Hospital da Criança

dsc03183
A inauguração da primeira fase de construção do Hospital da Criança, ao lado do Hospital do Retiro, aconteceu na manhã de ontem, sexta, 9. E Neto se revelou, como nunca fez. Sentimental como nunca, tanto que chorou até nos discursos, o prefeito mostrou estar bem relaxado, descontraído e brincalhão. Para surpresa de todos, contou até uma piada e no meio delas soltou um palavrão, que seu personagem da lorota disparou. “F.d.p”, disse, com todas as letras, arrancando sorrisos e algumas gargalhadas pelo inusitado da situação.

Depois de descerrar a placa de inauguração da unidade, que ganhou o nome do comerciante José Cury um dos mais tradicionais de Volta Redonda, dono da extinta Granval, loja de roupas localizada na Vila, e pai de Márcia Cury, diretora do Hospital do Retiro e futura diretora do Hospital São João Batista, Neto passou pelas salas de atendimento do Hospital da Criança, que já estava funcionando. Em uma delas, a sala vermelha, estava uma criança, acompanhada pela mãe, com problemas de alergia. Alguns fotógrafos queriam que o prefeito entrasse na sala para visitá-lo. O pedido não foi atendido. “O Neto é muito sentimental, não gosta de ver crianças assim; e se entrar lá, vai chorar muito”, justificou Ricardo Ballarini, titular da Assessoria de Comunicação.

“Estamos entregando um novo espaço com consultórios, com acesso ao Hospital do Retiro. A liberação dessa primeira fase foi de propósito, para melhorar a funcionalidade do hospital. Os pais e seus filhos terão uma acolhida melhor, um atendimento diferenciado. Quando a obra estiver pronta, o Hospital da Criança será desconectado do hospital e funcionará plenamente”, explicou o vice-prefeito Carlos Roberto Paiva.

De acordo com a arquiteta Cláudia Freitas, responsável pelo projeto, a primeira fase do hospital, uma construção de 250 metros quadrados, conta com recepção, 3 consultórios, 1 consultório de classificação de risco, 1 sala de medicação, 1 espaço de nebulização e 1 sala de emergência vermelha. Tudo com direito a ar condicionado.

“Ficarão faltando apenas as áreas de repouso e de internação, que fazem parte da segunda fase das obras”, explicou, anunciando que o anexo de cinco pavimentos que está sendo construído, para abrigar 75 leitos, está com a estrutura metálica pronta e no local deverá funcionar a maternidade. “Vou deixar para o Samuca e sua equipe inaugurarem”, brincou Neto. “Agora tá fácil”, acrescentou, com um sorriso maroto no rosto.

Deixe uma resposta