Deu ruim

Roberto Marinho

Uma cena chocante chamou a atenção de quem passava pelo Largo Nove de Abril, na Vila, na tarde de quarta, 16. Dois homens, que seriam flanelinhas, teriam reagido à abordagem da Guarda Municipal e acabaram sendo contidos à força por cinco GMs. Um deles chegou a ser agredido a golpes de cassetete, mesmo estando no chão, imobilizado pelo pescoço, enquanto os demais seguravam o segundo suspeito e tentavam impedir a aproximação de populares que com celulares queriam filmar a agressão.
O episódio revoltou quem passava pelo local e vários vídeos foram postados nas redes sociais. Entre os internautas, não houve unanimidade. Muitos criticaram o uso excessivo da força por parte da Guarda Municipal – que é alvo de uma CPI na Câmara que apura, vejam só, a truculência do comandante João Batista dos Reis contra seus próprios subordinados. Houve também, por parte dos internautas, aqueles que deram apoio à abordagem, insinuando, inclusive, que os envolvidos seriam ‘velhos conhecidos’ e viviam arrumando confusões na Vila com motoristas que estacionavam seus veículos em vagas ‘dominadas por eles’ apesar de serem parte do estacionamento rotativo.
Os dois homens – não identificados, assim como os guardas – foram encaminhados para a 93a Delegacia de Polícia, onde foi constatado que um deles – o que foi atingido a golpes de cassetete – já teria passagens por desacato, quando ainda era menor de idade, e por agressão à companheira, tendo sido enquadrado na Lei Maria da Penha. Em depoimento, o Guarda Municipal que originou a confusão afirmou que foi ameaçado de morte enquanto estava em uma lanchonete do Largo 9 de Abril.
As alegações foram confirmadas pelo depoimento de uma das atendentes da lanchonete e ainda pelas câmeras de segurança do estabelecimento que mostram o momento em que o suposto flanelinha entrou para ‘conversar’ com o GM. Houve uma rápida discussão entre eles e o homem saiu dando a impressão que ia embora. Ledo engano. Em questão de minutos, ele retornou e o bate-boca entre eles recomeçou. Quando a agressão verbal já ia passar para as via de fato, o homem foi retirado pelo colega com a ajuda das atendentes da lanchonete. Do lado de fora, o suspeito de começar a confusão teria feito a ameaça o que levou o guarda a sair da lanchonete correndo atrás dele. E deu no que deu.
A Polícia Civil está investigando o caso, e a Guarda Municipal lançou uma nota onde afirma que a GM está sendo solicitada a fazer um trabalho mais ostensivo na Vila Santa Cecília, onde estariam ocorrendo muitos crimes de furtos, roubos e extorsões, mas que eventuais excessos dos agentes na abordagem serão apurados.

Deixe um comentário