Dados atuais

Neto promete tomar medidas ainda mais enérgicas. Mortes chegam a quase 400

Janeiro foi o pior mês da pandemia em Volta Redonda. Os números de notificados, confirmados e óbitos subiram assustadoramente do início do mês até hoje. Para piorar, há 57 pessoas internadas nos hospitais da cidade, ocupando tanto leitos de enfermaria quanto de UTI. De acordo com o boletim epidemiológico da prefeitura, do dia 6 de janeiro até o dia 28, as notificações saltaram de 37.764 para 43.702, indicando um aumento de 15%. O percentual é ainda maior quando se compara os casos confirmados: 12.469 contra 16.596 (33%), e ainda 73 óbitos (aumento de 23%). O prefeito Neto alega que os dados são do governo passado e que foram divulgados com atraso, inchando o boletim de janeiro. Mas a história não é bem essa. Os dados são recentes e vêm sendo atualizados diariamente pelo Estado.
Segundo o aQui apurou, a secretaria de Estado de Saúde não tem atrasado a divulgação de resultados. Os dados são liberados de uma semana pra outra, ou em alguns casos, em no máximo cinco dias. O gabinete de crise do Estado mantém-se intacto e as informações sobre a Covid-19 são consideradas urgentes para a equipe da SES. Houve, de fato, um aumento significativo nos números do Coronavírus em Volta Redonda. Questionada acerca de quais medidas o prefeito Neto tomará daqui pra frente, a equipe de comunicação disse que está sendo preparado um novo decreto com medidas ainda mais rígidas para o enfrentamento da doença no município. E garantiu que, apesar de a folia do Car-naval ter sido cancelada, o feriado será mantido.
Vacina
A semana não foi de muita novidade, exceto pela chegada de um novo carregamento de vacinas, desta vez da Astrazeneca. Os imunizantes chegaram na segunda, 25, e na terça, 26, a prefeitura já deu prosseguimento ao cronograma de vacinação para o público-alvo desta fase. Até a última quarta, 27, o município já tinha ultrapassado a marca de duas mil pessoas vacinadas. “Os imunizantes foram aplicados em pessoas do grupo prioritário, formado por profissionais da saúde, idosos residentes em asilos e bombeiros. Até o momento, 2.159 pessoas que fazem parte do grupo prioritário definido pelo Ministério da Saúde já receberam doses da vacina”, informou a assessoria de comunicação da prefeitura.
Segundo a equipe, Volta Redonda foi prejudicada na primeira fase da distribuição das vacinas (Coronavac) pelo quantitativo muito aquém da necessidade do município. “Isso aconteceu depois do governo do Estado ter levado em consideração dados lançados no sistema de saúde ao longo dos anos passados”, justificou. A afirmação, em parte, é verdadeira, mas em parte esconde uma falha no serviço de saúde local. Os governos Estadual e Federal, de fato, se basearam na alimentação dos sistemas por parte dos municípios, para definir o quantitativo das vacinas. E o sistema usado foi o mesmo da vacina da Influenza, em 2019. Os municípios que deixaram de informar o sistema, ou que não vacinaram um quantitativo alto, realmente perderam na contagem das vacinas.
A questão foi apurada pelo aQui junto à SES. De acordo com informações do Estado, Barra Mansa saiu na frente porque, além de ter vacinado um bom número da população contra a Influenza, ainda manteve seus sistemas em dia, facilitando o cálculo das vacinas contra a Covid-19. “Fizemos uma rápida atuação de atualização da secretaria Municipal de Saúde e a situação foi contornada. Por isto, o município passou a ser um dos que mais doses receberam da vacina contra o Coronavírus nesta segunda remessa”, explicou a assessoria de Comunicação de Volta Redonda.
Ao todo, foram 1.863 doses de Coronavac e outras 2.690 da vacina de Oxford/AstraZeneca já entregues. Volta Redonda aguarda ainda uma segunda remessa da Coronavac, com 2.263 doses (mesma carga anterior e mais 400 doses extras) nas próximas semanas. “A previsão é início de fevereiro e servirá para completar a imunização das pessoas que receberam a vacinação nos últimos dias e ainda imunizar outras 200 pessoas”, explicou, acrescentando que também é esperada uma segunda carga da vacina Astrazeneca, prevista para a segunda quinzena de fevereiro.
Hospitais
Referência no tratamento da Covid-19 na região, o Hospital Regional foi alvo da vacinação ao longo da semana. Os profissionais que atuam na unidade receberam as primeiras doses da vacina da Astrazeneca na terça, 26. Cerca de 960 profissionais do Regional foram vacinados. No dia anterior, na segunda, 25, foi a vez dos funcionários da Unimed receberem a primeira dose da vacina. Na quarta, 27, o cronograma seguiu para os profissionais do Hospital Santa Cecília e Hinja. Para a semana que vem, é esperado que a vacina chegue às equipes das Unidades Básicas de Saúde (UBS).

 

Aplicativo permite agendar testagem para Covid-19

A tecnologia é protagonista no enfrentamento da Covid-19. Tanto é verdade que o Hospital Regional vem disponibilizando exames de RT-PCR (que detectam anticorpos da Covid), de forma gratuita. O agendamento do serviço deve ser feito através do aplicativo “Dados do Bem” – disponível na Play Store – e a coleta é feita das 8 às 17 horas no próprio hospital. A boa notícia é que o resultado fica pronto em até 72 horas e também é disponibilizado pelo app.
Os interessados devem baixar o aplicativo, responder o questionário de auto-avaliação e ao final do atendimento é disponibilizado um QR Code, que funciona como voucher de confirmação. Esse voucher deve ser apresentado junto com a carteira de identidade do usuário, para que se tenha acesso ao exame. É simples e prático!

Deixe uma resposta