Bate bola – Sergio Luiz

A foto é da seleção da LDVR – Liga de Desportos de Volta Redonda de 1966, uma das melhores formadas em Volta Redonda. Pertence ao acervo do Sebastião Alves Viana, o “Tira Gosto”.

Em pé da esquerda para a direita: Lino (massagista), Jesus, Anísio, Zé Ó, Mariano, Jota e Sidney. Agachados: Tira Gosto, Valter, Jair Amorim, Enir e Nena.

 

Goleada histórica e daí ?

Foi realmente uma bela vitória, mas a goleada sobre o Brusque, por 8 a 1, gerou uma polêmica: serviu pra quê? Para entrar para a história do clube, afinal foi a maior vitória do tricolor do aço como visitante desde que foi criado na época da ditadura militar. Não foi inédita, pois em 24 de janeiro de 1982, jogando em casa, no Raulino, o Voltaço goleou o Operário-MT pelo placar de 8 a 0. Pode ser que, como pensam alguns torcedores, o resultado foi importante porque garantiu o tricolor de aço na série C do ano que vem. O que não deixa de ser verdade.
Porém, nas redes sociais, a goleada repercutiu de forma diferente. Os torcedores querem entender, entre outras, como um time fica 10 jogos sem vencer e, de repente, fora de casa, mete um 8 a 1 no líder da competição. Tem mais. Comentam que se tivesse jogado sempre assim, o Voltaço estaria classificado para a próxima fase e a um passo de subir para a série B do brasileirão. Há ainda quem entenda que foi uma resposta do elenco à diretoria, que relutou em cumprir as promessas de pagamentos de prêmios pela boa colocação no estadual e Copa do Brasil, cobrados pelos jogadores.
No entanto, teremos que nos contentar em permanecer na série C, coisa de quem pensa pequeno e que se repete há quatro anos. Seria mais cômodo e mais barato. Tipo me engana que eu gosto. Tenho dito!

Despedida
O Voltaço se despede da série C, jogando hoje, sábado, 5, às 19 horas, no estádio Luso Brasileiro, contra o Londrina. Vai cumprir tabela.

Perguntar não ofende
Quem pode explicar essa goleada histórica do Voltaço 8 a 1 sobre Brusque? Seria o pagamento dos salários, na véspera do jogo? Seria a contratação de Neto Colucci, que teria unido o grupo, provando – o que afirmávamos – que o elenco e o ex-técnico Luisinho Vieira não se entendiam mais? Ou seria, o que acho mais provável, que faltava era comprometimento com o clube?

Vai e Volta
O atacante Dija Baiano nem bem esquentou lugar no Voltaço e já se mandou. Foi contratado pelo Fast Clube, de Manaus, para o ‘mata mata’ da série D. Aliás, até agora não deu para entender a sua contratação ao final do campeonato. Veio como salvador da pátria, mas como prevíamos, foi tarde demais.

Base
Diretoria anunciando que 10 jogadores da base foram integrados ao time profissional. Beleza! Porém, será que serão aproveitados? Duvido. O trabalho da base é muito bom, porém, no time titular do Voltaço só tem um ‘prata da casa’, o veterano Bruno Barra. Parece piada, mas não é.

História
Quem mandou essa eu não posso contar. Mas ele revela que década de 80, um jogador do Voltaço, capitão do time, não entendendo a letra do médico, pediu ao supervisor Manú que interpretasse a receita: “Manu, que remédio é esse?”. Cabreiro, Manu pegou a receita dado por um clínico geral e descobriu a doença do craque: “Procurar um oftalmologista”. Ah! Eu tenho é sofrido!

Barra Mansa
Recebo uma nota da assessoria de imprensa do Leão esclarecendo como ficará a situação do lateral Dalbert. O Barra Mansa espera receber cerca de R$ 135 mil, referente a 1,25% que o clube tem direito pelo empréstimo do jogador – da Inter de Milão para o Rennes, da França. O valor cumpre as exigências do mecanismo de solidariedade da Fifa, que beneficia o clube formador em até 5% pela formação do atleta, que serão divididos em três parcelas (dezembro, fevereiro e maio). Os outros 3.75% devem ser pagos ao Flamengo. No caso do Barra Mansa, seriam três parcelas de quase 9 mil euros, cada, menos 20% cobrado pelo escritório de advocacia.
“O Barra Mansa, em sua nova fase, vai primar sempre pela transparência. Este valor, que é baixo para as despesas do dia a dia do clube, mas de grande ajuda, será usado em benefício do planejamento de retornar à primeira divisão, que será longa e com exigência de grande investimento”, explicou Renato Alves, gerente de futebol do Barra Mansa.

Reforços
O Barra Mansa acertou a contratação do goleiro Adalberto, 25 anos,1,98m., vindo do Batatais, da A3 paulista, e do atacante Jones, 35 anos, que disputou o estadual pelo Macaé. Ambos já estão à disposição do técnico Waltinho. Barra Mansa bateu o Mesquita, por 1 a 0, na tarde desta sexta-feira (4), em partida válida pela sexta rodada do primeiro turno da Série B2 do Campeonato Carioca. O jogo aconteceu no estádio Leão do Sul.
O gol do jogo foi marcado pelo atacante Yogo, aos 35 minutos do primeiro tempo, em chute de fora da área, sem chances para o goleiro adversário

Deixe uma resposta