Grande desafio

O prefeito Samuca Silva pode ser tudo. Ditador, comunista e marqueteiro, entre outros adjetivos que vai acumulando desde que assumiu o Palácio 17 de Julho. O último foi o de ‘trancarua’, por impor restrições ao acesso de quem mora em Barra Mansa, Pinheiral, Barra do Piraí à cidade do aço. Teimoso, entretanto, é o que mais lhe convém nesse período de Covid-19. Tanto que, apesar dos prognósticos pessimistas que apontam aumento nos casos do novo coronavírus, ele manteve a flexibilização do comércio varejista em Volta Redonda. E a partir das 14 horas de segunda, 11, todas as lojas do município poderão abrir suas portas até às 22 horas. Horário infeliz, por sinal. “Esse horário não é para sempre, é apenas um período de adaptação. Nenhuma empresa vai precisar ficar aberta até às 22 horas, podem fechar antes. Mas estamos pedindo ao 28° Batalhão da Polícia Militar para reforçar o policiamento nos centros comerciais. Este é um momento em que todos precisam fazer sua parte para que possamos evitar o contágio em massa pelo coronavírus”, argumentou ao longo das suas últimas lives nas redes sociais. Samuca vai além. Explica que o horário alternativo visa evitar aglomerações nos centros comerciais e, assim, crê ele, vai conter o avanço da Covid-19. “Às 14 horas estamos evitando, por exemplo, os ônibus cheios de manhã, já que estamos diferenciando os horários dos setores bancários, de serviços e a troca de turno da CSN. Vamos acompanhando a evolução do vírus e a abertura do comércio, para que possamos, de comum acordo com o MP, alterar esse horário no futuro”, justificou, lembrando que vai promover reuniões semanais, se for o caso, para avaliar a abertura das lojas. Sem passageiros Se a questão do horário provocou reações diversas, principalmente por questão de segurança, em entrevista exclusiva ao aQui, Samuca confessou estar ultimando os detalhes de uma nova medida. Explosiva e que, certamente, vai povoar a imaginação de quem apoia as regras determinadas por ele para combater a Covid-19 e de seus adversários políticos, que atuam, apesar dos riscos da pandemia, com a máxima de quanto pior, melhor. A ideia de Samuca é impedir o acesso de todos os ônibus das linhas intermunicipais com destino a Volta Redonda. Isso mesmo, os veículos da Sul Fluminense, por exemplo, que transportam passageiros de Barra Mansa para a cidade do aço, teriam que parar na Ponte Alta, de onde deverão retornar ao município de origem. O mesmo deve acontecer com a linha da empresa que passa pela Avenida Presidente Kennedy até chegar à divisa com Volta Redonda, na Avenida Beira Rio. Os ônibus que saem de Barra do Piraí, passando pelo Complexo da Califórnia, não terão acesso ao São Luiz. Os de Pinheiral terão que retornar quando chegarem na divisa com Volta Redonda, nas proximidades da Fundação Oswaldo Aranha. Passageiros das linhas de Rio Claro, Quatis, Porto Real, etc também serão impedidos, prevê Samuca. O radicalismo, segundo Samuca, se faz necessário. “Precisamos diminuir o fluxo de pessoas e evitar aglomerações. Volta Redonda é um centro comercial, atrai gente de todas as cidades que vem comprar, passear e buscar atendimento na área de Saúde e, por conta disso, sentimos a necessidade de reduzir esse número de pessoas aqui. A decisão de liberar o comércio foi planejada e escalonada”, justificou, confessando que a proibição de acesso dos ônibus deveria ter sido implantada já nesta segunda, 11. “Vamos dar mais prazo para se prepararem”, justificou, referindo-se aos empresários de ônibus. Ciente de que será bombardeado, o prefeito faz questão de frisar que suas medidas são necessárias para garantir a saúde da população de Volta Redonda. E, por tabela, das demais cidades da região. “Precisamos preservar nossa rede de Saúde em relação ao uso de leitos de UTI para a Covid, já que não estamos acompanhando os protocolos de outras cidades”, pontuou. “Essas medidas não vão durar para sempre”, destacou. Sobre os problemas econômicos que poderão afetar as empresas de ônibus, Samuca contou ao aQui que entende a posição dos empresários. Mas, frisa, o que ele tem mesmo é que se preocupar com a população. “Entendemos (a reação), mas neste momento precisamos diminuir as possibilidades de aglomeração nas ruas e manter os níveis atuais da Covid-19!”, ponderou. Indagado sobre o início da operação, Samuca disse que sua equipe está avaliando as alternativas. “Nesta semana, eles (ônibus) continuam. Vão ficar entrando em Volta Redonda até domingo, 18. Depois vamos anunciar, pois estamos avaliando como será feita a operação”, justificou o prefeito, disse, para logo acrescentar: “Sabemos que trabalhadores usam o transporte público e esta decisão só não foi efetuada até agora por isto mesmo”, disparou. Entre as alternativas já estudadas, uma chama atenção. “As empresas poderiam permitir apenas a entrada (nos ônibus) das pessoas previstas como exceções no nosso atual decreto”, contou. “Legalmente estamos estudando o assunto”, acrescentou. Uma coisa Samuca quer deixar claro. A proibição tem tudo para sair do papel. “Se não encontrarmos meios legais, vamos parar (o acesso) totalmente como uma forma de diminuirmos a circulação das pessoas e preservarmos os números atuais e a evolução histórica dos infectados”, finalizou. Reações Procurados pela reportagem do aQui para falar sobre a nova medida a ser implementada em Volta Redonda, alguns empresários se mostraram incrédulos. É o caso de Gustavo Teixeira de Paiva, da Viação Pinheiral e Agulhas Negras. “Avaliamos com muita preocupação, pois estamos hoje transportando em torno de 20% do passageiro normal. No caso da Viação Agulhas Negras seríamos atingidos em todas as linhas. Já no caso da Viação Pinheiral em torno de 70%. Temos compromissos com cerca de 200 colaboradores em cada empresa, fornecedores, financiamentos e o próprio crédito da empresa que possivelmente será difícil retornar”, pontuou. “Isto seria muito ruim para todo o sistema, tendo em vista que a Sul Fluminense, bem como a Elite, também tem linhas intermunicipais. E não podemos deixar de avaliar que Volta Redonda é acesso a toda a região, como Angra/Parati, Barra do Piraí/Valença, Vassouras, Piraí, Resende e outras”, completou. Veja abaixo as linhas que ligam as cidades da região a Volta Redonda Angra dos Reis a Volta Redonda – Colitur – valor da passagem: R$ 37,90. Oferece seis horários: saindo às 05h30min; 7 horas;9h40min; 13h30min; 15h40min; e às 19h15min – de segunda a domingo. Barra do Piraí a Volta Redonda – Viação Nossa Senhora Aparecida – valor: R$ 10,90. Oferece 10 horários: 6h30min – segunda à sexta; 9 horas– domingo e feriado; 13h30min – segunda à sexta; 17 horas – segunda à sexta; 6 horas – domingo e feriado; 9h30min – sábado; 13h45min – sábado; 16h40min – sábado; 16 horas – domingo e feriado; e 19 horas – domingo e feriado. Barra Mansa x Volta Redonda (Via Retiro), valor: R$ 4,45 Horário inicial – 5h10min – Horário final- 01h30min – de segunda a domingo e feriado. Barra Mansa x Volta Redonda (via Rua 14), valor: R$ 4,45. Horário inicial –5h40min – Horário final – 00h40min – de segunda a domingo e feriado. Barra Mansa x Volta Redonda (Via Jardim Amália) – valor: R$ 4,45. Horário inicial –6h00min – Horário final – 18h10min – de segunda a domingo e feriado. Barra Mansa x Volta Redonda (Via Retiro) – valor: R$ 4,45. Horário Inicial – 5h30min – Horário final- 00h40min -de segunda a domingo e feriado. Pinheiral x Ponte Alta – Viação Pinheiral – valor: R$ 5, 35. Oferece 52 horários a partir das 5 horas, a maioria com intervalos de 10 minutos, no período da manhã e tarde, sendo que à noite já oferece viagens com intervalos maiores, de uma hora, por exemplo, até à meia noite. Resende a Volta Redonda – Viação Resendense – valor:R$ 14, 25. Oferece horário das 5 ás 22h45min, de segunda a sexta; das 5 até às 22h30min, aos sábados; e da 5h30min ás 23 horas, aos domingos e feriados. Piraí a Volta Redonda (Três Poços) – Cidade do Aço – valor: R$ 9,50. Oferece 7 horários: 6h10min; 7h25min; 10h20min; 12h25min; 14h30min; 16h30min; e 17h 40min, todos de segunda a domingo. Itatiaia a Volta Redonda – Resendense – valor: R$18,30. Oferece 2 horários: 7h50min e 17h10min, de segunda a domingo. Quatis a Volta Redonda – Viação Falcão – valor: R$ 11,50. Oferece 5 horários: 5h20min; de segunda a domingo; 5h 30min, aos domingos; 6h30min, 14h30min, e 22h30min, de segunda a domingo. Valença a Volta Redonda – Util – valor: R$ 19,55. Oferece 1 horário: 15h15min, de segunda a domingo.

Deixe uma resposta