Grampos

Turistas (I) – Até ontem, sexta, 8, a Guarda Municipal, conforme release do Palácio 17 de Julho, abordou mais de 140 mil veículos, desde o dia 20 de março, entre carros, motos, táxis e Ubers. Mais de 800 foram orientados a retornar de onde vieram. Mas nem todos foram barrados. A foto, feita na terça, 6, mostra que cinco táxis, da cor amarela, provavelmente da capital, furaram o bloqueio montado pela GM sabe-se lá por que cargas d’água. Foram fotografados na área comum de um hotel no Aterrado, e há quem entenda que transportaram pacientes com a Covid para a cidade do aço… Turistas (II) – A presença de tantos taxistas de fora levou muita gente a desconfiar que os passageiros podem ter ligação com as OSs que administram os hospitais São João Batista e Retiro. É que elas são de fora. Pode até ser, mas que está mais para pacientes com a Covid-19 procurando atendimento em Volta Redonda, isso ninguém pode negar.
Câmara frigorífica – Esta outra foto, que circula pelas redes sociais, é terrível. Mostra vários corpos de pacientes que morreram no Hospital Regional vítimas da Covid-19 e que aguardavam remoção para algum cemitério da capital ou da Baixada, de onde devem ter vindo à procura de atendimento. Que os incrédulos caiam na realidade: a coisa tá feia. Incrédulo – O presidente da CDL-VR, Gilson de Castro, deve refletir bem com a foto do grampo anterior. É que ele, em recente encontro com Samuca, diante de uma dúzia de testemunhas, usou a expressão “Mas vai morrer gente mesmo” ao defender a abertura das lojas em Volta Redonda. Não deve ter perdido nenhum amigo ou familiar por conta da Covid-19, não é? Se tivesse perdido, não falaria tamanha besteira. Academias e clubes – O prefeito Samuca Silva recebeu uma proposta dos donos de academias e presidentes de clubes sociais para que eles possam reabrir a partir de 18 de maio. Prometeram, inclusive, atendimentos individuais ou com grupos reduzidos, utilização obrigatória de máscaras, higienização dos locais, grupo de risco afastado das atividades, entre outros. Resposta – Samuca explicou ao grupo que, junto com a equipe técnica da prefeitura, iria melhorar a proposta e levá-la à apreciação do MP. Isso se os casos da Covid-19 não aumentarem até lá, é claro. É que a partir de segunda, 11, o comércio varejista poderá abrir das 14 às 22 horas. E ninguém sabe como os consumidores vão se comportar. Ônibus – Nos últimos 15 dias, a prefeitura de Volta Redonda fiscalizou 468 ônibus à procura de irregularidades, como excesso de passageiros e pessoas em pé. Do total de carros vistoriados, 43 autuações foram emitidas, sendo que apenas 17 notificações foram expedidas para as empresas que realizam o transporte público na cidade do aço. Recursos – Segundo o deputado federal Christino Áureo (PP), o Sul Fluminense receberá mais de R$ 161,6 milhões para o combate à Covid-19. Volta Redonda terá um aporte de R$ 25,4 milhões e Barra Mansa deverá receber R$ 17, 2 milhões. Construção Civil (I) – O Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil voltou a atender os associados em sua sede de Volta Redonda, e na subsede de Resende, das 13 às 18 horas. Tudo na maior segurança. Exemplo: só é permitido o acesso a quem estiver de máscara, e com limite de três pessoas por vez. “A preocupação agora é proteger e salvar vidas, mas continuamos na luta contra as retiradas de direitos e as injustiças, que infelizmente chegam a todo o momento para o trabalhador. É preciso preservar a saúde, os empregos e os salários, diante dessa crise do Coronavírus”, lembra Sebastião Paulo, presidente do Sindicato. Construção Civil (II) – Os trabalhadores também podem utilizar os canais de comunicação do sindicato para esclarecer dúvidas, fazer denúncias e buscar informações sobre os serviços. Os telefones são 3348-2508 e 3355-1711 ou  pelo WhatsApp 99275-4521. Velho problema (I) – Na madrugada de quinta, 7, aconteceu mais um acidente na rede de abastecimento de água em Volta Redonda. Não foi o primeiro e nem será o último, pois a autarquia vive na pior. O rompimento de uma adutora no Aero prejudicou a distribuição de água para o Santo Agostinho, Caviana, Água Limpa, Dom Bosco, Nova Primavera e Parque do Contorno. Quem acessa as redes sociais do prefeito Samuca Silva encontra reclamações diárias contra a direção do Saae. Velho problema (II) – E falando em Saae, os moradores do Jardim Primavera não querem ver ninguém da autarquia nem pintado de ouro. Mais um remendo foi feito na entrada do bairro. E o acabamento da nova obra está como o da antiga: que acabamento? Cadastro Único – A prefeitura de Volta Redonda retomou o atendimento do Cadastro Único. A princípio os atendimentos serão para famílias que tiveram o benefício Bolsa Família cancelado em 2020 e famílias que recebem o BPC (Benefício de Prestação Continuada) e necessitam de atualização ou inclusão. O secretário de Ação Comunitária, Ailton Silva, explicou que todo atendimento deverá ser agendado pelos telefones 3339-9598 e 3339-9145. Chat – A prefeitura de Volta Redonda criou um chat para tirar dúvidas e fornecer orientações sobre os serviços oferecidos pela secretaria de Fazenda. De acordo com Fabiano Vieira, titular da pasta, casos relacionados à Dívida Ativa poderão ser resolvidos através da ferramenta. Até segunda via de boletos poderá ser pedida, de forma online, pelo link http://www.portalvr.com/chat/. Chat – Ao acessar o chat, o usuário terá acesso a informações sobre os serviços de IPTU, ITBIM, ISS, Nota Fiscal Eletrônica, alvará, taxas e fiscalização de estabelecimentos. Já na área de Dívida Ativa será respondido sobre CND e parcelamentos. Por fim, na Sala do Empreendedor, serão tiradas dúvidas sobre MEI, formalização de CNPJ, alteração de endereço e atividades de CNPJ, além de cadastro de nota fiscal. Colégio Militar (I) – Termina na segunda, 11, o prazo para quem quiser fazer a pré-matrícula para o 1º ano do ensino médio regular das unidades dos Colégios do Corpo de Bombeiros Militar (CCBM). Na unidade de Volta Redonda, localizada no Açude, estão sendo oferecidas 60 vagas. O cadastro é realizado exclusivamente em ambiente virtual, através do site www.cbmerj.rj.gov.br. Colégio Militar (II) – As vagas são para candidatos oriundos da rede pública de ensino (federal, estadual ou municipal) ou, secundariamente, da rede privada de ensino, desde que tenham, no mínimo, 13 anos e, no máximo, 16 anos. Os candidatos devem, ainda, ter concluído com aproveitamento, sem dependência em nenhuma disciplina, o 9º ano do ensino fundamental. Mais informações no site www.cbmerj.rj.gov.br. Da série perguntar não ofende – A prefeitura de Volta Redonda não ia lançar, no final de março, o portal da transparência de gastos com a Covid-19? O anúncio foi feito no dia 13 de março e até hoje nada, nadica de nada. Feira livre – A flexibilização do comércio, que será intensificada a partir de segunda, 11, foi bem acatada pelos feirantes de Volta Redonda que, até prova em contrário, estão cumprindo todas as regras de segurança determinadas pela prefeitura local. Atualmente, a Feira livre só pode funcionar de segunda a sexta, nos bairros tradicionalmente autorizados, das 6 às 14 horas, e somente para gêneros alimentícios. Além disso, o espaçamento mínimo entre as barracas deve ser de três metros. Apelando (I) – Depois de passar as últimas semanas em uma briga aberta contra o prefeito Samuca Silva, por este não concordar em permitir a abertura das lojas antes do Dia das Mães, o presidente da CDL-VR, Gilson de Castro, lançou uma campanha institucional pelas redes sociais da entidade para incentivar a compra dos presentes pela internet das lojas que atendem pelo sistema de ‘delivery’. Para incrementar, prometeu sortear um smartphone, modelo A30, da Samsung. Só faltou anunciar nas ‘pererecas’ (carros de som), que ninguém atura mais. Apelando (II) – Ao comentar a campanha virtual, Gilson voltou a bater na tecla de que os empresários locais já teriam demitido milhares de trabalhadores. “O comércio de Volta Redonda já precisou demitir mais de 5 mil trabalhadores, porque, sem vender, não há como arcar com folha de pagamento, impostos, despesas como aluguel”, comentou, sem apresentar qualquer prova do que afirma. Aliás, o próprio prefeito Samuca discorda dos números. Seria tudo na base do ‘chutômetro’.

Deixe uma resposta