quarta-feira, maio 25, 2022

Iluminado

Plano de Mobilidade Urbana vai começar por troca de lâmpadas de sódio por LED

O aguardado e prometido Plano de Mobilidade Urbana de Volta Redonda, que vai transformar a cidade do aço em um ‘canteiro de obras’, conforme promessa feita pelo prefeito Neto, vai começar pelo alto dos postes de iluminação com a troca das lâmpadas de sódio (amarelas) pelos modelos de LED. A ação, que aparentemente nada tem a ver com novos viadutos, foi acertada entre o Palácio 17 de Julho e representantes das empresas responsáveis pelas obras, que serão custeadas pelo governo do Estado. A troca das lâmpadas vai envolver 27 mil pontos de iluminação pelos bairros do município. O projeto, orçado em R$ 140 milhões, prevê ainda intervenções na estrutura viária, contemplando pavimentação, sinalização, calçadas, ciclovias, obras de arte especiais de engenharia, e sistemas inteligentes de tráfego.
A troca das lâmpadas, problema que afetou a própria administração, que foi obrigada a adquirir lâmpadas com recursos próprios, sem contar que saiu pedindo a doação de lâmpadas usadas em prefeituras vizinhas, acontecerá enquanto as fundações dos novos viadutos e da ponte previstos no plano são iniciadas. A fase DeMob 1 do projeto contempla, por exemplo, 12.492 mil pontos atendidos com lâmpadas de LED, e com a segunda etapa (DeMob 2), serão mais 14.356 lâmpadas. “Iniciamos a instalação de LED com recursos próprios, atendendo os centros comerciais. Agora, vamos levar mais luminosidade para toda a cidade”, comentou Neto, fazendo questão de agradecer ao amigo Cláudio Castro “pelos investimentos que vem fazendo em Volta Redonda e que estão transformando a cidade em um verdadeiro canteiro de obras”.
A empreiteira Santa Luzia, que será responsável pelas fases DeMob 2 e 3 do plano, já começou, como mostra a foto, a montar seu canteiro de obras em um dos campos do Aero Clube. A empresa, inclusive, prometeu contratar a partir de ontem, sexta, 25, cerca de 30 pessoas, nas funções de pedreiro, ajudante, servente, carpinteiro, armador, motorista de caminhão, operador de retroescavadeira e de caminhão munck.
Já a Metropolitana, encarregada das obras da fase DeMob 1, iniciou a montagem do seu canteiro de obras em um terreno ao lado da base da Petrobras, na Vila Americana. “Estamos conversando para agilizar também as obras nas calçadas, que são mais rápidas de serem executadas e melhoram muito o dia a dia da população”, acrescentou Neto, lembrando que o projeto contempla ainda a criação de ciclovias e novo asfaltamento.
Etapas
A primeira etapa do projeto de Mobilidade Urbana, a DeMob 1, envolve a construção de uma ponte sobre o rio Paraíba, ligando os bairros Jardim Amália e Aterrado – e ainda a criação de 15 quilômetros de corredor de transporte público com faixas exclusivas. Somente nesta fase são R$ 66 milhões investidos.
A etapa intitulada DeMob2 contempla inicialmente a construção de 23 abrigos/estações ao longo dos corredores de transporte. Também estão envolvidos nessa fase a padronização de calçadas e equipamentos de acessibilidade com o objetivo de integrar as viagens a pé com modal transporte público; a construção de mais uma ciclovia; e a modernização do parque de iluminação pública, com a continuação da troca de lâmpadas de vapor de sódio por modelos de LED. São mais de R$ 42 milhões previstos em investimentos nesta fase.
A ação proposta para a demanda DeMob 3 contará com a construção de ponte sobre o rio Paraíba do Sul, transpondo não só o rio, mas um clube existente na margem oposta e a Avenida Desembargador Ellis Hermydio Figueira. Com 418 metros, a ponte será formada por três rampas e uma pista de mão dupla, além de uma passarela coberta de 2,70 metros, por toda sua extensão.

Artigo anteriorMenos, camarada, menos
Artigo seguinteBicho tá pegando
ARTIGOS RELACIONADOS

Crime animal

Pela via legal

Mistério a sete chaves

LEIA MAIS

Lazer

Mudo e com a mão no bolso

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp