Grampos Barra Mansa

Pesquisa (I) – Na manhã de quarta, 11, o jornal ‘A Voz da Cidade’ divulgou os números sobre as eleições em Barra Mansa. A pesquisa, a única registrada até o momento, foi feita pela Orbital (RJ-05767/2020) com 600 entrevistas e deixa claro que Rodrigo Drable tem tudo para ser reeleito. Na votação estimulada, por exemplo, o atual prefeito aparece com 36,7% das intenções de votos. O segundo colocado, Bruno Marini, aparece bem atrás, com apenas 11,5%, seguido de Thiago Valério, com 7,7% etc.

Pesquisa (II) – A pesquisa da Orbital foi contratada pelo jornal ‘A Voz da Cidade’, de Barra Mansa, e na apuração espontânea, Rodrigo Drable também se destaca em primeiro lugar, com 29,7% das intenções de votos. O empresário Bruno Marini aparece em segundo, 5%, mesmo percentual obtido por Thiago Valério.


Caminhada – Ainda sem saber os números da pesquisa da Orbital, que confirma seu favoritismo, Rodrigo promoveu uma caminhada na tarde de segunda, 9, reunindo mais de 450 ‘apoiadores’. Foi uma das maiores aglomerações da caminhada, o que mostra que a maioria das pessoas não está nem aí para a Covid-19 (ver foto). O evento contou com a participação do deputado estadual Marcelo Cabeleireiro, que, recentemente, escapou da Covid-19.

Carreata – Em terceiro na pesquisa da Orbital/Voz da Cidade, o vereador Thiago Valério foi bastante criticado nas redes sociais por conta da carreata que promoveu por dentro de Barra Mansa na manhã de sábado, 7. Motivo: som alto e utilização de ‘mais de 200 carros, motos e carretas (cavalinhos, grifo nosso)’, que infernizaram o trânsito na região.

Justiça (I) – No final da semana passada, quando a edição do aQui já estava na gráfica para ser impressa, surgiu a notícia: o STF tinha derrubado a liminar que permitia o retorno de Rodrigo Drable ao cargo de prefeito de Barra Mansa. No dia 6, à noite, ele falou sobre o caso. “Eu quero conversar rapidamente sobre a campanha política mais suja da história de Barra Mansa. Nos últimos meses, eu tenho sido atacado de todas as maneiras. Agora, na campanha eleitoral, é candidato em cima de carro de som, programa de TV falando da minha família, e até do meu avô, que já morreu faz 17 anos. Eu não respondo agressão, eu não me rebaixo a esse nível em hipótese nenhuma”, pontuou, referindo-se às reações dos seus adversários sobre a decisão do STF. Reagiram, aliás, como se tivessem vencido uma final da Copa do Mundo.

Justiça (II) – Depois de relacionar uma série de situações que enfrentou nos últimos quatro anos, Rodrigo Drable anunciou que iria antecipar (para terça, 10) o pagamento da primeira parcela do 13 salário. Tem mais. Falou do sonhado Pátio de Manobras. “O sonho do Pátio de Manobras está sendo realizado. Isso mostra que a gente está no rumo certo. E é por isso que, quando fazem pesquisa, a gente está lá na frente, a gente trabalhou muito. Eles fazem uma pesquisa falsa para dizerem que têm chances, e, na pesquisa falsa, a gente está na frente também”, ironizou. “Tudo que eles querem para disputar a eleição é que eu esteja fora do jogo”, comentou.

Justiça (III) – “Estão dizendo que eu posso ser afastado novamente; conveniente isso, né? Mas, se eu for afastado, vou recorrer com os nossos advogados de todas as maneiras possíveis para mostrar que aquilo foi uma grande armação e covardia que fizeram, um atentado contra a democracia. Passaram três anos e meio tentando achar alguma coisa e não encontraram, e aí eles criaram uma grande armação, mas a gente vai enfrentar na justiça”, pontuou.

Justiça (IV) – Rodrigo foi além. “Mesmo que venha esse afastamento, eu continuo candidato, e nós vamos vencer a eleição pra mostrar pra eles que Barra Mansa não é a cidade da covardia e nem da trambicagem”, disparou, aproveitando para comentar o caso de assédio envolvendo seus adversários. “Essas pessoas que tanto me agridem estão sendo denunciadas por um outro candidato. Tentaram comprá-lo. Dois candidatos de Barra Mansa ofereceram várias vantagens e lotearam a prefeitura, negócio que eu tanto combati. Lotearam e ofereceram pro outro candidato (Capitão Abreu, grifo nosso) fazer uma composição para disputarem com a gente. É isso que eles querem? É isso que Barra Mansa precisa? Eu penso que não. Eu penso que vou continuar lutando para nós vencermos a eleição e mantermos Barra Mansa rumo ao desenvolvimento para, aí sim, termos aquela cidade que sonhamos. Nunca nos curvando a esse tipo de covardia. Eu sou um cara de luta, um cara que quer Barra Mansa dscente, que está lutando por ela há bastante tempo. Nós vamos vencer, se continuarmos juntos, eu tenho convicção disso. Meu grande abraço, Barra Mansa avança, valeu”, finalizou.

13° salário – A prefeitura de Barra Mansa antecipou o pagamento da primeira parcela do 13º salário para terça, 10. Vinte dias antes do que é determinado pela lei.

Golpe – A secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos de Barra Mansa alerta que é falsa a informação de que o município estaria disponibilizando um auxílio natalino no valor de R$ 125. A notícia falsa circulou nas mídias sociais e orientava os munícipes a realizar um cadastro, via site não oficial da prefeitura, e fornecer dados pessoais.

Barra Mansa (I) – O Ministério Público do Estado Rio de Janeiro obteve decisão favorável, junto ao Segundo Grupo de Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Estado do Rio, determinando o afastamento imediato do cargo do prefeito de Barra Mansa, Rodrigo Drable Costa; dos vereadores Paulo Afonso Sales Moreira, vulgo Paulo Chuchu, presidente da Câmara Municipal, e Zélio Resende Barbosa; e do coronel da Polícia Militar Jorge Ricardo da Silva, ocupante de cargo comissionado da Prefeitura. Os quatro são acusados de formação de base de apoio político destinada a beneficiar os interesses do prefeito em votações da Câmara de Vereadores.

Barra Mansa (II) – O MP havia conseguido, em julho, decisão favorável para afastar os agentes públicos dos respectivos cargos, tendo realizado, ainda, uma operação em parceria com a Polícia Civil para cumprir 11 mandados de busca e apreensão em endereços ligados aos denunciados. O ministro do STF, Dias Toffoli, porém, decidiu revogar liminarmente as medidas cautelares determinadas pelo TJ-RJ na ocasião, restabelecendo o mandato do prefeito e dos vereadores e reconduzindo Jorge Ricardo ao cargo.

Barra Mansa (III) – Em decisão tomada no dia 4, o atual presidente do STF, ministro Luiz Fux, indeferiu o pedido de suspensão das cautelares em definitivo. Desta forma, o 2º Grupo de Câmaras Criminais determinou o imediato cumprimento da decisão que deferiu as medidas cautelares de afastamento das funções públicas, proibição de acessar e frequentar repartições públicas, de manterem contato entre si e com a testemunha Gilmar Lelis, bem como de se ausentarem do estado sem autorização judicial. O MPRJ requereu o imediato cumprimento da decisão do STF.

Barra Mansa (IV) – O detalhe, que ninguém está divulgando – sabe-se lá por quê – é que o afastamento de Rodrigo Drable não vai afetar a eleição de domingo, 15. Nem o resultado. E nem o futuro, caso Rodrigo confirme os dados da pesquisa da Orbital/A Voz da Cidade que ponta sua vitória com larga margem de votos. É que a desembargadora Suimei Meira Cavalieri, ao determinar o novo afastamento de Rodrigo, deixou claro que a decisão atinge apenas o atual mandato. E não o novo, caso Rodrigo seja eleito. “Apenas consigne-se a duração das medidas de afastamento dos cargos que, considerando novo pleito eleitoral, ora devem perdurar pelo prazo restante dos mandatos eletivos”, sentenciou. Ou seja, se vencer, Rodrigo irá cumprir o novo mandato. Palavra da magistrada.

 

Deixe uma resposta