Grampos

Noivos – O namoro – político, é claro -do deputado federal Antônio Furtado com Márcia Cury, ex-secretária de Saúde dos governos Neto e Samuca, já virou noivado. Os dotes para um possível casamento foram colocados na mesa durante encontro da dupla, ambos mascarados, quando o parlamentar anunciou que estava indicando Márcia para ocupar o cargo de coordenadora do Médio Paraíba no combate a Covid-19.

Exagerado – Por falar em Furtado – não confundir com o vereador  –, o parlamentar vestiu, literalmente a camisa dos empresários de Volta Redinda e passou a defender a reabertura das lojas na cidade do aço. Em uma live, exagerou um pouco ao dizer que Volta Redonda vai chegar a ter 8 mil desempregados se o comércio continuar fechado (ver foto).

Morreu – Entre os pacientes de fora que morreram em Volta Redonda, especificamente no Hospital Estadual Zilda Arns (Regional), estava o secretário de Ação Social da prefeitura de Paracambi, Mauro Dos Reis Gonçalves. Ele tinha 62 anos e morreu devido à Covid-19.       

Água (I) – Todo mundo só fala em coronavírus, certo? Errado. Os moradores da Caviana, por exemplo, só falam em água… que não chega às torneiras das casas do bairro. Na terça, 21, eles aproveitaram e fizeram a reclamação diretamente ao prefeito Samuca Silva. Já estavam há 6 dias sem poder lavar a roupa em casa. Lavaram em público.

Água (II) – Samuca chegou a perguntar se a reclamação tinha sido dirigida à direção do Saae-VR.  “Ligamos pra lá mas ngm atende e não é de agora q não atende. Por fim até desistimos”, desabafou um deles, usando o ‘linguajar’ das redes sociais.

Exemplo – No domingo, 19, um vídeo tomou conta das redes sociais na capital. Era de um protesto contra o governador Wilson Witzel. E não é que no meio da filmagem apareceu um caminhão da rede Floresta, da família do vice-prefeito Maycon Abrantes, estacionado bem em cima de uma calçada de uma rua próxima ao palácio Laranjeiras? Isso não pode. É queimar o nome da empresa, que já está meio queimado desde que pediu recuperação judicial.

Queimado (I)  – Por falar em Maycon Abrantes, desde que deixou o Palácio 17 de Julho o empresário vem batendo no governo Samuca. E apanhando por conta dessa nova postura de crítico feroz do prefeito. Maycon já criticou, entre outras, os gastos com o hospital de campanha. Para ele, o dinheiro deveria ser usado na reforma do antigo Hospital Santa Margarida. E bateu no secretário de Meio Ambiente, Maurício Ruiz, por conta do corte de várias palmeiras na Radial Leste.

Queimado (II) – No caso das Palmeiras, Ruiz e Maycon chegaram a trocar ofensas pelas redes sociais. Um jogando a culpa no outro. Se a discussão não fosse pele internet, certamente os dois se agrediriam.

Briguento – Além da confusão com o vice-prefeito, Ruiz, o homem das árvores, trocou vários palavrões com o vereador Carlinhos Santana, de oposição ao governo. O quiproquó foi parar nos tribunais.

Da série perguntar não ofende – Por que é que o vereador Carlinhos Santana parou de bater no governo Samuca? Tem algo a ver com o caso Paulinho do Raio-X?

Erramos – Na edição passada o aQui errou feio ao usar uma foto do prefeito Ednardo para ilustrar uma nota sobre o fato do ex-prefeito de Pinheiral, Arimathéa, ser pré-candidato a vereador em Volta Redonda. O Arimathéa de verdade é este que aparece acima, ao lado do deputado Alessandro Molon.  

Comércio – Na quinta, 23, o governador Wilson Witzel jogou um balde de água fria na cabeça dos empresários que defendem a reabertura geral do comércio em todo o estado do Rio. Para ele, ainda não há um prazo definido para o fim do isolamento. Vai depender, entre outras, da implantação dos hospitais de campanha, no caso da capital e das cidades da Baixada Fluminense.

Encontro – Na manhã de ontem, sexta, 24, Samuca disse, em entrevista a Dário de Paula, que se reuniu na quarta, 22, com o MP. E que teriam uma nova rodada de negociações para debater a famosa proposta técnica. “Para que o nosso cotidiano volte, tem que ser baseado em algo técnico e num monitoramento diário”, afirmou, destacando que, por três dias consecutivos, a UTI da rede pública municipal não teria tido nenhum paciente internado.  “Zero casos de UTI”, disparou. “Em Volta Redonda, a rede privada está tendo uma maior ocupação (da UTI) do que o público, isso significa que quem não tem tanto poder aquisitivo está tendo menos contato com o vírus”, crê. 

Previsão (I) – Na entrevista, alternando boas e más notícias, Samuca fez uma previsão. “Os casos confirmados vão aumentar, já quero deixar claro aqui. Hoje (ontem) nós temos 873 casos suspeitos, 245 casos confirmados, mais de mil pessoas em quarentena. Esses casos ainda vão aumentar porque se você tá falando em voltar ao cotidiano (em abrir o comércio), você está falando do contato de pessoas. Tem que fazer de uma forma segura. Vamos continuar com os cinturões na cidade. Essa relação que nós temos em Volta Redonda é colocando ela como se fosse um país, preservando, obviamente, as questões legais”, argumentou.

Previsão (II) – Mesmo que indiretamente, Samuca deixou claro na entrevista a Dário que não estava de acordo com a postura do prefeito de Barra Mansa de anunciar a reabertura das lojas para segunda, 27 (decisão embargada pelo MP). “Decisões isoladas devem ser avaliadas em conjunto”, disparou. “Com todo respeito ao prefeito (Rodrigo), não está sendo fácil para todo mundo, mas essas decisões têm que ser tomadas em conjunto”, lamentou.

Rivotril (I) – O aQui teve acesso ao atestado médico que o vereador Paulinho do Raio-X apresentou na Câmara para não ter que depor na CPI que investiga sua participação no suposto caso de extorsão denunciado por Samuca Silva. O parecer do psiquiatra dá conta que o parlamentar é bipolar. Teria alterações marcantes de humor e personalidade. Tem mais. Sofreria de transtornos causados pelo estresse.

Rivotril (II)– Para tratar da doença, o psiquiatra de Paulinho receitou ansiolítico e sugeriu que o mesmo evite passar por grandes emoções para não ter um siricutico. Não à toa, seu atestado vale por 40 dias (a contar de 14 de abril).

Rivotril (III) – Na carta aberta, endereçada à população, o vereador, de oposição a Samuca, explicou que não foi depor na CPI por estar em tratamento médico. E afirmou que pretende ser ouvido para poder apresentar sua versão dos fatos. Tem mais. Garantiu que não envolveu nenhum outro parlamentar na suposta falcatrua. Resta saber qual das personalidades de Paulinho escreveu a carta: se era o Paulinho sem estresse ou o Raio-X estressado querendo receber uma ‘injeção’…

Vem vindo – O radialista Betinho Albertassi se filiou ao PSD, uma das legendas ligadas ao prefeito Samuca Silva. Há quem garanta que não foi fácil para ele entrar para a política, pois seu programa Fato Popular, na Rádio 88, vai de vento em popa. Mas, já que se filiou, nada como se lançar pré-candidato a vereador em Volta Redonda. 

Eita – Na terça, 21, feriado de Tiradentes, o prefeito Samuca Silva fez sua live de uma ala do Hospital de Campanha, que já está funcionando no Raulino de Oliveira. No início da transmissão, Samuca, Alfredo Peixoto (secretário de Saúde) e a intérprete de libras, que sempre participa da live, estavam de máscara (ver foto). Ao afastar a máscara para que não atrapalhasse a sua fala, Samuca passou a ser massacrado pelos internautas como se estivesse cometendo um crime. Como se o detalhe da máscara fosse o mais importante da live. Não era.

MP (I) – Na live, por exemplo, Samuca manteve a tese de promover uma abertura lenta e gradual do comércio em Volta Redonda, como desejam lojistas e comerciantes. Nem citou que tinha acabado de receber, na segunda, 20, uma nova determinação contrária enviada por Leonardo Yukio Kataoka, promotor de Justiça. Dizem que o representante do MP ficou possesso.

MP (II) – A determinação foi noticiada pelo aQui nas suas redes sociais e o promotor teria ficado ainda mais possesso pela história de que teria recebido, para analisar, uma proposta de Samuca para liberar o comércio em Volta Redonda. Pelo visto, não tinha recebido o documento e não gostou de en-trar de gaiato na história. 

MP (III) – Fica a pergunta: o MP recebeu a proposta técnica que Samuca diz ter entregado? Concordou ou não com a abertura das lojas? Procurada pelo aQui, a assessoria de imprensa do MP preferiu não responder às indagações.

MP (IV) – Vale lembrar que no dia 17, há exatamente nove dias, Samuca esteve no MP. Na volta, anunciou que apresentou a sua proposta em que condicionava o aumento dos casos e a ocupação de leitos à retomada das atividades comerciais. “Estamos fazendo o que é preciso ser feito. Mas, a partir do dia 28, acredito na possibilidade de flexibilizar a abertura do comércio dentro de critérios técnicos. Foi essa proposta técnica que entreguei à promotoria”, disse Samuca, lembrando que a cidade do aço é réu de uma ação judicial, cujo autor é o MP, que impede o funcionamento do comércio. Ação que ainda não caducou, é bom que se frise.

Prova dos nove – A proposta que Samuca teria apresentado ao MP para permitir a abertura das lojas, principalmente às vésperas do Dia das Mães, seria possível desde que a prefeitura constatasse o seguinte: 1- se o número de casos suspeitos não aumentasse em 5% por dia; 2 – se o número de leitos ocupados nos CTIs da rede pública não ultrapassasse 50%; 3 – se o número de leitos ocupados no Hospital de Campanha não ultrapassasse 70%. Parece simples, né? Não é!

Importante: As mesmas determinações feitas pelo MP ao prefeito Samuca Silva foram encaminhadas aos prefeitos de Barra Mansa, Rodrigo Drable, e de Pinheiral, Ednardo Barbosa. Rodrigo resolveu peitar e a Justiça deu liminar ao MP proibindo a reabertura do comércio em Barra Mansa a partir de segunda, 27. Ednardo também peitou, mas não se sabe se o MP recorreu à Justiça. Deve recorrer, é claro.  

Da série perguntar não ofende – O que deu a reunião que Samuca Silva faria na segunda, 20, às 10 horas, com as entidades representantes dos trabalhadores, como Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Sindicato de Asseio e Conservação, Sindicato dos Rodoviários, entre outros? Já que ninguém disse nada, não deve ter dado em nada, não é?

Covid-19 – O vereador Paulo Conrado está com a Covid-19. O parlamentar está em casa, passa bem e em tratamento. Mais duas pessoas da família também teriam sido infectadas, mas passam bem.

Deixe uma resposta