terça-feira, agosto 16, 2022

Grampos

 

Luto (I) – Morreu na manhã de sábado, 31, o jornalista e publicitário Vicente Paulo de Melo, 76 anos, um dos fundadores do Opção, jornal semanal lançado na década de 70 e que serve de inspiração para o aQui. Vicente morreu de parada cardíaca e seu corpo foi enterrado no Portal da Saudade. Deixa mulher e dois filhos.


Luto (II) – O publicitário Marcelo Argolo de Oliveira, 49 anos, faleceu na madrugada de quinta, 5. Ele foi coordenador da Juventude no governo Neto entre 2012 e 2016 e ultimamente era responsável pela área de Comunicação do Clube dos Funcionários. Ele morreu de complicações causadas pela Covid-19.

Supera RJ (I) – A Agência de Fomento do Estado do Rio de Janeiro (AgeRio) reabriu o prazo para quem quiser se inscrever para obter as linhas de crédito do programa Supera RJ a juro zero. A nova etapa será destinada somente aos pedidos efetuados por micro e pequenas empresas, que podem solicitar até R$ 50 mil de financiamento. A nova fase de inscrições acontece devido ao andamento das análises feitas nos mais de 45 mil pedidos que foram realizados até o momento. Os interessados devem acessar o site www.agerio.com.br

SuperaRJ (II) – O auxílio-emergencial concedido pelo programa Supera RJ – Lei 9.191/21 – pode contar com uma cota adicional exclusiva para compra de botijão de gás (GLP). É o que propõe o Projeto de Lei 4.389/21, que foi aprovado, em discussão única, pela Assembleia Legislativa na quarta, 4. A medida é de autoria original do deputado André Ceciliano (PT), presidente da Alerj. O texto seguirá para o governador Cláudio Castro, que tem até 15 dias úteis para sancioná-lo ou vetá-lo.

Supera RJ (III) – A ideia é conceder um suplemento que pode ir de R$ 50,00 a R$ 80,00. A medida complementa o auxílio de até R$ 300 e é necessária, segundo Ceciliano, dado ao preço do botijão de gás, que sofreu sucessivos reajustes da Petrobras, o último de 39%, em junho deste ano. “O aumento dos preços do gás de cozinha é derivado da política de preços praticada pela Petrobrás e do aumento do dólar, levando famílias a usarem outras fontes de energia, como a lenha e restos de madeira que, além de poluentes, degradam ainda mais a natureza. Essa medida é importante principalmente para as famílias que vivem em situação de pobreza, que precisam escolher entre comprar o botijão de gás ou comida”, justificou o deputado.

Deficientes – Para que pessoas com deficiência possam ter acesso aos cursos do UGB, a prefeitura de Volta Redonda e a direção da universidade firmaram uma parceria que prevê a oferta de 35 vagas para o curso superior de Administração mantido pela entidade. As inscrições para o processo seletivo e provas vão ocorrer no período de 9 a 14 de agosto e a aula inaugural está prevista para acontecer no dia 16, às 18 horas.

Leilão – O leilão de bens móveis realizado, pelo Saae-VR, na sexta, 30, arrecadou R$ 321.600. De acordo com o presidente da autarquia, Paulo Cesar de Souza, o PC, a soma será usada para aquisição de bens patrimoniais para a autarquia. “Foram leiloados materiais que estavam ocupando espaço e virando sucata. Conseguimos arrecadar uma quantia significativa, que será revertida para melhorar a estrutura do Saae”, afirmou PC. Entre os itens leiloados estavam mais de 10,4 mil itens diversos e veículos irrecuperáveis e recuperáveis. O lote com a maior quantia arrematada foi o de número 16, de carcaças de hidrômetros, que foi arrematado por R$ 242 mil.
Fechado – Entre os dias 30 de julho, sexta, e 1º de agosto, domingo, as equipes da força-tarefa da prefeitura de Volta Redonda fiscalizaram 62 comércios em 12 bairros da cidade do aço. Um deles foi autuado e fechado no Aterrado. No Volta Grande, os agentes acabaram com uma festa realizada em um bar, que não tinha licença para promover este tipo de evento e foi autuado. Ainda é pouco para o que se vê na cidade nos finais de semana.

Catarata – Na segunda, 2, a prefeitura de Volta Redonda iniciou a segunda fase do programa Revi-VER de cirurgia de cataratas, que pretende realizar mais 600 cirurgias até o dia 12. No mês de julho, segundo informações oficiais da secretaria de Saúde, “mais de 500 cirurgias foram feitas, e a previsão é que, até o fim do ano, o projeto chegue a 4,5 mil cirurgias”.

Da série “perguntar não ofende” – Que dificuldade real a secretaria de Saúde teria para informar o número certo de cirurgias de cataratas que foram feitas em julho? Dizer que mais de 500 foram feitas é querer enfeitar o pavão… Só falta a pasta dizer que os lançamentos dos procedimentos são feitos a lápis, um por um, e no papel, com nome, endereço, CPF, título de eleitor etc. Que o prefeito Neto compre uns computadores para melhorar a eficiência da secretaria de Saúde do seu governo.

Funerária (I) – A secretaria de Ação Comunitária (Smac) vai comprar três veículos novos para a Funerária Municipal. Pretende ainda reformar as capelas mortuárias do Aterrado e do Cemitério do Retiro. O diretor do departamento Funerário, Paulo Afonso da Silva, informou que, quando assumiu a coordenação, encontrou fornecedores sem pagamento e até o serviço de entrega de flores estava interrompido. “As dívidas foram quitadas e hoje, após nova licitação, o serviço de forne-cimento de urnas e flores foi retomado”, contou, lembrando que os veículos também passaram por manutenção para voltar a atender os munícipes.

Funerária (II) – A Funerária de Volta Redonda funciona dia e noite, por 24 horas, em sistema de plantão. É oferecido serviço de remoção do corpo, tanto em casa quanto em hospitais, e a preparação da urna com ornamentação com flores. O traslado dentro do município custa R$ 80,00 e, para fora, o preço é calculado pela quilometragem. O preço da urna mais simples custa R$ 340. “Pelo menos um terço do valor cobrado pelo serviço privado, mas há modelos que podem chegar a R$ 1,8 mil”, informa Paulo Afonso.

Cemitério – Por falar em mortes, o governo Neto até hoje não disse o que pretende fazer para aumentar a oferta de espaços para enterros em Volta Redonda. No Cemitério do Retiro, não há vagas. Só para quem já tem algum parente enterrado na unidade.

Plantando Cidadania (I) – Criado pela Smac, o projeto “Plantando Cidadania” atendeu ‘mais’ de duas mil pessoas e, ao todo, ‘mais’ de três mil documentos foram emitidos pela pasta entre os dias 26 e 30 de julho. Detalhe: o projeto provocou longas filas em todos os dias, contrariando todas as medidas para evitar aglomeração em tempo de Covid-19.

Plantando Cidadania (II) – Titular da Smac, Munir Francisco, irmão do prefeito Neto, aproveitou as críticas contra as filas para atacar o governo Samuca. “A fila é do tamanho do descaso social. Não sabíamos que Volta Redonda tinha tantas pessoas sem os seus documentos pessoais. E isso reflete em outros setores da cidade. Estamos resgatando a cidadania dessas pessoas, que agora poderão, inclusive, voltar para o mercado de trabalho. Só quem acompanhou as ações durante essa semana pode mensurar a felicidade de cada pessoa que conseguiu retirar os seus documentos”, justificou, Menos, Munir, menos.

Conferência – Para evitar novas filas, a prefeitura de Volta Redonda pode, por exemplo, se preparar melhor para a realização da 14ª Conferência Municipal de Assistência Social, que será realizada de forma híbrida, presencial e com transmissão pela internet, nos dias 26 e 27 de agosto, no UGB, no Aterrado. O tema deste ano é “Assistência Social: Direito do povo e Dever do Estado, com financiamento público, para enfrentar as desigualdades e garantir proteção social”.

Esgoto – As equipes de manutenção do Saae-VR concluíram a construção de uma nova rede de esgoto, de 30 metros, em uma servidão localizada entre as ruas Vereador Joaquim Ramos e Itamar Assis Pereira, no Village Santa Helena. O objetivo é acabar de vez com um vazamento de esgoto que ocorre há anos no bairro.

 

Artigo anterior
Artigo seguinteLeilão mantido
ARTIGOS RELACIONADOS

Grampos

Grampos

Grampos

LEIA MAIS

Grampos

Expectativa angustiante

Grampos Barra Mansa

Barrados na porta

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp