Na fila

Neto faz nova parceria com FOA para melhorar atendimento no Hospital do Retiro

Na terça, 11, o prefeito Neto destacou, em live, a parceria que fez com a Fundação Oswaldo Aranha para ampliar – e melhorar – o atendimento médico em Volta Redonda, mais especificamente no anexo do Hospital do Retiro, que será destinado a pacientes internados com a Covid-19. “Estamos selando uma grande parceria com a Foa (sic). Vamos abrir o anexo do Hospital Munir Rafful, que foi construído numa parceria com a Foa (sic) e teve participação importante dos empresários de Volta Redonda, capitaneada pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). Já compramos e ganhamos alguns equipamentos, mas estávamos com uma dificuldade muito grande na contratação dos médicos para colocar para funcionar. A todos os trabalhadores da Foa (sic), o nosso muito obrigado”, disse Neto, conforme release enviado aos jornais. Só não disse quando será o Dia D da ‘inauguração’.
As obras físicas, iniciadas logo após a posse do prefeito, há cinco meses, para receber os leitos hospitalares já estão concluídas, garante Neto, segundo sua assessoria. Tudo graças a uma campanha de arrecadação junto a comerciantes, empresários, pessoas físicas, políticos e ‘até mesmo igrejas’. “A campanha Conexão Solidária arrecadou mais de R$ 400 mil e foi iniciada através de uma parceria entre o prefeito e a CDL-VR, mas foi ganhando adesão de diversos setores da sociedade ao longo dos meses”, detalha o release do governo Neto.
O curioso é que, até então, o noticiário a respeito do anexo ao Hospital do Retiro procurava salientar apenas a doação dos recursos, via CDL-VR, para a prefeitura. De uma hora para outra, tudo mudou. Neto passou a fazer questão de dizer que as doações, das empresas e das pessoas (o ex-vereador Tigrão teria doado R$ 1 mil), teriam sido feitas diretamente à empreiteira que realizou as obras. Empreiteira, aliás, que ninguém sabe dizer qual foi.
Coube à empreiteira, até prova em contrário, fazer as obras do anexo, que vai receber “30 leitos”. “Passada a pandemia, os leitos ficarão de legado para a rede pública de saúde”, acrescentou a equipe do prefeito Neto. “Com a chegada dos equipamentos, a prefeitura fica perto de inaugurar o anexo”, acrescentou, mostrando que ainda há muito o que fazer.
O presidente da Fundação Oswaldo Aranha, Eduardo Prado, conforme release da Secom, ressaltou que é uma satisfação poder oferecer recursos para aliviar a dor das pessoas, sobretudo durante a pandemia. Segundo ele, a FOA e o UniFOA estão fazendo um estudo, um trabalho muito profundo para levar a melhor prática de saúde para o município de Volta Redonda. “Vamos investir nesses médicos para que eles possam aderir a esse programa que é por todos, para o município de Volta Redonda e para que possa ser realmente efetivo no atendimento atendendo à comunidade pelo SUS”, disse, segundo dados da Secom.

Deixe um comentário