‘Ânimos exaltados’

Vinícius de Oliveira

O vereador Paulinho do Raio-X, afastado da Câmara desde que foi preso em flagrante, em março, acusado de extorquir o prefeito Samuca Silva, não prestou depoimento à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investiga o caso, marcado para quinta, 16. Frustrou a todos que o esperavam ansiosamente. Através de um procurador, o parlamentar entrou com um atestado médico, de 40 dias, para justificar sua ausência. Ele seria o último personagem da trama a ser ouvido. O engraçado é que o prazo do atestado vai além de 19 de maio, data prevista para o encerramento dos trabalhos da CPI.

De acordo com o vereador Dinho, relator do processo, sem o depoimento de Paulinho do Raio-X, o resultado final fica comprometido. “Todos os citados no caso já foram ouvidos. Começamos com o prefeito, dois assessores dele e os outros vereadores (Neném e Carlinhos Santana). Só faltava mesmo o Paulinho. Sem o depoimento do parlamentar, fica muito difícil darmos um parecer. Não podemos questionar o atestado médico dele, e nem temos esse direito. Além disso, ele tem direito a ampla defesa e ao contraditório”, explicou o relator da CPI.

Mas, para Rodrigo Furtado, presidente da CPI, que voltou a fazer parte do blocão do prefeito Samuca Silva (ele tinha se filiado ao PTB de Neto e voltou atrás), Paulinho do Raio-X é culpado do crime que está sendo acusado. Pior: tem espalhado sua opinião não só pelos corredores da Câmara, mas também para a imprensa, embora tenha determinado que o processo devesse seguir sob total sigilo, inclusive impedindo que os jornalistas participassem dos interrogatórios.

Em recente entrevista a um jornal diário, o presidente da CPI deu a entender que Paulinho do Raio-X não teria salvação, mesmo antes de ouvi-lo. “Temos as provas que já vieram a público, mais outras colhidas pelo Ministério Público do Estado do Rio e a Ciaf, e que estão no processo que corre em sigilo no Tribunal de Justiça. Posso adiantar que esse material inclui outras gravações feitas quando o prefeito estava colaborando com a investigação. Além disso, temos os diversos depoimentos que foram feitos à CPI. Asseguro que já existem evidências para que haja desdobramentos contra o parlamentar afastado”, pontuou o vereadoradvogado. 

Tem mais. De acordo com assessores parlamentares ouvidos pelo aQui, Rodrigo já teria elaborado a petição da denún-cia que pretende fazer contra Paulinho do Raio-X. O documento deverá ser protocolado na Câmara já na próxima quinta, 22. Esse docu-mento, se aprovado, pode levar à cassação do mandato do vereador.

O comportamento julgador de Furtado teria sido responsável pelos problemas de saúde apresentados por Pau-linho. Pelo menos é o que alegam alguns interlo-cutores do mesmo. “Talvez ele esteja tendo um colapso nervoso, pois já viu na imprensa que Furtado pretende conde-ná-lo independentemente de ouvi-lo ou não. [Paulinho] Teve um siricutico por causa disso”, debochou uma fonte, criticando Furtado.

As declarações julga-doras de Furtado não perturbaram apenas os ânimos de Paulinho do Raio-X. Atingiram a própria Casa. Tido por muitos como “precipi-tado”, o presidente da CPI arrumou briga até com o vereador Neném, presi-dente da Câmara, por não aceitar críticas ao modo como estaria direcionando o processo investigatório.

O quiproquó entre Neném e Furtado teria ocorrido na quinta, 16, um dia depois de o presidente da Câmara e Carlinhos Santana, envolvidos no processo contra Paulinho do Raio-X, terem ido depor à CPI. “Eu só espero que esse processo seja conduzido de forma imparcial, justa e respeitosa”, disparou Neném ao aQui. “Eu penso, até o momento, que as perguntas feitas a mim foram normais. Não senti desrespeito. Eu acre-dito e confio que o mesmo tenha acontecido com os outros ouvidos pela CPI”, completou o presidente da Casa, tentando se esquivar ao ser questionado sobre os motivos que os levaram (ele e Furtado) a quase sair no tapa.

Deixe uma resposta