Por telefone

A secretaria de Saúde de Volta Redonda já está oferecendo atendimento  psicológico, por telefone, às pessoas impactadas pelo isolamento social devido à Covid-19. A central de apoio, segundo Alfredo Peixoto, titular da pasta, funciona com 12 profissionais, de segunda  a sexta, das 8 às 17 horas, através dos números: 3339-9154,  3339-9674 e 3339-9158.

Para Samuca Silva, o serviço é mais uma ferramenta para que as pessoas continuem em restrição social de forma tranquila. “Estamos criando todos os mecanismos possíveis para que essas pessoas, que estão em casa, não entrem em pânico. Queremos que continuem em suas casas, pois precisamos conter a curva da doença em Volta Redonda e o isolamento é a melhor forma de fazer isso neste momento!”. Justificou.

Psicólogos

Alfredo Peixoto, que desistiu de deixar a secretaria para se candidatar a vereador, disse que diante da Covid-19 muitas pessoas com fobias ou TOC podem precisar de atendimento durante o isolamento. “Os psicólogos do setor de saúde mental da secretaria de Saúde estarão à disposição de todos que estiverem precisando de algum cuidado nesse momento tão difícil que estamos vivendo”, ressaltou.

 De acordo com a coordenadora do Setor de Saúde Mental, Renata Vasquez, o serviço foi criado diante da necessidade de isolamento, que pode afetar a saúde emocional, gerando ansiedade, pânico e até mesmo depressão. “O atendimento realizado conta com sigilo e privacidade, oferecendo escuta qualificada, acolhimento, psicoeducação e as orientações que se fizerem necessárias para cada caso abordado”, explicou.

 A psicóloga e especialista em Saúde Mental Andréa  Franckevicius de Miranda explicou que o serviço vai beneficiar pessoas que se encontram em situação de estresse acentuado. “casos de timidez, fobias excessivas, ansiedade, depressão, síndrome do pânico, insegurança, tristeza, solidão, medos e transtornos de estresse pós traumático, principalmente para profissionais de saúde que estão na linha de frente na luta contra a Covid-19 poderão ser atendidos pela equipe”,  explicou Andréa.

Deixe uma resposta