Grampos

Histórias que ficam
A Fundação CSN lançou ontem, sexta, 17, em evento on-line no Youtube, a 3ª edição do programa de fomento e difusão do documentário brasileiro “Histórias que Ficam”. Na prática, a Fundação está lançando um edital para documentário audiovisual, preferencialmente em processo de produção ou finalização, que colabore na discussão de temas relevantes para a sociedade. Interessados têm até o dia 15 de outubro para inscreverem seus projetos no site www.documentariosquetransformam.org.br e concorrerem a prêmios de R$ 100 mil a R$ 150 mil. A novidade é uma iniciativa da Fundação em parceria com o DOCSP, através da plataforma internacional Good Pitch Brasil.
Segundo informações do edital, serão selecionados cinco projetos que irão participar de três processos formativos entre dezembro de 2021 a março de 2022. Dentre eles estão um laboratório de distribuição de impacto e consultorias para o desenvolvimento de campanhas de divulgação dos documentários. Ao final, os cinco selecionados participarão do Good Pitch Brasil – plataforma mundial de networking de impacto para documentários, que reúne talentosos documentaristas da produção independente brasileira com agentes de mudança para a transformação social –, que acontece no início de 2022.
Os prêmios serão distribuídos em duas ocasiões diferentes, o que permitirá que cada projeto concorra para receber os dois prêmios de forma simultânea. Em 2021, será entregue o prêmio Work in Progress, no valor de R$ 100 mil; e os R$ 150 mil serão entregues em 2022 durante o Good Pitch Brasil. As datas e o regulamento de participação estão descritos no edital.

Crescimento concreto
A CSN anunciou que celebrou um contrato de aquisição (100% das ações) da cimenteira LafargeHolcim Brasil S.A, por U$ 1,025 bilhão. O negócio está sujeito à análise do Cade e, se for aprovado, aumentará a capacidade produtiva da CSN Cimentos para 16,3 milhões de toneladas de cimentos por ano. Há cerca de um mês, a CSN já havia anunciado a aquisição da Elizabeth Cimentos. Com as duas cimenteiras e mais as unidades da empresa em Volta Redonda e Arcos (MG), a CSN poderá sair da quinta para a terceira posição entre as maiores produtoras de cimento do país.
Considerando os novos projetos, a CSN pretende manter o seu plano de crescimento na produção de cimento de 16,3 toneladas anuais para 27,5 toneladas até 2033. Até lá, a empresa pretende expandir seus negócios, com abertura de filiais nos estados do Paraná, Pará, Ceará e Sergipe. “Nosso objetivo é ser o maior grupo cimenteiro brasileiro, não em termos de capacidade, mas em quantidade comercializada”, disse Benjamin Steinbruch, que aposta na falta de infraestrutura e no déficit de moradia no país para garantir o potencial de expansão no setor cimenteiro do Grupo Siderúrgico.

 

Vai vendo (I) – A Comissão de Normas Internas e Proposições Externas, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), aprovou na quarta, 15, os delegados de Polícia Civil Rafael Carvalho e Marcos Cipriano para os cargos de conselheiros da Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado (Agenersa). Os nomes foram indicados pelo governador Cláudio Castro, mas os dois serão submetidos à aprovação dos deputados em plenário. O mandato é de quatro anos.

Vai vendo (II) – Nada contra os delegados indicados pelo governador, mas não seria mais prudente escolher – para ocupar cargos de conselheiros da Agenersa – pessoas que entendam de água e saneamento básico? Delegado da Polícia Civil, até prova em contrário, deve entender mesmo é de tentar prender bandidos…

Bomba (I) – Por falar em Polícia Civil, Leon, como é conhecido um dos melhores agentes da 93ª DP, estaria pensando seriamente em tentar a vida política como pré-candidato a deputado federal nas eleições do ano que vem.

Bomba (II) – Quem também estaria disposta a sair como pré-candidata à Câmara Federal seria a ex-vereadora América Tereza. Ela é fera. Que seja candidata e que se eleja, pois a cidade do aço precisa de bons representantes em Brasília.

Recado – Gabi Cunha, filha do polêmico Eduardo Cunha, ex-deputado federal e ex-homem-forte de Brasília, já está dando seus recados pela Rádio 88 FM de Volta Redonda. A jovem, como todos sabem, quer seguir o mesmo caminho do pai e se eleger para a Câmara em 2022. Em Barra Mansa, por exemplo, deve se lançar como pré-candidata em dobradinha com Ademir Mello.

Bar – A força-tarefa da prefeitura de Volta Redonda continua trabalhando nas noites da cidade do aço. Entre sexta, 10, e domingo, 12, por exemplo, fechou um bar no Aterrado, por conta de aglomeração. Segundo informações oficiais, os agentes visitaram 75 estabelecimentos em 18 bairros. Além de fechar o barzinho, cujo nome não foi revelado (por que será?), a força-tarefa emitiu várias notificações e autos de infração. Que não pare de agir.

Sangue – O Hemonúcleo de Volta Redonda, que funciona anexo ao Hospital São João Batista, continua com o estoque em baixa, agravado pela pandemia da Covid-19. Por isso, a unidade, que atende aos hospitais do Retiro, São João Batista, Hinja e o antigo Cais do Aterrado, além de cidades como Piraí e Pinheiral, alerta para a necessidade da doação de sangue de todos os tipos, principalmente os dos tipos sanguíneos ‘O’ e ‘B’ positivo e ‘O’ negativo.

13º – O prefeito Neto anunciou na sua live de terça passada que vai liberar metade do 13º do pessoal que trabalha na área de Educação. Eles adoraram, é claro. Mas a notícia desagradou os ocupantes de cargos comissionados no governo Samuca, que estão sem receber os salários de dezembro e 13º de 2020 até hoje.

Suspenso – A emissão de notas fiscais eletrônicas em Volta Redonda voltará a ser de graça a partir das 8 horas da manhã de segunda, 20. Para implantação do novo sistema, o serviço ficará suspenso durante este final de semana. Desde maio do ano passado, a taxa era cobrada de empresários, microempreendedores ou qualquer prestador de serviço, e alvo de reclamações. A mudança ocorre para incentivar o empreendedorismo em Volta Redonda e evitar a sonegação fiscal. “Temos buscado tornar a cidade atrativa a novos investimentos, como foi no passado – menos oneroso e burocrático para os empreendedores. Devolver a confiança às pessoas. Assim, elencamos como prioridade a substituição da plataforma de emissão de notas fiscais, que além de ser alvo constante de reclamação do empresariado, ainda onerava os nossos contribuintes. Agora a emissão de notas fiscais em Volta Redonda será totalmente gratuita”, enfatizou o secretário de Fazenda, Erik Higino.

Plante flores, não crie mosquitos
Os moradores da Sessenta que gostam de frequentar a Praça dos Ex-Combatentes estão bastante chateados com a prefeitura de Volta Redonda. É que no local existe um chafariz que está desativado há anos e virou lata de lixo, criadouro de algas e incubadora de mosquitos da dengue, além de acumular água da chuva (quando chove). Os moradores garantem que há meses estão se queixando da falta de limpeza na praça, que à noite vira centro gourmet, com venda de pizzas fritas, empadas, refrigerantes e cervejas bem geladas. Um deles deu até uma sugestão para a prefeitura: “Já que não querem cuidar e nem consertar o chafariz, que tampem tudo com terra e façam um canteiro de flores. Vão acabar com um problema e embelezar a praça”. Fica a dica.

Deixe um comentário