…‘sou pré’

De cada 10 barramansenses, 9 devem conhecer Ademir Melo, ex-vereador, ex-deputado estadual e atual presidente do Clube Municipal de Barra Mansa. Figura carimbada da política local. Ligado ao prefeito Rodrigo Drable (DEM), Ademir está sem partido. Por enquanto, dispara. Ele tem razão. Pelo que o aQui apurou, Ademir estaria prestes a se filiar a uma legenda próxima a Eduardo Cunha, ex-deputado federal, que esteve fazendo um tour antes do feriado de 7 de setembro por algumas cidades da região.
Cunha, segundo uma fonte, teria se encontrado com Ademir Melo para fechar uma possível dobradinha com Daniele, filha do polêmico ex-deputado federal que, por décadas, mandou em Brasília. Há quem diga, inclusive, que continua com prestígio entre a classe política e prepara sua candidatura a deputado federal por São Paulo. E a da filha, Daniele, pelo Rio de Janeiro, em parceria com Ademir Melo.
Em entrevista exclusiva ao aQui, Ademir Melo adotou a tática de despistar. Não respondeu se a aliança com Cunha está fechada, nem se ele sairia candidato à Alerj em dobradinha com Daniele. Limitou-se a soltar uma frase, bem curta por sinal, mas sintomática: “Sou pré”, disparou, referindo-se à sua intenção de disputar uma cadeira de deputado em 2022.
Pelo que disse ao aQui, para concretizar seu sonho, Ademir Melo estaria prestes a se filiar ao PMN. “Estou sem partido”, despista, garantindo, entretanto, que tem recebido vários convites de partidos diferentes.
Veja abaixo a entrevista exclusiva com Ademir Melo:

aQui: Atualmente o senhor faz o quê?
Ademir Mello: Sou funcionário público concursado. Também estou envolvido num projeto social e cultural no Clube Municipal, que foi tombado como patrimônio histórico, e já conseguimos sanar dívidas municipais, civis e trabalhistas, restando apenas dívidas do Estado e da União. Nosso projeto principal é transformar o clube em um Centro Cultural Municipal.

aQui: O senhor está filiado a qual legenda? Vai permanecer nela ou pode se filiar a outro partido? Qual?
Ademir Mello: Não estou filiado a um partido político. Há 12 anos não participo de uma eleição, mas sempre permaneci atuando na política social, do dia-a-dia. Nas últimas manifestações populares, meu nome sempre foi lembrado, o que me credencia a colocá-lo à disposição para uma nova eleição. Estou recebendo vários convites de partidos e estou estudando as possibilidades com meu grupo.

aQui: Quais são as suas pretensões para as eleições de 2022?
Ademir Mello: Ser deputado. Vai depender muito do estudo que estamos fazendo, da conjuntura política e das necessidades da região. De qualquer maneira, vou continuar trabalhando e apoiando nosso líder maior, que é o prefeito Rodrigo Drable.
aQui: Como vê a representatividade da região na Alerj? E na Câmara?
Ademir Mello: Nossa região tem apenas três deputados estaduais, sendo que somente um é de Barra Mansa. Vejo a possibilidade de a cidade ter três deputados estaduais e dois federais. Com a saída do Alexandre Serfiotis, que virou prefeito de Porto Real, abriu esta lacuna para uma vaga na Câmara Federal.

aQui: É verdade que o senhor está bem próximo à família do ex-deputado federal Eduardo Cunha?
Ademir Mello: Tenho relação institucional com todas as grandes lideranças do estado por estar na política há 40 anos e reconheço o Eduardo como uma grande liderança.

aQui: É verdade que o senhor está prestes a fechar uma aliança com Cunha para sair em dobradinha com a Daniele, filha do ex-deputado? O senhor seria pré-candidato a estadual e ela à Câmara?
Ademir Mello: É muito prematuro tomar qualquer decisão neste momento. Ainda não sou candidato, sou pré. Não tenho partido, e ainda precisarei passar pela convenção.

aQui: Como analisa o governo Drable?
Ademir Mello: Estou ao lado dele desde o começo e posso afirmar que todos os nossos sonhos estão sendo realizados, em especial, as obras de readequação ferroviária do Pátio de Manobras. Tenho orgulho de ser o autor de um projeto de lei, de 1999, que proíbe a passagem de vagões de passagem sem lonas, com a obrigatoriedade de cercarem a ferrovia, entre outras. Afirmo com clareza que existe uma Barra Mansa antes e outra depois do Drable.

aQui: Quem o senhor vê em condições de sair candidato do governo em 2024?
Ademir Mello: O secretário de Saúde, Sérgio Gomes, tem feito um excelente trabalho e tem tudo para ser um nome com diferencial.

aQui: Com quem ele concorreria?
Ademir Mello: Vai depender da conjuntura política.

aQui: Como vê o quadro político estadual? O Claudio Castro tem chances de se reeleger?
Ademir Mello: A política muda muito de um dia para o outro. Temos dois exemplos claros: em 2008 liderei todo o pleito eleitoral para o Executivo, mas perdi a eleição na reta final. Outro exemplo foi em 2014, quando Pezão começou a campanha para o governo do Estado com 3% e se tornou vitorioso. Está muito cedo para falarmos de chances.

aQui: E o quadro nacional? O Bolsonaro tem chances de se reeleger?
Ademir Melo: Também vai depender da conjuntura política e de quem serão os seus concorrentes, mas eu ainda acredito na possibilidade de uma terceira via.

Deixe uma resposta