Compasso de espera

Julgamento de Neto ainda não tem data para acontecer

O pedido do vice-procurador geral eleitoral, Renato Brill de Góes, de um novo julgamento do processo de cassação da candidatura do prefeito Neto, ainda não tem data para ocorrer. Essa semana, os advogados de Neto protocolaram as contrarrazões e a ação seguiu para conclusão. A data para isto acontecer, porém, ainda não foi marcada. “Eu acho que leva mais algum tempinho para ser votado lá no Tribunal, mas eu estou muito, muito, muito confiante. Centenas de casos idênticos ao meu foram favoráveis ao candidato”, ressaltou Neto, durante entrevista a Renan Cury no programa Dário de Paula.
Confiante, Neto acredita que o fato de ter ganhado no primeiro turno, com 57% dos votos válidos, pode convencer os ministros do TSE a indeferir o pedido do vice-procurador geral. Aliás, esse é o argumento inicial da defesa do prefeito eleito. “Eu acho que os envolvidos na política achavam que seria impossível alguém ganhar no primeiro turno disputando uma eleição com 14 candidatos, dizendo que eu não iria assumir se eu ganhasse e, mesmo assim, a população votou na gente. Confiaram na gente, em mim e no Faria. Não fizemos acordo com ninguém, não temos compromisso com ninguém. O único compromisso que eu e Faria temos é com a população de Volta Redonda”, reiterou.
Nas contrarrazões, a que o aQui teve acesso, a defesa de Neto reforçou que “a improbidade administrativa deve ser uma ilegalidade qualificada, pela intenção de corrupção, desvio, mau barateamento dos recursos públicos, e é eminentemente dolosa”, o que, segundo os advogados, não se aplica ao caso de Neto. O pedido da vice-procuradoria é para que o processo do prefeito Neto seja julgado pela corte de ministros do TSE e não apenas pelo relator, como ocorreu no final de dezembro.

Deixe um comentário