terça-feira, maio 24, 2022
CasaEditoriasBarra MansaRecarregando as baterias

Recarregando as baterias

Rodrigo critica quem está indo a postos para checar resultados de testes de Covid-19

Afastado das lives desde o ano passado, o prefeito Rodrigo Drable voltou a ocupar espaço nas redes sociais na noite de segunda, 24, prometendo ser breve. Não foi. Prometendo falar só de Covid-19. Não cumpriu, pois acabou falando da falta de água em Barra Mansa. “Faz um certo tempo que eu não faço live, e as pessoas têm até cobrado um pouco isso”, garantiu, lembrando que o aumento de casos de Covid-19 está sendo acompanhado por todos. “O crescimento é exponencial em todo o mudo, em todo o Brasil, e no Rio de Janeiro de uma forma muito grave. As capitais têm enfrentado dificuldades, inclusive com leitos. São Paulo já alcançou 88% de ocupação de leitos hospitalares, mas a nossa realidade é bem inferior a isso”, disse, acentuando que “Barra Mansa ainda é uma das cidades com menor índice (de contaminação). É uma cidade que tem capacidade hospitalar, tem capacidade de testagem”, comparou.
Apesar de ter dito que a prefeitura tem feito testagem das pessoas em várias frentes através das unidades batizadas de Sentinela, que funcionam até mais tarde, e ainda na UPA da Região Leste, Drable foi sincero ao avaliar a situação. “As filas são imensas, é verdade”, disparou, indo além: “A procura é muito maior do que a capacidade de atendimento, mas vale dizer, enquanto muitas cidades não têm conseguido fazer o atendimento por não terem os testes, nós continuamos trabalhando”, justificou.
Drable fez até o que Neto, prefeito de Volta Redonda, é mestre na sua arte de fazer política: “Eu quero aqui render homenagem à equipe. É importante dizer que os médicos, os enfermeiros, os técnicos também ficam doentes e nos fazem falta no dia a dia. Com a equipe menor, é muito mais difícil de administrar o problema, mas essa equipe tem feito seu melhor o tempo todo”, afirmou. “Nós alcançamos 74.462 pessoas testadas e Barra Mansa tem um número de 23.282 positivos, ou seja, de pessoas que já tiveram Covid. E 51.171 testaram negativo. Tivemos um triste número de 707 pessoas que vieram a óbito pela Covid ou com a Covid. Mas ao mesmo tempo tivemos mais de 20 mil pessoas curadas”, detalhou, referindo-se aos números da Covid desde que o primeiro caso foi detectado no Brasil, justamente em Barra Mansa.
O prefeito foi além. “De sábado para domingo nós tivemos um aumento da contaminação positiva na ordem de 0,95%, isso corresponde a algo em torno de 225 pessoas por dia. Média dos que têm testado positivo. Claro que esse número é muito maior, afinal nem todo mundo faz o teste e nem todo mundo é assintomático”, ponderou. “É importante dizer que estão sendo testados os sintomáticos por orientação do Ministério da Saúde”, acrescentou.
Na sua live, Rodrigo Drable chegou a dizer que “não existe teste (de Covid-19) para se comprar” e que por isso, segundo ele, muitas cidades não têm feito teste. “Não é falta de vontade, não tem o teste”, disparou. Provocado a comparar a situação com a cidade de Volta Redonda, onde a prefeitura estaria adquirindo R$ 805 mil em testes para Covid-19, Rodrigo não deixou por menos. “Disponibilizar orçamento é uma coisa, conseguir o produto é outra. Falei o que tenho lido nos jornais de grande circulação. Que a procura pela vacinação, ou seja, a demanda, é maior que a oferta de produto no mercado. Seja como for, tenho estoque”, disparou sem revelar a quantidade de testes que mantém em estoque. “Nós ainda temos uma quantidade razoável de testes, mas temos que seguir as orientações do Ministério da Saúde de testar os que estão positivos para evitar que acabem os testes, e nós não consigamos fazer a testagem daqueles que efetivamente estiverem positivos”, justificou.
Com relação à ocupação hospitalar em Barra Mansa, Rodrigo disse que até aquele dia – segunda, 24 –, apenas 7 pessoas estariam na UTI. “Ninguém está no leito de estabilização e temos 9 em leito clínico. Isso quer dizer que temos mais de 50% da capacidade de atendimento ociosa, o que ainda nos dá uma certa segurança”, comparou, passando a seguir a ser pessimista. “Os números têm crescido muito e a expectativa é que nas próximas três semanas nós tenhamos o pico (da Covid). É possível que, como já tem acontecido em outras cidades, capitais, nós tenhamos problemas e, em função disso, é que eu faço a live hoje: para pedir que todos façam seus cuidados individuais. Aqueles que deixaram de tê-los que voltem a ter nesse momento”, sugeriu. “A gente vai viver a Covid durante muito tempo, e é provável que isso se mantenha durante alguns anos e que nós tenhamos que adaptar nossas vidas”, pontuou.
Rodrigo Drable, inclusive, deixou um alerta à população de Barra Mansa: “Nos momentos mais tranquilos, a flexibilização vai ser possível; nos momentos em que as contaminações aumentarem, nós temos que voltar a tratar isso com certa rigidez. E é esse ponto agora, é o equilíbrio que nós temos que ter para manter uma vida razoável daqui para frente. Isso tem acontecido e eu parabenizo a equipe da Saúde, temos tido destaque nisso. Eu vejo as outras cidades aí passando um aperto tremendo e Barra Mansa ainda dentro de um cenário e razoabilidade comparando com as outras nós ainda estamos organizados. Então eu agradeço muito a equipe da saúde”, disse.
Covardia e falta de bom senso
Como que em um desabafo, o prefeito Rodrigo Drable atacou as pessoas que, segundo ele, estariam praticando, em Barra Mansa, a estratégia de querer testar o teste. “Algumas pessoas fazem teste em uma unidade e, dando positivo ou negativo, elas querem tirar prova indo a outra unidade fazer outro teste. Isso vai fazer com que nós não tenhamos teste para todo mundo. Não existe ‘contrateste’ de Covid em unidade pública. Você sair de uma para outra, isso é covardia com aquelas pessoas que ainda precisarão do teste de Covid. Então é fundamental que exerçamos o bom senso e a cidadania, permitindo que todos possam ser atendidos”, desabafou.
Ao aQui, mais tarde, Drable contou que a situação da ‘prova do teste’ foi identificada nos próprios postos de Saúde de Barra Mansa. “Não temos registros (oficiais), apenas notícias de pessoas que já fizeram (a prova). Elas próprias comentando isso, ou pedindo para fazer”, detalhou, aproveitando para revelar mais uma novidade: que os postos de Saúde de Barra Mansa não vão mais atender cidadãos de outros municípios. “Na quarta (26) nós estamos organizando mais um local de atendimento onde serão disponibilizados 500 testes por dia, apenas para moradores de Barra Mansa. Não temos condição de atender moradores de outras cidades e é o que tem nos sobrecarregado. Muita gente de outras cidades vindo a Barra Mansa para tomar vacina e para fazer teste, isso realmente não temos condições de atender”, anunciou, garantindo que quem for ao Parque da Cidade terá uma área de testagem com médicos. “Aqueles que forem testados positivamente terão atendimento médico imediato, com a entrega do medicamento”. garantiu.
Outra preocupação de Rodrigo Drable foi com relação aos barra-mansenses que ainda não se vacinaram. “Eu pedi para fazer um levantamento das pessoas que estão internadas e, das 7 que temos no CTI hoje, todos acima de 44 anos, 4 declararam não ter tomado vacina, optaram por não tomar a vacina. É fundamental que as pessoas se vacinem. Essa ignorância de criticar a vacina pode agravar os casos. Aqueles que estão piores são aqueles que não tomaram a vacina ou só tomaram a primeira dose. Isso tem se replicado no Brasil inteiro. Quem está tendo a maior gravidade de doenças são aqueles que não tomaram a vacina. Pode haver uma exceção? Pode, mas a regra é: quem não tomou a vacina são os que estão piores hoje”, crê.
Tem mais. “Esse movimento de negacionismo não está funcionando, é prejudicial à sociedade. A imunização em massa acontece quando a maioria estiver imunizada. Aquele que acha que não precisa está colocando em risco todos os outros, além, é claro, da sua própria vida”, disparou, passando a seguir a falar da falta de água, “que não é um problema só de Barra Mansa”. “Isso é em todas as cidades do Sul Fluminense”, argumenta.

Artigo anterior“Dois ou três”
Artigo seguinteGrampos Barra Mansa
ARTIGOS RELACIONADOS

Grampos Barra Mansa

Pegou fogo

Longe de Brasília

LEIA MAIS

Lazer

Mudo e com a mão no bolso

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp