polícia Militar foram recebidos a tiros durante uma ação de reintegração de posse no Vale do Paraíba. Com a chegada de reforços, o terreno próximo à Rua Geraldo Agostinho Ferreira foi acessado e os agentes encontraram indícios de ocupação, com a demarcação de lotes e a construção de cercas de mourões e estacas feitas com a derrubada de árvores da própria APA (Área de Preservação Ambiental). No local, nenhum invasor foi encontrado. Na 90ª DP onde o caso foi registrado, um dos policiais militares relatou que, de acordo com moradores da localidade, o terreno vem sendo ocupado pouco a pouco por determinação do tráfico de drogas.

Desenvolvimento – Uma reunião entre representantes da Agência Estadual de Fomento (AgeRio), Prefeitura de Barra Mansa e secretarias de Finanças e de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação, realizada na manhã de segunda, 19, debateu a criação de ações de fomento à economia da cidade, como o “Programa Fomenta Municípios”, captação de valores futuros e soluções conjuntas que possam beneficiar empresários e o poder público. Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Bruno Paciello, a parceria entre a AgeRio e Barra Mansa é mais que importante. “A intenção neste primeiro momento foi estreitar laços, porque entendemos que estamos vivendo um período muito difícil. A AgeRio vai ser uma peça fundamental na Secretaria de Desenvolvimento Econômico para resgatar e manter essas empresas de pé enquanto essa pandemia estiver assolando o nosso município. A AgeRio veio oferecendo fomento, crédito para pequenos e microempresários, para que a gente possa focar muito nessa área e manter essas empresas que já estão em Barra Mansa. Assim poderemos buscar novas empresas e fortalecer o nosso município”, disparou Bruno. O próximo passo será uma reunião entre o prefeito Rodrigo Drable e a presidência da AgeRio para avançar nas tratativas.

Pegando carona (I) – O PT, o PSB e o PSOL de Barra Mansa soltaram nota oficial para repudiar “comentários precon-ceituosos” que teriam sido disparados por alguns vereadores em uma sessão da Câmara. Na nota, dizem que os parlamentares teriam se referido “pejorativamente contra profissionais da educação, seus representantes sindicais, as religiões e a todos que professam a fé de matriz africana”.

Pegando carona (II) – A nota foi criticada por vereadores. Segundo um deles, na sessão a que a nota se refere – realizada no dia 14 de abril – não houve nada do que os representantes das três legendas afirmam. “Eles são tão atentos, que nem a sessão acompanham!”, alfinetou, pedindo para não ser identificado. “Vão dizer depois que eu xinguei a mãe deles”, ironizou.

Essencial – A queda de braço entre parlamentares e manifestantes começou quando o vereador Jefferson Mamede (PSC) apresentou um projeto de lei – que foi aprovado – para reconhecer os serviços e atividades educacionais nas escolas públicas e privadas, nas modalidades presenciais ou hídricas, como atividades essenciais para a população de Barra Mansa. “Nós não estamos ignorando a Covid e o que a sua gravidade tem trazido à população, mas percebemos que existe uma necessidade de nos adaptarmos. Educação é um direito constitucional, deve ser tratada como essencial e eu não acho plausível as escolas fechadas e bares e academias abertos”, justificou o vereador. Com a aprovação do projeto, o exercício das atividades presenciais não estará mais sujeito a suspensão ou interrupção, exceto com a aprovação expressa da maioria dos representantes do Legislativo. Portanto, caberá ao Poder Executivo estabelecer restrições, com as normas sanitárias, e instituir protocolos a serem seguidos, inclusive quanto à ocupação máxima dos estabelecimentos, sempre com justificativas técnicas.

Deixe um comentário