Grampos

O loteamento irregular que estava surgindo no Roma, bem perto do Hospital Regional, mostrado pelo aQui, com exclusividade nas redes sociais na manhã de domingo, 4, durou pouco. Na quinta, 8, uma equipe da secretaria de Infraestrutura da prefeitura de Volta Redonda, com apoio da Polícia Militar e da Guarda Municipal, esteve na localidade e, com uma máquina, destruiu todos os casebres já erguidos – uns, inclusive, já serviam de casa para alguns moradores.
O pedido para desocupação da área foi feito pela Prefeitura de Volta Redonda, logo após a reportagem do aQui e depois de uma reunião com representantes da área de segurança pública. Segundo o órgão, no dia 25 de março, um assassinato foi registrado na localidade. E o crime pode ter relação com a disputa por lotes. Tem mais. O serviço de inteligência da Polícia Militar teria garantido que “a maioria dos barracos teria sido erguida para ‘marcar território’ no loteamento”.
A ação de desocupação mostrou que o aQui estava certo, que o loteamento era irregular e que o boato de que no local estaria sendo montado um clube de paintball era só mais uma fake news, das tantas que as redes sociais dão guarida.

Santa Cruz – O vereador Renan Cury está, mais uma vez, fulo da vida com a secretária de Saúde de Volta Redonda, Conceição Souza. É que a moça trocou o comando do posto de Saúde de Santa Cruz, mandando transferir o titular, Tulio Campos Bafa, e entregando a administração da unidade a uma menina de Piraí, terra onde Conceição mora. Renan está bufando… “É a ‘piraização’ da Saúde”, alfinetou. Vale lembrar que a subsecretária da pasta também é da terra de Pezão, ou melhor, é Maria Horta, mulher do ex-governador.

Fechado – Parece boicote, mas não deve ser. Na terça, 6, todas as agências do Santander em Volta Redonda estavam fora do ar, sem caixas para atender aos clientes. A solução era usar os caixas eletrônicos, mas as maquininhas estavam com pouco dinheiro. Seria o famoso ‘lockdown financeiro’?

Parto (I) – Laura Gonçalves Silvano, na foto ao lado do marido e da filha, ficou internada um mês no Hospital São João Batista após ser contaminada pela Covid-19. Com 27 anos, ela estava grávida de seis meses da sua segunda filha e precisou ser submetida a um parto de emergência quatro dias após a sua internação. Segundo os médicos, a pequena Allana Victoria, nome do bebê, poderia não sobreviver.

Sobreviveu – “Gratidão é o que me resume. Gratidão pela vida, gratidão pela vida dessa equipe de enfermagem e médicos do São João Batista, pois eles não mediram esforços pra cuidar de mim. Ótimos médicos e enfermeiros. Quando acordei do coma, eu pude ver o quanto se esforçaram para que hoje eu estivesse aqui. Sou grata, pois Deus deu sabedoria a essas pessoas para cuidar de mim e da minha filha. Sou um milagre, a Allana é um milagre. Deus é fiel”, comemorou a dona de casa, que é de Barra Mansa.

Parto (II) – Laura chegou a ter os pulmões completamente comprometidos. Intubada, permaneceu em coma por 17 dias. Um pouco mais recuperada, cinco dias após acordar, mãe e filha se encontraram pela primeira vez. “Foi o melhor momento da minha vida, poder ver a minha filha ali, lutando pela vida assim como eu. E saber que hoje ela está bem, fora de perigo, é a melhor sensação do mundo”, disse.

Parto (III) – Ao lado do marido, Victor Modesto de Araújo, e da filha Sophia, de 7 anos, Laura aguarda Allana Victoria engordar um pouco mais para que possa ter alta e ir para casa. A mãe faz um alerta sobre os cuidados com a prevenção à doença:
“Deixo aqui um alerta para todos, principalmente para as grávidas. Essa doença não é brincadeira ou marketing, não é política, ela é real, só sabe quem passou e sentiu na pele, pois essa doença engole o corpo. Se cuidem, usem máscara, não façam aglomeração, usem álcool, fiquem em casa e só saiam se necessário for. Não brinquem com algo sério, não tratem essa doença como uma gripe qualquer”, disse.

Vírus – O deputado estadual Noel de Carvalho foi contaminado pelo vírus da Covid-19. Ele passa bem.

Bares – No último final de semana, especialmente na noite de sábado, 3, quem passava pelo Monte Castelo, mais precisamente pela Rua Paulo Monteiro Mendes, ponto boêmio da cidade do aço, tinha a impressão de que a Covid-19 tinha poupado Volta Redonda, tamanha era a quantidade de jovens, quase todos sem máscara, conversando e bebendo ou bebendo e conversando. Andar pelas calçadas era impossível, tinha que ser pelo meio dos carros mesmo. Algumas denúncias foram feitas, mas os botecos da rua não foram fiscalizados.

Covid-19 – A volta-redondense Maria de Fátima Claro de Almeida, de 60 anos, pedagoga e ex-funcionária do Conselho Tutelar de Vassouras, foi a mais nova vítima da Covid em Volta Redonda. Ela era filha de José Claro Neto, ex-assessor do ex-vereador Gibraltar Vidal. Morreu no sábado, 3, no Hospital Regional.

Eleições – Certamente já de olho nas eleições de 2022, o governador em exercício, Cláudio Castro, anunciou na quinta, 8, a liberação de cerca de R$ 150 milhões para o DER (Departamento de Estradas de Rodagem) aplicar em cidades das regiões Serrana, Sul Fluminense, Médio Paraíba e Noroeste em obras de infraestrutura viária. Os prefeitos de Pinheiral, Piraí, Rio Claro, Barra Mansa, Angra dos Reis, Mangaratiba, Paraty, Barra do Piraí e Itatiaia já estão contando com o dindim, ops, com as obras.

Doses – Aos trancos e barrancos, a prefeitura de Volta Redonda já conseguiu aplicar mais de 50 mil doses de vacina contra a Covid-19. Até quinta, 8, foram aplicadas 39.372 da primeira dose e 10.875 da segunda dose. Detalhe: oficialmente, o município tem uma população de 273.988 habitantes. Ou seja, o número de pessoas vacinadas com a primeira dose representa 14,37% e, com a segunda dose, 3,97% da população.

Leitos (I) – Sem alarde, meio que na surdina, sabe-se lá por quê, a prefeitura de Volta Redonda marcou para o próximo dia 15, quinta, uma licitação (Processo nº 582/2021) para a compra de materiais biomédicos/hospitalares e mobiliário hospitalar para implantação de 30 leitos de UTI e UCI no Hospital do Retiro. Em termos de marketing mereceria fazer o maior auê, não é?

Leitos (II) – Para compensar, a prefeitura de Volta Redonda mandou release aos jornais anunciando a compra de 10 “cateteres de alto fluxo”, que são utilizados em casos de insuficiência respiratória aguda e podem reduzir a necessidade de intubação. Os aparelhos, segundo a nota, serão instalados nas UTIs dos hospitais São João Batista e Retiro. O cateter é uma forma de ventilação não invasiva e pode reduzir a necessidade de intubação e o uso da ventilação mecânica, e fornece até 60 litros de oxigênio por minuto aos pacientes com problema respiratório.

Dengue – A prefeitura de Volta Redonda revela que o município apresentou queda no índice de infestação do mosquito da dengue em todas as 12 regiões avaliadas pelo LIRAa (Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti) realizado na última semana de março em relação aos números de janeiro. Teria tido um índice de 2,3% de infestação do Aedes aegypti, contra os 3,4% encontrados em janeiro.

Haja viagem – A secretaria de Saúde de Volta Redonda, conforme Processo Administrativo nº 334/2021, contratou de forma emergencial, com dispensa de licitação, a Cooperativa de Consumo Transporte Rodoviário e Locação LTDA. Serviço a ser executado: “intermediação e agenciamento de transporte terrestre dos pacientes, servidores, empregados e colaboradores, a serviço da Secretaria Municipal de Saúde, por demanda, no âmbito do Município de Volta Redonda e entorno e viagens intermunicipais e interestaduais, para atender a Secretaria Municipal de Saúde”. Valor do contratinho: R$ 1.249.505,88 (Um milhão, duzentos e quarenta e nove mil, quinhentos e quinze reais e oitenta e oito centavos).

Nomeada – A médica Rebecca Faria Emerique Galvão Horita assumiu como responsável técnica o SPA Conforto, com data retroativa a 1º de março.

Desperdício – Na manhã de segunda, 6, quando explodiu a bomba lançada pelo juiz André Aiex, mandando fechar tudo em Volta Redonda, o prefeito Neto se reuniu com alguns representantes do MP para tratar do assunto. A reunião durou mais de uma hora e deu no que deu.

Maldade (I) – Ainda sobre a ordem do juiz André Aiex para que Neto assinasse, em 24 horas, um novo decreto proibindo quase tudo em Volta Redonda, uma fonte do aQui não se conteve e fez o seguinte comentário. “Se a Justiça quer fechar a cidade, é só o prefeito determinar o fechamento do fórum, que está trabalhando com 50% dos servidores”, pontuou, envolvendo ainda o MP. “O Ministério Público também deve estar trabalhando com o mesmo percentual”, disparou. Fica a sugestão…

Maldade (II) – Outra fonte viu o problema da forma prática: “Na verdade, ele (juiz) está mandando cumprir um acordo judicial feito entre o Executivo (Samuca, na época) e o MP, que previa o fechamento do comércio conforme os parâmetros de ocupação dos leitos da Covid”, argumentou. “Acordo do governo passado, quando tanto a realidade quanto o conhecimento científico eram outros”. Deu certo. Ou seja, novo prefeito, novas regras.

Maldade (III) – Mais radical foi outra fonte do jornal, que levou a situação – fechar o comércio por ordem da Justiça – para o lado político. “Nem sei pra que temos eleições”, disparou. Faz sentido.

Testes (I) – A prefeitura de Volta Redonda passa a oferecer, neste sábado, 10, testes de antígeno nas suas unidades básicas e de emergências, que ‘são mais rápidos e eficazes’, apregoam. Fica a pergunta: se são rápidos e eficazes, por que demoraram tanto a oferecer?

Testes (II) – Segundo nota da prefeitura, toda pessoa que tiver diagnóstico positivo, ou seja, que esteja infectada, receberá os remédios receitados pelos médicos da rede, que terão liberdade para indicar o tratamento que julgarem ser o mais adequado. Trocando em miúdos, caberá ao médico, apenas a ele, decidir que remédios o paciente deverá tomar. Faz sentido.

Testes (III) – A prefeitura garante ainda que todas as pessoas que sejam próximas do paciente infectado serão rastreadas e farão o teste para saber se estão ou não com a doença. “De toda forma, as pessoas que estiverem com sintomas e procurarem os postos já serão medicadas”, garante.

Dados (I) – Jari, vereador que preside a comissão de Saúde da Câmara de Volta Redonda, ficou encafifado com a informação de que a titular da pasta, Conceição Souza, entregou ao juiz André Aiex um documento com dados que garantiriam que o comércio pode permanecer aberto. “A população precisa ter acesso a essas informações tão importantes”, justificou. Ele está certo.

Dados (II) – Jari desconfia que o que Conceição entregou à Justiça foi uma minuta genérica. “A secretária me informou que o juiz fez algumas exigências e pediu mais dados, que devem ser atualizados por ela até segunda, 12. Ela ficou de passar para a Câmara essas informações”, avisou, esperando que Conceição cumpra sua palavra.

Vacina – A Câmara dos Deputados aprovou o polêmico Projeto de Lei 948/21, que permite à iniciativa privada comprar vacinas para a imunização gratuita de seus empregados. Foram 317 votos a favor da proposta e 120 contrários, com 2 abstenções. Os três deputados federais da região votaram a favor da proposta: Antônio Furtado (PSL), Luiz Antônio (PL) e Vinicius Farah (MDB).

Eleição – A eleição de 2022 está logo ali. E um dos vereadores que deve ser candidato a deputado estadual é Sidney Dinho, que será presidente da Câmara no ano que vem. Na terça, 6, o parlamentar recebeu em seu gabinete a presidente estadual do Patriota, Elaine Cunha. Na pauta, é claro, 2022.

Cesta – A Câmara de Volta Redonda aprovou um requerimento à secretaria de Educação. Os parlamentares querem saber quando serão distribuídas cestas básicas para os alunos das escolas municipais. O requerimento foi assinado por Jari (PSB), Paulo Conrado (DC) e Dinho (Patriotas). “Estamos recebendo muitas reclamações sobre isso. Recebemos a informação de que faltam recursos, mas é preciso fazer algo”, disse Dinho.

Falta – Outro pedido de informação foi encaminhado à secretária de Educação, Therezinha Gonçalves. É que, segundo Jari, está faltando professor na rede municipal. O caso foi até tema de pergunta ao prefeito Neto em sua entrevista ao radialista Dário de Paula. “A Tetê tem me cobrado muito essas substituições. A culpa não é dela, é minha. E vamos resolver”, prometeu Neto.

Restaurante – A deputada estadual Renata Souza (PSOL) anda com boas intenções, mas é muito mal-informada. É que ela solicitou ao governador em exercício, Cláudio Castro, a reabertura do Restaurante Popular em Volta Redonda. O detalhe é que o local foi municipalizado em 2019 e está funcionando, desde então, com recursos do Palácio 17 de Julho. Chegou atrasada, tadinha.

Visitas – Fazendo o papel que deveria ser da secretária de Saúde, Márcia Cury – diretora do Hospital do Retiro – tem visitado as unidades de emergência de Volta Redonda. Na última semana, ela esteve de madrugada no Hospital São João Batista. A quem encontrava, se apresentava. “Oi, eu sou a Márcia Cury”, disse. Para quem sabe ler…

Fumacê – O vereador e radialista Betinho Albertassi (PSD), em tempos da Covid-19, também anda preocupado com a dengue. Cobrou da secretaria de Saúde um calendário para que os carros fumacês passem nos bairros da cidade do aço. A SMS tem 15 dias para responder o parlamentar se tem ou não esse cronograma. E qual o planejamento, é claro.

Segurança (I) – O vereador Betinho Albertassi (PSD) enviou ofício ao comando do Batalhão do Aço pedindo reforço na segurança noturna e ampliação do ‘Patrulhamento Aprev’ para o Aterrado e o Retiro, que foi implantado apenas na Vila. “O crescimento dos roubos e furtos registrados nos principais centros comerciais tem gerado preocupação. Em função disso, entendemos ser necessária uma ação mais ostensiva da Polícia Militar nessas áreas da cidade”, declarou o vereador.

Segurança (II) – Pelo Patrulhamento ‘Aprev’, segundo Betinho, 10 PMs, especialmente treinados, realizam ações proativas, interagem com a comunidade potencializando a confiança e o fortalecimento do canal de comunicação, contribuindo assim para a redução dos índices de criminalidade.

Segurança (III) – Betinho poderia aproveitar e pedir explicações ao comando da Polícia Militar em Volta Redonda sobre o fato de os PMs estarem sendo obrigados, como o aQui revelou, a fazer ‘segurança’ para os carros de uma empresa que transporta cigarros pelas ruas do município.

Vaga – Ao fazer um discurso favorável ao não fechamento do comércio, o presidente da Câmara, Neném (DEM), fez um apelo para que a população também faça sua parte em não aglomerar. “Gente, não tem mais leitos de UTI em Volta Redonda. Todos os vereadores devem estar recebendo as mesmas ligações que eu, de pessoas pedindo ajuda para conseguir vaga”, disse. O vereador Jari (PSB) endossou. “Somente hoje (terça, 6) eu recebi cinco ligações, de pessoas diferentes, pedindo ajuda para conseguir vaga de UTI”, completou.

Denúncia – Por falar em Jari, ele usou a tribuna da Câmara na terça, 6, para fazer uma denúncia: disse que profissionais de educação física de Angra dos Reis teriam vindo a Volta Redonda, de ônibus, para serem vacinados contra a Covid-19. “Levei o caso ao conhecimento da secretaria de Saúde. Depois disso, de forma correta, a pasta começou a solicitar comprovante de residência”, comentou.

Da série… – O que tem sido feito com as doses de vacina que sobram nas unidades de saúde, as tradicionais ‘xepas’?

Educação física – O vereador Renan Cury defendeu na noite de terça, 6, a área da educação física – academias e professores – como essencial durante a pandemia da Covid-19. Ele lembrou que as academias ficaram fechadas durante cinco meses em 2020 e destacou que, um novo fechamento seria como um “suicídio” para os empresários, e causaria demissão em massa dos profissionais que trabalham na área. “Apenas algumas academias que tinham um pouco mais de estrutura conseguiram resistir durante a paralisação do ano passado. Para a grande maioria, um novo fechamento seria um desastre total”, pontuou.

Decreto – Na segunda, 11, o prefeito Neto terá que editar um novo decreto sobre a Covid-19 em Volta Redonda. O que está em vigor, com as medidas acordadas com a Justiça, vence no dia 11. A previsão é que a maioria das medidas seja renovada, como o horário do comércio e o funcionamento das escolas particulares. Quanto ao horário dos bares e restaurantes, aí já é outra história.

Luto – Aos 57 anos, morreu em decorrência da Covid-19 a guarda municipal Ilça Romanelli. Ela era conhecida por atuar na Patrulha Maria da Penha e estava internada no Hospital Regional.

Deixe uma resposta