Sobras no poste

Mateus Gusmão

A partir de segunda, 9, a empresa contratada pela prefeitura de Volta Redonda, por quase R$ 2 milhões, deverá iniciar a troca de milhares de lâmpadas pelas ruas da cidade do aço. As tradicionais amarelinhas, de vapor de sódio, que vinham iluminando a vida dos volta-redondenses há décadas, serão trocadas por potentes lâmpadas de LED, que viraram sonho de consumo de 11 em cada 10 prefeitos da região. Barra Mansa e Barra do Piraí, por exemplo, iniciaram a troca há algumas semanas, sendo que a cidade barrense se deu ao luxo de doar milhares de lâmpadas usadas para o governo Neto.
A quantidade enviada pelo prefeito Mário Esteves a Neto até hoje é cercada de um mistério inexplicável. Esteves assume que deu e Neto, que recebeu. Mas nenhum comunicado oficial foi publicado pelas duas partes, nem se sabe se a doação passou pela Câmara de Barra de Piraí que, em tese, deveria aprovar ou rejeitar a doação de bens públicos.
Pior. A Câmara de Volta Redonda, graças a um projeto do vereador Lela, aprovado pela Casa, saiu fazendo média com o prefeito de Barra do Piraí, concedendo-lhe uma ‘moção de aplausos e congratulações’ por ter dado uma de benfeitor para a cidade do aço. Lela, Luciano Mineirinho e Rodrigo Furtado, como mostra a foto, pegaram a BR-393, que já foi conhecida como ‘estrada da morte’, e foram entregar a homenagem ao ilustre prefeito, que já está se movimentando como provável candidato a deputado federal em 2022.
Esteves pode até argumentar que a doação não tem nada a ver com eleição e que as lâmpadas que doou (que não revela a quantidade) seriam descartadas no lixão da Califórnia se não fossem dadas de presente ao governo Neto, que governa uma cidade com quase 250 mil eleitores. E que vivia na penumbra até pouco tempo.
Após a ‘homenagem’ recebida das mãos de Lela, Mário Esteves falou sobre o tema nas redes sociais. “Fiquei muito feliz e honrado de receber uma Moção de Aplausos da Câmara Municipal de Volta Redonda. O motivo foi a doação de lâmpadas que fizemos para a cidade vizinha”, escreveu, garantindo que a cidade que comanda já estaria iluminada por poderosas lâmpadas de LED. “É 100% LED”, gabou-se.
Esteves foi além. Aproveitou para mandar um afago a Neto. “Aproveito para agradecer aos vereadores e deixar meu abraço ao prefeito Neto, que já foi eleito um dos melhores do Brasil e é um parâmetro de gestor público pela experiência e competência. Neto pegou uma cidade arrasada, como aconteceu comigo em 2017, mas tenho certeza que ele vai recolocar Volta Redonda no caminho certo, em parceria com a Câmara”, completou.
Procurado para falar do que o levou a homenagear o prefeito vizinho, o vereador Lela, que está em seu primeiro mandato, também garantiu que o ato não tem a ver com as eleições de 2022. Que a moção de Aplausos e Congratulações teria sido concedida pela ‘sensibilidade’ de Esteves, que ao assumir seu primeiro mandato sonhava em virar Senador da República. “Na realidade, eu tomei a iniciativa para fazer a homenagem foi pela sensibilidade de entender a dificuldade do município de Volta Redonda de fazer a licitação, no início do mandato (de Neto), para a manutenção do parque de iluminação da cidade e fazer essa doação”, comentou, referindo-se à dificuldade de Volta Redonda de repor seu estoque de lâmpadas.
Lela chegou a dizer ao aQui que Barra do Piraí teria doado cinco mil lâmpadas a Neto. Ou seja, nem ele sabe dizer exatamente quantas lâmpadas teriam dado baixa no patrimônio da prefeitura de Barra do Piraí para serem incorporadas no almoxarifado do Palácio 17 de Julho antes de serem usadas. “Foram aproximadamente cinco mil lâmpadas. Elas foram doadas porque foram substituídas em Barra do Piraí por LED. As lâmpadas estavam em boas condições, tanto que a nova direção do Departamento de Iluminação (de Volta Redonda) conseguiu colocar essas lâmpadas na cidade”, comentou. “A doação foi de muita importância, uma vez que no início da atual gestão o município encontrou dificuldade para fazer a licitação para compra de novas lâmpadas. A cidade está conseguindo fazer agora a troca por LED. O prefeito anunciou o início dessa troca para o mês que vem”, completou Lela, referindo-se ao início dos trabalhos na segunda, 9.
O que ele não deve saber é que, em Volta Redonda, a discussão sobre a troca de lâmpadas por LED começou em 2019, ainda com o ex-prefeito Samuca Silva. O objetivo era conseguir junto ao Ministério do Desenvolvimento Regional uma linha de financiamento para a troca total da iluminação da cidade. Até conseguiu R$ 41 milhões para isso, mas a Caixa Econômica Federal não liberou a linha de crédito para o município. Acabou que Samuca conseguiu trocar apenas a iluminação da Avenida Paulo Erley Alves Abrantes, em Três Poços. Foram trocados exatos e únicos 192 pontos de luz. Todos ainda estão com lâmpadas de LED.
Quando assumiu a prefeitura de Volta Redonda pela quinta vez, o prefeito Neto seguiu com a obsessão de Samuca de instalar LED pela cidade do aço. Em 28 de maio, a prefeitura chegou a trocar as lâmpadas na Avenida Lucas Evangelista, no Aterrado. E, a partir de agosto, irá trocar as dos demais centros comerciais. No total, nesta primeira fase, serão trocados mais de dois mil pontos de luz, todos terão lâmpadas de LED. O valor total a ser investido pela prefeitura será de R$ 1.887.422,00 e o serviço será executado pela Engeluz Iluminação e Eletricidade – Eireli, de Brasília.
Recentemente, em uma de suas lives, Neto falou do projeto que encantou a ele e aos prefeitos da região. Não falou, é claro, que o ex-prefeito Samuca teve o mesmo sonho de ‘iluminar a cidade do aço’ com lâmpadas de LED. “Essa licitação que fizemos e já demos a ordem de serviço é para que em 9 de agosto a empresa comece a trocar as luminárias dos centros comerciais. Vamos começar pelo Retiro”, destacou. “Em 60 dias, até 9 de outubro, a empresa irá trocar as lâmpadas de todos os centros comerciais”, completou, lembrando que uma das reclamações mais corriqueiras que enfrentou desde que assumiu o cargo envolveu a questão da iluminação pública. Afinal, diariamente uma lâmpada queimava e a prefeitura demorava a trocá-la, por uma razão muito simples: não tinha lâmpadas em estoque. O número de postes sem luz infernizava a vida do prefeito.
Mas isso já mudou desde que Volta Redonda recebeu um número ‘x’ de lâmpadas usadas (doadas pelo prefeito Mário Esteves), contando com as que serão colocadas nas ruas 12, 14, 16, 21, 31, 33, 41 e 41 C, Praça Brasil e o seu entorno, como o Mercado Popular e transversais, na Vila. E ainda nas avenidas dos Trabalhadores, Nelson Gonçalves, Amaral Peixoto, Viaduto JK, Amaral Peixoto e Gustavo Lira, no Centro. As avenidas Lucas Evangelista, Sete de Setembro, Paulo de Frontin, e as pontes Dr. Murilo César dos Santos, D. Waldyr Calheiros e Pequetito Amorim, no Aterrado, também ganharão nova iluminação, assim como a Beira-Rio, a Sávio Gama e Antônio de Almeida, no Retiro; e a Via Sérgio Braga, que liga Volta Redonda a Barra Mansa. Ao todo, 2.117 luminárias serão trocadas.
O projeto prevê ainda a troca de outras 26 mil lâmpadas, o que atenderia toda Volta Redonda. Mas isso depende da liberação de recursos por parte do governo do Estado. A expectativa da prefeitura é que, com a cidade inteira iluminada com LED, a economia mensal com energia seja de R$ 780.238,94. “Somente nesta primeira etapa vamos ter uma economia mensal de R$ 83.139,96”, explicou o coordenador do projeto de eficiência energética de Volta Redonda, engenheiro Sebastião Leite.
A redução dos custos com a utilização de LED, defendida por quem já investiu no projeto, é porque essas lâmpadas, em tese, possuem maior durabilidade. Uma lâmpada de vapor de sódio de 250W, por exemplo, teria vida útil de 32 mil horas e demanda um reator que dura 20 mil horas em média. Já uma luminária de LED com 180W dura 50 mil horas, por exemplo, e dispensa o uso de reatores e ignitores para o seu funcionamento. “A iluminação a LED prima pela distinção de cores e pela eficiência, ou seja, você tem a mesma quantidade de iluminação com uma nitidez muito maior. E o fator mais importante para o município, que é a redução de custos, que será de pelo menos de 50%”, finalizou Leite.

Barra Mansa já começou a trocar
O prefeito Rodrigo Drable sempre esteve empenhado em melhor iluminar a sua cidade com as famosas lâmpadas de LED. Segundo ele, os recursos oriundos da famigerada Contribuição do Custeio de Iluminação Pública – taxa de iluminação – serão usados para a troca de lâmpadas. Em um primeiro momento, a prefeitura está substituindo 1.699 lâmpadas comuns. O secretário de Finanças, Leonardo Ramos, recentemente falou sobre o impacto que essas ações trarão para Barra Mansa. “A economia será muito grande, uma vez que vamos modernizar os pontos de luz com 1.699 lâmpadas de LED. Isso trará redução nos gastos, mais segurança à população e abrangência da iluminação pública”, crê.
No final do mês passado, Rodrigo Drable esteve na Vila Nova para acompanhar a substituição da iluminação pública antiga por luminárias de LED. “Toda a rede da Rua Arthur Oscar já foi trocada por luminárias de LED. Essa é a primeira etapa que nós estamos implementando na substituição da iluminação da cidade por luminárias de LED, inteligentes, com economia, mas garantindo uma luminosidade muito melhor na cidade, um controle melhor, inclusive, dos pontos que venham a queimar. Essa luminária tem uma garantia de 10 anos, completamente diferente daquelas lâmpadas que vínhamos utilizando e que queimavam toda hora. É um esforço que a gente tem empreendido e o primeiro local foi na Vila Nova”, justificou.
Barra do Piraí lançou a moda
A prefeitura de Barra do Piraí foi a primeira da região a começar a colocação das queridinhas lâmpadas de LED. E escolheu um dos cartões-postais do município, a Ponte Metálica, para fazer brilhar com a nova iluminação. Segundo o secretário de Serviços Públicos, Rodrigo Baptista, além da mudança para o sistema de LED, a empresa contratada ainda terá que cuidar da manutenção. “Eles são responsáveis por todo o mecanismo, desde a troca até a manutenção de alguns pontos. Novidade que o município precisava, principalmente quando o assunto é economia e praticidade”, frisou em release enviado aos jornais, ressaltando que as luzes à base de sódio geram mais gastos para o município em termos de pagamento à concessionária de energia. Tá bom.

Deixe uma resposta