Curtas 1239

BIKE PARK
Às vésperas do Carnaval, três empresas da construção civil estiveram no Parque Natural Municipal Fazenda Santa Cecília do Ingá, em Santa Cruz, para conhecer o local que abrigará o Bike Park, projeto que vai disponibilizar aos ciclistas da região trilhas com diferentes tipos de modalidades e um ponto de atendimento central para que possam descansar das atividades. A primeira etapa prevê a construção de quatro trilhas com sinalização e instalação de manutenção de bicicletas.
Os trabalhos serão iniciados em abril e a previsão é de que as obras sejam finalizadas em julho. Tudo por conta da CSN, que é responsável pelo projeto, pela compra dos materiais, mão de obra e toda a estrutura do local, como parte de um Termo de Ajustamento de Conduta, firmado com o município e a Justiça.
De acordo com o responsável pelo parque, Caio Vinicius Couto, o projeto foi feito em cima de uma padronização internacional. “Com a implantação do Bike Park, a Fazenda do Ingá vai cumprir o seu papel de parque, servindo para que as pessoas possam conviver com a natureza de forma estruturada. Além disso, essas trilhas poderão ser utilizadas também por pedestres, o que vai contribuir muito para a educação ambiental”, crê.
Para oferecer conforto aos usuários, o parque terá um ponto para lanchonete, área de socialização, estacionamento, além de estruturas básicas como recepção, bancos em áreas verdes, estações de encontro com mapas e placas de orientação, segurança e informações para os usuários.
O gerente-geral de Meio Ambiente da CSN, Cláudio Graffunder, comentou a importância do Bike Park para cidade do aço e para a empresa. “É gratificante para a CSN fazer parte desse projeto. Acreditamos que investir no meio ambiente melhora significativamente a qualidade de vida da população de Volta Redonda”, afirmou.
O Parque Natural Municipal Fazenda Santa Cecília do Ingá tem 211 hectares e é a maior área verde de Volta Redonda, sendo que 90 hectares são cobertos por mata atlântica nativa e trechos reflorestados. Vale ressaltar que a Fazenda Santa Cecília do Ingá se reveste de grande importância na preservação dos recursos hídricos, tendo em vista que a mesma possui uma represa no interior.

 

Vagas para travestis e transexuais
Atenção, empresários de Volta Redonda e região: se o Projeto de Lei 144/21 for aprovado na Câmara, todas as empresas, com mais de 100 empregados, que gozem de incentivos fiscais, participem de licitação ou que mantenham contrato ou convênio com o Poder Público Federal terão que contratar pessoas autodeclaradas travestis e transexuais na proporção de, no mínimo, 3% do total de seus empregados.
Pela proposta em análise na Câmara dos Deputados, a mesma reserva será aplicada às vagas de estágios e trainees dessas empresas. Caso as empresas descumpram os percentuais, ficarão sujeitas à perda dos incentivos fiscais ou à rescisão do contrato ou convênio.
Autor do texto, o deputado Alexandre Padilha (PT-SP) cita estimativa da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) apontando que 90% das pessoas trans recorrem à prostituição ao menos em algum momento da vida, por conta da exclusão do mercado de trabalho. Para o parlamentar, os dados mostram “a necessidade urgente de o poder público estimular a contratação de pessoas transgêneras para superar tamanha exclusão e vulnerabilidade”.
Normas
O projeto garante o respeito à autodeclaração de identidade de gênero em sua integralidade no ambiente de trabalho. Isso inclui o respeito ao uso do nome social; ao modo de vestir, falar ou maneirismo; ao uso do banheiro do gênero com o qual a pessoa trans se identifica; e a realização de modificações corporais e de aparência física. A proposta prevê que o nome civil da pessoa trans seja utilizado apenas para fins administrativos internos.
Fonte: Agência Câmara de Notícias

 

Vagas para travestis e transexuais
Atenção, empresários de Volta Redonda e região: se o Projeto de Lei 144/21 for aprovado na Câmara, todas as empresas, com mais de 100 empregados, que gozem de incentivos fiscais, participem de licitação ou que mantenham contrato ou convênio com o Poder Público Federal terão que contratar pessoas autodeclaradas travestis e transexuais na proporção de, no mínimo, 3% do total de seus empregados.
Pela proposta em análise na Câmara dos Deputados, a mesma reserva será aplicada às vagas de estágios e trainees dessas empresas. Caso as empresas descumpram os percentuais, ficarão sujeitas à perda dos incentivos fiscais ou à rescisão do contrato ou convênio.
Autor do texto, o deputado Alexandre Padilha (PT-SP) cita estimativa da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) apontando que 90% das pessoas trans recorrem à prostituição ao menos em algum momento da vida, por conta da exclusão do mercado de trabalho. Para o parlamentar, os dados mostram “a necessidade urgente de o poder público estimular a contratação de pessoas transgêneras para superar tamanha exclusão e vulnerabilidade”.
Normas
O projeto garante o respeito à autodeclaração de identidade de gênero em sua integralidade no ambiente de trabalho. Isso inclui o respeito ao uso do nome social; ao modo de vestir, falar ou maneirismo; ao uso do banheiro do gênero com o qual a pessoa trans se identifica; e a realização de modificações corporais e de aparência física. A proposta prevê que o nome civil da pessoa trans seja utilizado apenas para fins administrativos internos.
Fonte: Agência Câmara de Notícias

 

Licenciamento de 2021 vai até setembro
Os motoristas de Volta Redonda e região não precisam se apressar para regularizar o licenciamento anual 2021 no Detran. Em função da pandemia, diversos prazos, como o do licenciamento anual, foram ampliados, e o primeiro final de placa para o licenciamento 2021 vence somente no fim de setembro. O calendário foi dividido em quatro datas. Veja na tabela abaixo:

– Final de placa 1 a 2 => Até 30/09/2021
– Final de placa 3, 4 e 5 => Até 31/10/2021
– Final de placa 6, 7 e 8 => Até 30/11/2021
– Final de placa 9 e 0 => Até 31/12/2021

É importante reforçar também que os usuários têm até abril para regularizar o documento de 2020. De acordo com o calendário abaixo.
– Final de placa 0, 1 e 2 => Até 27/02/2021
– Final de placa 3, 4, 5 e 6 => Até 31/03/2021
– Final de placa 7, 8 e 9 => Até 30/04/2021

Neste ano, o licenciamento é 100% digital. Basta pagar a Guia de Regularização de Taxas (GRT), no valor de R$ 219,37, obtida através do site do Detran (www.detran.rj.gov.br) ou do Bradesco (www.bradesco.com.br). O pagamento do Seguro DPVAT ainda é exigido para o licenciamento anual de 2020. Após determinação do governo federal, a taxa DPVAT não será cobrada para o licenciamento de 2021.
Após a compensação das taxas, o usuário estará apto para usar o documento digital, chamado de CRLVe. O acesso pode ser feito pelo aplicativo Carteira Digital de Trânsito ou pelo site do Denatran. O primeiro passo é se registrar, pelo próprio aplicativo, no gov.br, que é o cadastro do governo federal para documentação em geral. Nele, o motorista também pode baixar a CNH Digital, válida em todo o território nacional. A atualização do documento é automática e demora cerca de dez dias úteis após o pagamento da GRT.

Deixe uma resposta