Grampos

13º – A prefeitura de Volta Redonda liberou ontem, sexta, 7, o pagamento do 13º salário dos servidores aposentados e pensionistas. Algo em torno de R$ 9 milhões, dinheiro depositado na conta das cerca de 3,5 mil pessoas que estavam sem ver a cor do dinheiro desde dezembro de 2020. Os próximos a receber o 13º serão os servidores da ativa. “Já pagamos novembro e dezembro, que estavam atrasados, e iniciamos a quitação do 13º”, acentuou Erick Higino, titular da pasta da Fazenda, adiantando que a preocupação agora é conseguir dinheiro para pagar os CCs da gestão anterior, que estão sem receber os meses de novembro, dezembro e o 13º.

Parceria – A secretaria de Ação Comunitária e o Corpo de Bombeiros em Volta Redonda estão anunciando a volta do projeto ‘Bombeiro Mirim’, que pretende promover mudanças comportamentais, tornando as crianças e adolescentes multiplicadoras de informações úteis entre as famílias e a comunidade. O projeto é destinado a jovens de 7 a 17 anos, de ambos os sexos. A primeira comunidade a ser atendida será a de Três Poços, onde serão criadas 35 vagas.

Sopa para o azar (I) – No dia em que a cidade do aço contabilizava 752 mortes pela Covid-19, a prefeitura de Volta Redonda cedeu à pressão dos comerciantes e liberou ainda mais o horário das lojas e dos shoppings do município. Os shoppings, por exemplo, passaram a funcionar até as 22 horas, tudo por conta do Dia das Mães, é claro. Coincidência ou não, na quarta, 5, 17 novos óbitos pela Covid-19 foram registrados na cidade.

Sopa para o azar (II) – Outra coincidência que tem tudo a ver com a pressão dos lojistas e a Covid-19 foi a decisão do prefeito Neto de liberar o 13º atrasado dos aposentados e pensionistas. Pode ser só uma coincidência, mas que os empresários devem estar rindo à toa, isso ninguém pode negar. Afinal, cerca de R$ 9 milhões – dinheiro que ninguém acreditava mais que iria receber – foram depositados nas contas bancárias de 3,5 mil pessoas. Se forem espertas, elas não gastam, pois a crise da Covid-19 ainda vai durar muitos meses. É hora de economizar, e não de gastar. Como diz o gaiato de plantão: “Dê um super abraço na mamãe, pois ela merece. Quanto ao presente, ele pode ser um beijo; de longe, para não passar a Covid-19”.

Sopa para o azar (III) – Neto não está sozinho. O governador Cláudio Castro também deu uma de bonzinho e mandou antecipar o pagamento do salário de abril dos servidores públicos do Estado. Injetou, com uma canetada só, às vésperas do Dia das Mães a bagatela de R$ 1,85 bilhão nas contas de 465 mil servidores estaduais.

Sopa para o azar (IV) – Na entrevista ao programa Dário de Paula, Neto nem despistou. “Prestigiem o comércio de Volta Redonda no Dia das Mães. Vai ficar aberto no sábado (hoje, 8) até as 19 horas. Foi um pedido dos lojistas. Tá autorizado. É o segundo melhor dia de venda do ano para os lojistas, né? Compre, dê presente para as mães. Vai na Gravina! Na mesma calçada do Neto Esportes!”, disse, aproveitando para fazer propaganda da sua loja, a Neto Esportes.

Vacinação – Na sua live de terça, 4, o prefeito Neto deu a boa notícia: Volta Redonda já teria aplicado mais de 80 mil doses de vacinas. O total era de 83.248, sendo 60.201 relativas às primeiras doses e 23.047 das segundas doses, de acordo com a atualização da secretaria de Saúde.
Vacinação (II) – Neto comentou que está cobrando do Ministério da Saúde o envio da segunda dose da CoronaVac para aplicar nos idosos (cerca de 5 mil, grifo nosso). Aproveitou para deixar um recado: “Volta Redonda não tem culpa nenhuma. Estamos pedindo ao governo Federal, e estamos sentindo muito a falta da vacina, mas temos certeza que até o final dessa semana nós vamos ter doses suficientes para vacinar todos que estão precisando da segunda dose”, avaliou. Que assim seja!

Drive-thru (I) – Para Neto, a vacinação pelo sistema de drive-thru na Ilha São João foi “um sucesso”. Pode até ser, graças ao pessoal que cuidou desde a checagem dos documentos até a aplicação da vacina em si. Mas poderia ser melhor.


Drive-thru (II) – Na manhã de terça, 4, por exemplo, quando voltou a utilizar o sistema de drive-thru, a prefeitura até mandou sinalizar o caminho da Ilha São João desde a sede do Batalhão do Aço. Uma despesa desnecessária, pois os idosos que iriam se vacinar eram todos moradores de Volta Redonda. E 99,9% devem conhecer a Ilha São João, não é mesmo?

Drive-thru (III) – Tem mais. O pessoal da organização esqueceu do principal: de sinalizar por onde os motoristas deveriam entrar na Ilha São João. Muitos quebraram a cara e procuraram acessar o galpão da ilha pelo portão principal… que estava fechado.

Sem foto – Apesar de simpático e atencioso, o pessoal que aplicava a vacina nos idosos não permitia que ninguém descesse do carro para fotografar a vacinação em si. Dizia que eram ordens. Ordens de quem? Até prova em contrário, a orientação é que todos fotografem, filmem e acompanhem tudo de olhos bem abertos para evitar fraudes e golpes durante a vacinação.

Trapalhadas (I) – Conceição Souza, a secretária de Saúde de Piraí, ops, de Volta Redonda, voltou a atacar. Na noite de segunda, 3, a pasta postou no site da prefeitura as orientações para a vacinação que seria realizada na terça, 4. E deixou bem claro que os idosos, sem carro, poderiam procurar os postinhos dos bairros, com algumas exceções. Algumas senhoras do São Geraldo acreditaram em Conceição e foram até o postinho do bairro. A alegria se transformou em raiva, pois ficaram sabendo que o postinho não tinha vacina para aplicar a primeira dose em ninguém. Nem da AstraZeneca.

Trapalhadas (II) – Uma das atendentes do postinho da São Geraldo chegou a explicar às tristes senhorinhas que a secretaria de Saúde tinha mudado as regras e só teria avisado a elas quando o posto abriu. “Falaram que só tinham 150 doses”, justificou. Haja trapalhadas.

Trapalhadas (III) – Na segunda, 4, as primeiras trapalhadas no atendimento nos postos de vacinação já tinham sido verificadas no Santo Agostinho e no Conforto, escolhidos por Conceição para centralizar a aplicação da ‘segunda dose das parcas doses da CoronaVac’, que tinham chegado no domingo. Coisa de… para uma cidade do porte como Volta Redonda. É dose.

Médicos – Ainda na live, Neto voltou a bater na tecla de que está se virando para contratar médicos. E que melhorou os salários para atrair os interessados. Mas não disse quantos já conseguiu contratar até hoje. “Não tá fácil, mas nós vamos contratar médicos necessários”, disse, anunciando que precisa dos profissionais ‘o mais rápido possível’ para inaugurar o anexo da FOA no Hospital do Retiro. “Nosso agradecimento a todos que participaram dessa obra. Ficou muito, muito, muito legal”, avaliou, referindo-se às obras físicas da nova unidade.

Não é bem assim (I) – Com relação às doações que teriam sido feitas para o início, meio e fim das obras do anexo do Hospital do Retiro, que ainda não está sendo usado, Neto acabou confessando que ninguém doou nada para os cofres do Palácio 17 de Julho. As doações, até prova em contrário, teriam sido feitas para a CDL-VR. E a entidade teria usado o dinheiro recebido para pagar a empreiteira ou empreiteiras que tocaram as obras do anexo do Hospital do Retiro.

Não é bem assim (II) – A revelação foi motivada por uma pergunta de Dário de Paula sobre os respiradores que a prefeitura devolveu à Federação Paulista de Futebol, doados e com problemas de uso. “Nós acertamos o modelo que nós estamos querendo e, na semana que vem, se Deus quiser, (os novos respiradores) vão chegar”, disse Neto, aproveitando para agradecer os que doaram para a prefeitura, ops, para as obras.

Não é bem assim (III) – Veja o que Neto respondeu a Dário quando questionado se empresários doadores teriam depositado para a prefeitura ou teriam depositado o dinheiro para a empreiteira que estaria fazendo o negócio. “Não! Eles acertaram direto com a empreiteira. O município não recebeu…”, confessou.

Da série “Perguntar não ofende” – Quem vai prestar contas das doações feitas, dindim por dindim, para a prefeitura, para a CDL-VR ou para a empreiteira e empreiteiras que fizeram uma obra em nome do Poder Público?


A volta – O ex-vereador Maurício Batista, um dos poucos do governo Samuca que se salvaram por ter feito um bom trabalho à frente da secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana de Volta Redonda, já está trabalhando a sua volta à política. Depois de vencer a Covid-19, Maurício começa a trabalhar sua candidatura à Alerj nas eleições de 2022.

Motos barulhentas (I) – Na quinta, 6, a Guarda Municipal de Volta Redonda fez uma operação na Via Sérgio Braga, próximo ao antigo refeitório da CSN, no Conforto, e recolheu cinco motos para o pátio municipal. Entre os problemas registrados pela GM para fazer o recolhimento das motos, estavam “cano de descarga aberto para fazer mais barulho; motos sem placa, farol ou outros equipamentos obrigatórios; e estacionamento irregular sobre a calçada”. Detalhe: todas as motos estavam estacionadas.

Motos barulhentas (II) – Para ser justa, a GM deveria fazer a operação no início da noite, quando os motoqueiros de delivery fazem verdadeiras maluquices no trânsito da cidade, a maioria fazendo barulho infernal e buzinando como loucos.

Hospital (I) – Na sua entrevista ao programa Dário de Paula de quinta, 6, o prefeito Neto confirmou que até hoje não retomou a administração do Hospital São João Batista, que está sob intervenção judicial desde o final do governo Samuca. Quando isso ocorrer, segundo ele, o vice-prefeito, Sebastião Faria, vai reassumir o comando da unidade. “Ele consertou o Hospital de Angra (dos Reis). Vai consertar o nosso Hospital aqui, pela competência que ele tem”, comentou.

Hospital (II) – A surpresa maior, entretanto, foi revelada fora do ar. O vereador Hálison Vitorino (PP) decidiu largar o mandato para assumir o posto de diretor administrativo do Hospital São João Batista. Na Câmara, a cadeira de Vitorino será ocupada por Guilherme Sipe, suplente de 1.206 votos obtidos na região do Santa Cruz.

Hospital (III) – Indagado se Hálison iria substituir Faria na administração do HSJB, a secretaria de Comunicação do governo explicou que o vereador licenciado responderá a Faria (que é diretor geral) como diretor administrativo da unidade. Importante: Hálison era assessor da direção do hospital. Mas não ficou muito: saiu após um ano na função, por brigas constantes com seus superiores.

Hospital (IV) – O que pouca gente sabe é que Hálison, novo integrante da equipe de Neto, foi assessor de Samuca e fez parte da equipe do Hospital São João Batista. Não deve ter gostado do Parlamento, pois, segundo uma fonte, teria pedido a Neto para assumir uma diretoria do HSJB.

Hospital (V) – Outra que poucos sabem: o substituto de Hálison, o agora vereador Guilherme Sipe (PP), também foi CC de Samuca. Trabalhava na Policlínica da Cidadania, bem perto da Casa das Leis. Detalhe: foi candidato, em 2016, pelo PV de Samuca, e alugava caminhões para o Palácio 17 de Julho.

Mexida – Há quem garanta que a dança das cadeiras na Câmara de Volta Redonda tem um responsável: o deputado Antônio Furtado (PSL).

Saúde (I) – Provocado por Dário a falar da demissão de Maria Lúcia, mulher de Pezão, que ocupava dois cargos na área da Saúde, anunciada com exclusividade pelo aQui nas redes sociais, Neto disse que ela teria pedido para sair. “Foi uma perda muito grande. Ela estava conseguindo organizar as finanças do Fundo da Saúde. A gente lamenta muito, muito mesmo, mas ela recebeu uma proposta melhor para ir trabalhar no Rio. Vai, e quem perde é Volta Redonda”, avaliou. “Tanto ela quanto Pezão (ex-governador) nos prometeram continuar ajudando, porque é muito importante a ajuda dela, do Pezão”, completou. “Uma pessoa do bem”, sentenciou.

Saúde (II) – Neto garantiu que ainda não tem o nome de quem vai assumir o posto de Maria Lúcia. “Nós estamos conversando, eu e a Conceição, pra ver quem vai poder substituir o insubstituível, porque ela (Maria Lúcia) é insubstituível, pelo trabalho que estava fazendo”, justificou. “Mas é vida que segue”, disparou. “Não consegui segurar. Tentei. Te confesso que eu tentei, porque hoje você não pode perder pessoas competentes. Onde ela for, vai fazer um ótimo trabalho, mas vou fazer o quê?”, pontuou. Em tempo: segundo uma fonte, Maria Lúcia deve ir trabalhar na Assembleia Legislativa.

Nomes – Os vereadores de Volta Redonda não querem mais ler seus nomes de batismo nos atos oficiais da Casa. Querem ser chamados pelos seus nomes de guerra ou apelidos que usam nas urnas. O projeto de resolução 004/2021, que ainda será votado, é de autoria de José Humberto Albertassi Junior e Nilton Alves de Faria. Ou, melhor, dos vereadores Betinho Albertassi e Neném.

Veto – Agora é lei: a Câmara de Volta Redonda, por unanimidade, derrubou o veto do prefeito Neto ao projeto de lei que cria o Programa de Castração Móvel destinado ao controle populacional de cães e gatos no município. O projeto é do vereador Paulo Conrado.

Sem chance – Por falar em Câmara, os vereadores já se preparam para começar a julgar as contas do ex-prefeito Samuca, que foram rejeitadas pelo TCE. Uma desaprovação pode tornar Samuca inelegível. Neto, entretanto, disse que não vai atuar contra o inimigo. “Eu não vou me meter nisso”, disse. Nem precisa. É pule de dez que a Casa de Leis vai rejeitar as contas do ex-prefeito. Se isso vale alguma coisa, é outra história, afinal Neto virou prefeito.

Afastados – Não chamem para dividir a mesma mesa o prefeito Neto e o vereador Jari, antigo aliado do chefe do Executivo. É que Jari, afilhado político do ex-vice-prefeito Paiva, anda tendo postura crítica a Neto. Quer passar a impressão de ser “independente”. Motivo: as eleições para deputado estadual em 2022.

Se afastando – Quem também pode ficar de fora da mesa palaciana é o vereador-radialista Betinho Albertassi. Ele e Neto já bateram boca em voz alta. Tudo por conta das últimas votações na Câmara. Betinho, por exemplo, votou contra o aumento do percentual da previdência dos servidores. E há quem garanta que vai votar contra o aumento da taxa de luz.

Pagode – No domingo, 2, a força-tarefa da prefeitura de Volta Redonda pôs fim, vejam só, a um tremendo pagode que estava acontecendo em via pública, no Belmonte, na Avenida Grande Oriente. É mole?

Terapia – A prefeitura de Volta Redonda criou um serviço de terapia comunitária integrativa on-line. Promete amparar qualquer pessoa, principalmente as famílias vítimas da Covid-19. Os interessados devem se inscrever no site https://new.voltaredonda.rj.gov.br, na aba “Coronavírus – Informações e Vacinação”, preenchendo todos os dados do cadastro.

Rompendo (I) – De Barra Mansa vem a informação que interessa a muitos políticos de Volta Redonda. O prefeito Rodrigo Drable e o deputado estadual Marcelo Cabeleireiro já não estão falando a mesma língua. A crise entre os dois teria piorado com o vídeo que Drable postou ao lado do governador Cláudio Castro, onde os dois aparecem dentro de um carro mostrando ser amigos de longa data.

Rompendo (II) – Na conversa descontraída, o prefeito arrancou várias promessas para Barra Mansa, desde que Drable não deixasse Marcelo faturar politicamente em cima delas. “O governador não quer ver o deputado pintado de ouro”, revelou uma fonte, garantindo que a má vontade de Cláudio Castro estaria ligada ao fato de o parlamentar ter votado contra a venda da Cedae. Ou seja, votou contra orientação de Castro.

Rompendo (III) – O engraçado é que Drable teria feito uma reunião com os vereadores de Barra Mansa para detalhar as promessas do governador e teria dito que faria questão do deputado junto com ele. “O problema é a danada da vaidade”, comentou a fonte para justificar a crise entre prefeito e deputado. “Em vez de surfar na onda do prefeito, que está na moda, Marcelo quer disputar quem é mais forte, o que vira motivo de piada” acrescentou, certo de que a reeleição do deputado corre perigo. “Todos sabem que ele só foi eleito com o apoio do prefeito. Desta vez, os candidatos deverão ser outros”, completou, dando ‘nome aos bois’: “O doutor Sérgio Gomes, secretário de Saúde, tem feito um trabalho reconhecido na região e deverá ser candidato a deputado estadual. E o presidente da Câmara, o vereador Luís Furlani, deverá sair como Federal”, disse. “Drable, que está com grande aceitação na região, deverá eleger os dois”, aposta.

 

Deixe uma resposta