Metralhadora giratória

Neto ataca Samuca, Granato e atira contra Bergone, vereadora não reeleita. Aproveita e anuncia novidades para 2021

Em entrevista ao programa Dário de Paula na manhã de terça, 24, o prefeito eleito Antônio Francisco Neto, como se diz nas rodas de conversas, ‘estava atacado’. Disse o que queria e o que não queria contra o ainda prefeito Samuca Silva e bateu em vários políticos locais, como a ainda vereadora Bergone. “Ela me traiu”, disse. 

A entrevista foi longa e Neto repetiu à exaustão que o seu atual desafeto número 1 (antigamente era Baltazar) seria um mentiroso. “Ele (Samuca) ficou aí quase quatro falando inverdades, né?”, resumiu, citando, entre outros motivos para o seu desabafo, a questão dos RPAs (Recibos de Pagamentos  a Terceiros) contratados pela prefeitura de Volta Redonda para não promover concursos públicos, o que sempre ocorreu. “Ele (Samuca) disse que acabou com o RPA. Gente, o RPA da cidade de Volta Redonda dá quase 4 milhões de reais por mês e ele (diz que) acabou com o RPA”, destacou, como sendo a mentira maior do atual mandatário do Palácio 17 de Julho.

      Veja abaixo, por assuntos, como os disparos da metralhadora giratória de Neto atingiram o governo Samuca. Detalhe: o ex-prefeito e futuro prefeito, se o TSE deixar, diz que, caso não possa assumir a prefeitura em 1 de janeiro de 2021, não deverá lançar ninguém para disputar a nova eleição e nem irá apoiar candidatos, como Samuca e Baltazar, seus desafetos. 

 Votação no TRE/RJ sobre sua inelegibilidade  

“Foi uma votação difícil. Foi 4×2. A gente tinha esperança de que um dos juízes voltasse atrás, que mudasse o voto, quando um (desembargador) pediu vista, o que não aconteceu. Até mesmo o relator falou que não estava seguro para votar contra a gente, mas (entendeu) que eu tinha remanejado acima do limite (estipulado por lei) por duas vezes. No entender dele, né? O que não aconteceu”.

Contas rejeitadas 

“Eu vou explicar para que todos saibam quais são as acusações que têm hoje e que serão julgadas em Brasília (no TSE). São duas. Na de 2011, o Tribunal de Contas, ao rejeitar as minhas contas, disse que eu não apliquei o dinheiro do Fundeb na educação. Só que os meus advogados conseguiram provar que o dinheiro foi aplicado (usado) pelo Furban na educação. 

Eu abri uma conta só para a Educação, só para receber recursos do Fundeb. Aplicamos o dinheiro em reforma, construção de diversas escolas. Não houve desvio de finalidade. Pelo contrário. Nos anos anteriores e posteriores a 2011, nós fizemos as mesmas coisas e as contas foram aprovadas sem ressalvas. 

Como eles (do TCE) queriam rejeitar minhas contas de qualquer maneira, eles buscaram alguma coisa. Mas nós estamos provando que, na verdade, aplicamos os recursos na educação em uma conta específica da educação.

A segundo, a de 2013, eles falam que eu remanejei (verbas), ultrapassando o limite que a Câmara de Volta Redonda tinha autorizado remanejar, que era de 25%. No orçamento, no artigo 7º, diz que eu podia remanejar nas mesmas secretarias, com algumas exceções, e eu usei as exceções como todos os anos fazia. Nesse ano, eles resolveram rejeitar minha conta. 

Outra coisa que eu queria dizer é que de um total de 17 contas analisadas pelo mesmo conselheiro do TCE, o que deu parecer contrário e fez de tudo para rejeitar minhas contas, ele simplesmente deu parecer favorável aos outros municípios. O único que ele deu contrário foi o meu. Então, foi uma situação política”. 

 

“Não teve dolo nenhum”

Rejeição na Câmara
“(Rejeição) Foi uma questão política. Todo mundo se lembra que os próprios jornais divulgaram isso. O jornal aQui e o Diário do Vale divulgaram isso duas, três vezes. Recentemente, o Paulinho do Raio-X disse que o prefeito distribuiu cargos comissionados para (a Câmara) rejeitar minha conta. Cabe ao Ministério Público… 
Ele (Samuca) fez isso para poder rejeitar minhas contas. Então, gente… a justiça é bem clara. Se não houver dolo, você não se torna inelegível. Não tem dolo nenhum, pelo contrário. Estão fazendo uma injustiça muito grande, mas eu tenho certeza absoluta que eu vou ganhar no TSE, porque não há dolo. Dia 1 de janeiro vamos estar à frente da prefeitura de Volta Redonda procurando fazer uma administração voltada para o povo da nossa cidade, principalmente para o povo mais carente.

Eu tô muito, muito tranquilo. Vou assumir dia 1 de janeiro. Não tem como votarem (no TSE) contra a lei. Eu tô dentro da lei. A lei é muito clara sobre isso. Existem casos muito piores do que o nosso. Já existe até alguma jurisprudência. O nosso, com certeza, é um caso que nitidamente a gente vê que não houve desvio de dinheiro. Eu estou na vida pública há mais de 30 anos e me orgulho muito de ter sido prefeito por 4 mandatos sem nunca ter enfrentado uma acusação de roubo, de desvio de dinheiro nas minhas gestões.

Houve falhas? Com certeza. Falhas administrativas, eu não tenho dúvida de que existiu. Eu sou humano, mas desvio de verba pública jamais aconteceu, jamais irá acontecer. A população de Volta Redonda demonstrou uma confiança imensa na gente, que nem eu poderia imaginar que nós ganharíamos de 14 adversários no primeiro turno, e aqui eu aproveito para agradecer a toda a nossa equipe.

Dia 1 de Janeiro vamos tomar posse com aquela promessa que nós fizemos; eu e o Farias fizemos: jamais decepcionar o povo de Volta Redonda. 

 

“Ele inventou dados”

Transição e finanças 

Nós estamos enviando um ofício pedindo ao prefeito que faça como nós fizemos na época que ele seria prefeito. Nós passamos tudo o que tinha que passar, todas as informações. Infelizmente, (depois) ele inventou outros dados e ficou quase quatro anos falando inverdades.
Pelo que nós levantamos na internet e em informações extraoficiais, a folha de pagamento de Volta Redonda gira em torno de R$ 42 milhões por mês. Isso, colocando os RPAs que ele falou que não tinha mais. São R$ 3 milhões e 600 mil só com RPA. Ele não acabou com o RPA? Tudo conversa fiada.

A folha total está em R$ 42 milhões. Para as OSs, são pelo menos mais R$ 10 milhões, 6 (São João Batista) e 4 (Retiro) e até um pouco mais. Uns R$ 11 milhões. Então, como despesa, só com pagamentos, são R$ 52 milhões. Eu fiz um levantamento, e o município arrecada hoje um total de R$ 591 milhões no ano. Se você dividir isso por 13, você arrecada R$ 45 milhões mensais. 

Só de folha de pagamento são R$ 42 + R$ 10 de OS. Ah, mas a OS vai acabar? Vai! Mas você vai ter que pagar os médicos, vai ter que pagar algumas pessoas, né? Certamente. Então, essa conta não fecha. Esse gestor (Samuca) deixou a coisa ficar insustentável!

Eu sabia que a situação era complicada. E não tenho dúvidas de que ele (Samuca) não vai pagar os salários de dezembro, o 13º e boa parte de novembro. Mas eu não imaginava que ele fosse deixar a prefeitura numa situação dessas. Eu estou falando uma coisa real. A folha de pagamento da prefeitura hoje é em torno de R$ 42 milhões; como ele transfere para as OSs mais R$ 10 milhões?  São R$ 52 milhões e ele arrecada só R$ 45 milhões por mês!

Há quase um ano que quase nenhum fornecedor recebe, ele não deve estar, com toda a certeza, recolhendo os encargos. Não deve estar fazendo isso! Além desses R$ 52 milhões, você tem outras despesas: pelo menos R$ 16 (milhões) com a iluminação pública, a Light. Ele não paga de agosto de 2019 até hoje. Ele não paga um tostão! 

A prefeitura tem ainda os parcelamentos da Cohab- R$ 580 mil por mês; a Câmara recebe R$ 750 mil por mês; o fundo de garantia é de R$ 540 mil; o INSS gira em R$3 milhões. A limpeza urbana gira em torno de R$ 3 milhões e 200 mil, e tem o precatório de R$ 2 milhões e 500 mil por mês.

É impossível você administrar essa situação da prefeitura. Eu sabia que tinha pouco dinheiro. Eu sempre disse isso lá atrás, mas eu não sabia que nós não tínhamos gestor. Isso, confesso: fiquei muito triste de ver a maneira que nós vamos encontrar a prefeitura de Volta Redonda. Mas a população que nos elegeu não quer saber disso! Ela quer que Volta Redonda volte a ter uma saúde de qualidade, uma educação, um social e eu…

Nós vamos tentar de todas as formas viabilizar o município. Vamos cortar (demissões)? Com certeza. Durante três meses eu vou contratar o mínimo possível para cargos comissionados.

Hoje, os cargos comissionados são 1.670 e gasta-se em torno de 3 milhões e 200 mil. Mais R$ 3 milhões e pouco de RPA, ou seja, você gasta R$ 7 milhões e pouco só nesses dois casos (CCs e RPAs).
Todo mundo sabe que a prefeitura não é viável sem cargo comissionado. Pelo menos o mínimo possível. Não tô dizendo que não vou nomear 1.670 de jeito nenhum. Não tem nem condições, não tem recurso pra isso.  

A nossa grande despesa hoje está na nossa folha de pagamento. A folha de pagamento ultrapassou muito a Lei de Responsabilidade Fiscal. Ultrapassou e foi muito, muito mesmo! Está mais do que 100% da arrecadação. Tá mais do que 100%”. 

Eu vou procurar o funcionalismo, vou procurar o doutor Pontual e vou mostrar a realidade do município. Eu não tenho uma máquina de fabricar dinheiro. A situação do município é muito delicada. A nossa receita hoje é de R$ 45 milhões. Só a minha folha de pagamento tá dando R$ 42, sem contar o lixo, o pagamento dos profissionais da saúde, medicamentos”.

 

“Eu pretendo em 30 dias voltar a dar à população de Volta Redonda uma saúde digna”.

Eu fiz uma reunião com um grupo de amigos preocupados com a saúde, colaboradores, e eu disse a eles que em 30 dias eu preciso resgatar a saúde pública de Volta Redonda. Eu preciso colocar médicos nos postos, eu preciso ter remédio, preciso acabar com a fila de exames e meu prazo limite é de 30 dias. 

No dia (da reunião), eu não sabia que a coisa era tão ruim como está. Eu vejo o prefeito de Volta Redonda falando, parece que ele tá falando de outro município. Quantas vezes não ouvimos o prefeito falar que ele acabou com o RPA? Centenas de vezes. Gente, o RPA da cidade de Volta Redonda dá quase R$ 4 milhões por mês e ele acabou com o RPA? A gente lamenta muito, muito, muito. Eu não tô inventando nada, não! Isso é uma realidade. A situação do município hoje é muito complicada, mais do que a população possa imaginar. É lógico que o vírus (Covid) atrapalhou, é lógico que muita coisa atrapalhou. Mas também eu disse lá atrás que ele aumentou a folha de pagamento em quase R$ 100 sem dar 1% de aumento para o funcionalismo e é verdade! Há 4 anos o funcionalismo não tem reajuste, né?! 

No meu governo teve reajuste, sim. Nós pagávamos rigorosamente em dia. Eu fiz uma promessa ao funcionalismo, foi a única promessa que eu fiz de voltar a pagar em dia, mas eu tô muito assustado, muito assustado mesmo. Eu vou ter que ter uma equipe de pessoas que tenham compromisso com a cidade de Volta Redonda, com seu povo, como nós temos, eu e Faria. 

Nós vamos ter que modernizar, vamos ter que aumentar a receita sem aumentar os impostos. Temos que ver esses contratos que foram feitos pelo poder público, o que é que sobra para o município desses contratos do estacionamento e outros que foram feitos. A cidade está largada, a periferia do município está abandonada, faltando iluminação, a cidade está cheia de buracos. 

“Nós precisamos resgatar a autoestima da população de Volta Redonda. No meu primeiro governo, existiam 174 áreas de posse. Nós urbanizamos todas elas. Nós colocamos água, esgoto, meio-fio, iluminação pública e nós vamos voltar nesses bairros todos, nessas áreas de posse, nos bairros da periferia e reconstruir Volta Redonda, que tá acabada. Vamos colocar iluminação nos locais necessários, tapar os buracos, pavimentar onde for necessário. Devolver à nossa população da nossa cidade o que é dela, que é a cidade!”

“Uma besteira”

Santa Margarida

“Volta Redonda não suporta mais dois hospitais, Hospital do Idoso e o Santa Margarida. Isso é besteira. Eu vou voltar com a Policlínica da Cidadania para especialistas no estádio (Raulino de Oliveira). Quem vai ser o responsável por ela vai ser o Milton.
Nós pretendemos fazer que o Santa Margarida vire um Centro Administrativo e não um Hospital. Lá não tem 200 leitos. Ele fez uma obra muito precária e as pessoas que estão lá não estão nem aguentando ficar na situação que estão!
Nós temos um prédio bom, o município poderia levar para lá toda a estrutura somente dos locais onde ele paga aluguel. Nós devemos pagar aí uns R$ 200 mil de aluguel e pretendemos zerar.

PCCS
Quando o atual prefeito ganhou a eleição, nos cinco primeiros dias de mandato, ele disse que eu tinha deixado uma dívida milionária para ele pagar, de R$ 1 bilhão e 700. Nada disso era verdade. Um dia eu pedi pra ele indicar que dívida era essa. Ele falou que eu deixei pra ele (pagar) R$ 380 mil do Plano de Cargos e Salários do funcionalismo, que não fui eu quem fez.
Em momento algum o autor da Lei falou em cumprir, porque era impossível cumprir. 

O PCCS foi uma casca de banana que o Baltazar deixou, com toda certeza. Como é que você vai pagar 150% de tudo que você arrecada para o Plano de Cargos e Salários? É igual tá hoje. Gente, tão brincando de administrar. A irresponsabilidade de um gestor é muito grande. Quantas famílias dependem do seu salário para o sustento da sua família? Tão brincando de administrar uma cidade do tamanho de Volta Redonda.

Tô assustado, sim, mas com muita vontade de resolver os problemas de todos, mesmo, mesmo, mesmo, mas não há uma mágica para cidade que não fecha de recursos.

 

“Funcionários-fantasma”

Novas eleições
Provavelmente não (lançaria ninguém). Se isso acontecesse, eu sinto que seria uma covardia com qualquer um, com qualquer pessoa de bem que viesse a pegar o município na situação que está!
A situação que estou vendo hoje é muito difícil. E eu não seria irresponsável de… a não ser que alguém diga ‘Olha, eu quero assim mesmo!’, como eu quis. Mas eu confio muito na minha equipe e confio que algumas medidas serão tomadas e que a gente vai amenizar um pouco essa situação.

Isso é matemática. Eu recebo R$ 45 milhões e tenho aí R$ 60 com mais R$ 16, quase R$ 80 milhões de pagamento fixo. De despesa fixa. Então, eu tenho, pelo menos, R$ 40 milhões de prejuízo por mês. Eu não entendi. Um dos candidatos falava que o déficit era de R$ 38 milhões. Eu não achava que era isso que ele estava falando e hoje eu vejo que é muito pior do que ele falava.

Como é que um gestor pode deixar a cidade chegar nesse ponto? Quantas vezes eu vi falar que esse moço (Samuca) tinha acabado com o RPA? Quantas vezes eu vi em debate, em discurso… Que RPA que ele acabou que chega a quase R$ 4 milhões? 

Você tem R$ 3 milhões e pouco de cargos comissionados. Muitas dessas pessoas – e aí, é o Ministério Público, não sou eu quem vai verificar, já tá verificando… – nunca foram na prefeitura e são RPA, são cargos comissionados, são fantasmas. Não compete a mim, mas o Ministério Público já está verificando. Tem alguns vereadores que têm que ficar muito preocupados, porque a coisa vai estourar.

Relação com vereadores 

Muitas coisas passaram pela Câmara e foram aprovadas. Mas as minhas contas foram rejeitadas, porque o prefeito assumiu a prefeitura de Volta Redonda pensando na reeleição.  Ele e o vereador Granato comandaram um verdadeiro massacre. ‘Ou você vota, ou eu tiro os cargos comissionados, ou eu não te dou os cargos’. Foi dessa maneira que aconteceu. Lamentavelmente. 

Eu nunca fiz isso em 16 anos. Nunca me preocupei com as contas que foram rejeitadas ou não pelo Tribunal de Contas. Lembrar que as minhas contas que foram rejeitadas de 2013 tiveram parecer favorável do Tribunal de Contas, mas os vereadores rejeitaram.

E lembrar que as minhas contas de 2011 – que os dois itens que o Tribunal utilizou para rejeitar, um eu disse aí anteriormente foi a verba do Fundeb, que eu apliquei na educação, em conta específica da educação, através do Furban, e que todas as minhas contas anteriores e posteriores foram aprovadas pelo Tribunal de Contas. 

E a outra que foi a do remanejamento de 25%, eu não remanejei mais do que os 25% e mesmo que eu tivesse feito, eu peguei 17 contas, todas que eu achei com o mesmo problema que foi alegado pelo Tribunal de Contas e as 17 tiveram parecer favorável. A única conta foi a minha. A única rejeitada.

Deixe uma resposta