Na torcida

rodrigo

Com o celular desligado para poder, finalmente, tirar uns dias para descansar e se preparar para os próximos quatro anos quando terá a missão, quase impossível, de governar Barra Mansa, uma cidade à beira da falência, o prefeito eleito Rodrigo Drable tomou duas atitudes. A primeira de não falar sobre nomes de sua equipe – só revelou até agora o do médico Sérgio Gomes para dirigir a pasta da Saúde. “Só vou revelar depois da posse”, disparou, durante rápida entrevista ao aQui. Detalhe: não quis negar, nem admitir, que o ex-prefeito Zé Renato vá assumir a direção do Saae-BM.  Ou que Rose Villela, da equipe do prefeito Neto, titular da Smel (secretaria de Esportes e Lazer), vá fazer parte de sua equipe.

 

A segunda atitude era não falar onde estava descansando. “Quero descansar para me preparar”, justificou. Um boato, entretanto, o obrigou a refletir sobre algo que o incomoda desde que foi eleito para suceder o comunista Jonas Marins. O de que todos os postos de Saúde de Barra Mansa amanheceriam, ontem, sexta, 9, fechados. E que a população teria que recorrer a atendimentos na Santa Casa ou em hospitais de cidades vizinhas. “A saúde está arregaçada do avesso. O doutor Sérgio Gomes, nosso futuro secretário, já está com a equipe básica montada e está estabelecendo um plano de metas para restabelecer o serviço. O plano de contingência será implementado tão logo entremos na prefeitura”, disparou, confirmando, em tese, que trabalha com a possibilidade do fechamento dos postos, já que as OSs (Organizações Sociais) contratadas por Jonas Marins estariam deixando Barra Mansa.

 

O ex-vereador Francis Bullos, tradicional médico de Barra Mansa, que atende em um desses postos, na manhã de domingo, 4, já tinha levantado a hipótese. Veja o que ele postou, de forma bem irônica, em sua página do Facebook: “PARABÉNS!

 

Quero aqui parabenizar aqueles que destruíram sistematicamente a estrutura das Unidades de Saúde da Família em Barra Mansa. Estejam felizes, os postos já não são mais nem sombra distante do que eram outrora. Agradeço penhorado à secretaria de Saúde, secretários e à OS, enfim, aqueles que “gerenciaram” de forma devastadora o que deveria ser um bem à população, mas que acabaram gerando milhares de doenças graves para o futuro. Espero que durmam com as suas consciências tranquilas. Se puderem!!!”, escreveu.

Salários

Na entrevista exclusiva ao aQui, o prefeito eleito Rodrigo Drable também abordou um assunto que o faz perder o sono. De que poderá assumir uma prefeitura quebrada, com os salários atrasados. “Estou na torcida para que consigam (Jonas & Cia) pagar e não nos empurrem essa bomba”, disparou.                       

Veja abaixo as opiniões de Rodrigo Drable sobre alguns assuntos, afinal, nós do aQui, entendemos que ele merecia descansar um pouco. Afinal, terá que acabar com o mau humor dos barramansenses que, há quatro anos, acreditaram que seriam felizes com os comunistas no governo. Ledo engano.  

 

aQui: Como o senhor avalia, depois do início da transição de governo, a atual situação da prefeitura de Barra Mansa? O que mais lhe preocupa?

Rodrigo Drable: Avalio a transição como pouco produtiva, por enquanto. Apesar de nos terem sido fornecidas algumas informações, elas ainda não são suficientes. Estamos avaliando as necessidades de alterações no orçamento. Existem várias despesas correntes, aquelas que são de manutenção e pagamento de salários, que não correspondem ao real. O orçamento prevê, por exemplo, R$ 400.000,00 para a secretaria de Ordem Pública, mas existem contratos em andamento que nos primeiros meses consumirão R$ 600.000,00.

 

aQui: Nos últimos 12 meses, mais de 1,8 mil barramansenses foram demitidos. Como pretende atrair empresas para a cidade? Vai utilizar o terreno da Edimetal?

Rodrigo: A atração de empresas passa pela manutenção das que já existem. Prioridade número um é não perder mais nenhum posto de trabalho. A Edimetal e a área ZEN (Zona Especial de Negócios) têm que ser finalizadas para que possamos receber empreendimentos.

 

aQui: Devido à crise financeira e às dificuldades que o atual prefeito Jonas Marins (PCdoB) tem para pagar o salário do funcionalismo, o senhor teme não conseguir arcar com os salários de janeiro? Por quê?

Rodrigo: Me preocupa o pagamento de salários, sim. Principalmente porque as notícias do atual governo são de que provavelmente ficará devendo uma folha e o décimo terceiro salário. Estou na torcida para que consigam pagar e não nos empurrem essa bomba.                      

 

aQui: O que o senhor diria à população de Barra Mansa diante de tantos problemas que vem enfrentando? 

Rodrigo: Que enfrentemos as dificuldades juntos. Nosso propósito é comum: a qualidade de vida do nosso povo.                       

Deixe uma resposta