quinta-feira, novembro 25, 2021
HomeEditoriasVolta Redonda‘Só falta o Saae’

‘Só falta o Saae’

Neto pede e vereadores aprovam terceirização da Rodoviária

Por: Mateus Gusmão

A onda de privatizações que atingiu diversas cidades chegou a Volta Redonda. É que o prefeito Neto, em dificuldades financeiras, decidiu terceirizar a administração da Rodoviária Municipal Francisco Torres. O pedido de autorização foi enviado à Câmara, sendo devidamente aprovado pelos vereadores na noite de quinta, 5. Apenas três parlamentares votaram contra: Jari (PSB); Walmir Vitor (PT) e Rodrigo Furtado (PSC). Encerrada a votação, ficou a dúvida: será que Neto também vai entregar o Saae à iniciativa privada?
O projeto da privatização da rodoviária foi votado em regime de urgência e preferência e em apenas um dia. “O presente Projeto de Lei visa dar atendimento à necessidade urgente de autorizar o Executivo a proceder à concessão do uso e exploração remunerada de Terminais Rodoviários Municipais, respeitando suas características de utilização, mediante prévia licitação, na modalidade de Concorrência Pública”, justificou, indo além. Disse que a privatização da rodoviária busca melhorar o atendimento aos usuários, o que o município não conseguia fazer sozinho. “É uma questão de interesse público”, disparou o prefeito, que está em seu quinto mandato.
Durante a sessão, mesmo votando contrário, o vereador Jari disse que a rodoviária precisa ser melhor administrada. “Todos nós sabemos que a rodoviária está precisando de melhorias, que ela está em péssima condição de uso. Ao analisar a Mensagem, encontrei alguns itens que é de suma importância esclarecer: a mensagem não prevê o prazo de concessão. Ou seja, não tem quanto tempo irá ficar prestando serviço”, disse Jari, ressaltando que não há previsão no projeto de Neto para debate com a população sobre a privatização, como audiências públicas.
O vereador Rodrigo Furtado também reclamou. “A mensagem do prefeito chegou aqui e ninguém nem leu. Em regra, muitas coisas precisam ser mudadas. Mas o principal é que as normas que serão definidas para a concessão serão publicadas através de Decreto Municipal, ou seja, sem discussão com a população previamente. A proposta não diz quanto a empresa vai pagar, qual o prazo da concessão e nem as medidas de sanção e punição”, destacou.
Líder do governo Neto na Câmara, Vander Temponi (PTB) destacou que todas as dúvidas dos parlamentares estarão no Edital de Licitação. “Esses detalhes que estão sendo solicitados estarão no edital. Coisas como tempo de concessão, prorrogação de contrato, valores, deveres, entre outros, estarão no edital”, disse, prometendo enviar para os vereadores cópia do documento assim que ele for publicado.
O vereador Betinho Albertassi (PSD) apoiou a privatização da rodoviária, mas criticou a rapidez com que o projeto foi votado. “Eu acho importante fazer essa concessão, porque é a população que vai ganhar com isso. Eu não vejo o que pode mudar para pior. Sabemos que (rodoviária) precisa de muitas melhorias. Só faço um apelo à prefeitura: que envie as mensagens de Lei com mais tempo para que nós, vereadores, possamos elucidar melhor os temas”, disse. “O prefeito tem minha confiança”, completou.

 

Previous article‘O maior’
Next articleGrampos
ARTIGOS RELACIONADOS

Neto, paz e amor

Tem que benzer

Vai doer

LEIA MAIS

COMENTÁRIOS RECENTES

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp