Grampos

Parceria (I) – Como de vez em quando dá uma colher de chá ao hoje vereador Betinho Albertassi indo ao seu programa – originalmente, na Rádio 88 FM –, o prefeito Neto anunciou na terça, 11, que está prestes a divulgar uma nova parceria com a FOA. Passa por construir uma estrada de 4 quilômetros, saindo da Água Limpa, perto do Túnel 20, passando por trás do campus da fundação até chegar a Pinheiral. “É mais uma conquista”, gabou-se.

Parceria (II) – Logo após, Neto disse que iria “discutir a questão da estrada e um projeto antigo” que, segundo o prefeito, todo mundo fala dele, que liga “ali atrás da sede do Voltaço (na 207), para chegar na 60”, contou, referindo-se aos dois bairros de Volta Redonda. “Esse caminho é uma obra de peso, muito grande, mas vamos começar a conversar com a FOA”, afirmou. “Ela vai nos ajudar nesse projeto (do campus, grifo nosso) e no outro”.

Parceria (III) – Quando Betinho perguntou sobre a verba para o asfalto da nova estrada, Neto deu a má notícia. “Lógico que (a estrada) vai ser asfaltada, sim, mas tem um longo trabalho até chegar lá”, comentou, mostrando que por enquanto tudo não passa de um sonho. “Nós vamos conversar e buscar parceiros. Governo Federal, governo do Estado”, relacionou. “E vou começar a discutir a outra estrada que vai cortar ali da 207 até chegar na 60, passando pelo Clube dos Funcionários. É um sonho antigo, quem sabe a gente não consegue tornar realidade”, pontuou. É, sonhar não custa nada. O Pátio de Manobras, em Barra Mansa, levou quase 100 anos para se tornar realidade. Falta pouco, mas vai ser concluído ainda pelo prefeito Rodrigo Drable.

Shopping (I) – Outro sonho abordado por Neto com Betinho Albertassi foi o da reforma do Sider Shopping, que é do grupo CSN. Se dependesse da siderúrgica, o Sider seria outro já há muito tempo (desde 2010), e muito mais forte economicamente falando por estar no coração da Vila Santa Cecília e não afastado, como seu principal concorrente, o Park Sul, na Rodovia dos Metalúrgicos. “É importante esse novo shopping, que terá uma passarela ligando um shopping a outro – vai ser do Sider ao Hortifruti”, disse Neto, referindo-se ao terreno ao lado do Sider, que faz parte do patrimônio da CSN e está alugado a um ‘sacolão’. Segundo Neto, a prefeitura iria encaminhar uma mensagem à Câmara para que aprovem o projeto por envolver cessão de espaço público. Explica-se: pelo projeto, a CSN vai construir um prédio no lugar do sacolão da altura do Sider e pretende unir os dois prédios por uma passarela por cima da Rua 12. No projeto original, aprovado pela Câmara, a passarela já existia, mas os prédios seriam interligados ao imóvel de um supermercado, o Extra. “O projeto já foi aprovado uma vez, uns anos atrás”, confirmou Neto.

Shopping (II) – Ao falar do projeto, o prefeito contou que o imóvel da CSN onde está o sacolão terá mais alguns andares e no último seria construída uma passarela ligando o Hortifruti ao Sider Shopping. “Vai ter um prédio, o último andar vai ter essa ligação, uma passarela, foi o que combinamos”, acentuou, anunciado que a mensagem poderia seguir naquele mesmo dia para a Câmara de Volta Redonda.

Otimista – Para obter as graças dos vereadores, Neto diz que o investimento da CSN será da ordem de R$ 100 milhões, com a geração de 200 empregos durante a obra e 300 quando o novo shopping entrar em funcionamento.

Cirurgias – Para voltar a ficar numa boa com Betinho Albertassi, que andou votando contra o governo (mensagem do aumento da contribuição previdenciária), Neto soltou uma ‘exclusiva’ no ar. Que no próximo dia 25 a prefeitura fará a ‘licitação das Cataratas’. “Vamos fazer 4 mil cataratas, notícia de primeira mão pra vocês”, disse. “Eu quero atender os meus velhinhos, eu quero que eles enxerguem bem, que voltem a ter o que tinham em Volta Redonda: a melhor idade, com muita saúde, muita paz”, comentou. “Todas serão feitas aqui na cidade”, acrescentou, lamentando que não tenha conseguido fazer acordo com os hospitais da rede particular. “Tentei a princípio fazer com uns hospitais de Volta Redonda, mas não consegui. Mas seja o que Deus quiser, é uma vitória”, destacou.

Cirurgias – O pregão das 4 mil cataratas está realmente marcado para o dia 25. Será às 14h30min. Detalhe: pelo menor preço.
O que os olhos não veem – Foi o bastante para um gaiato de plantão se questionar se, após voltarem a enxergar, os velhinhos de Neto ficarão satisfeitos com o que vão ver por aí.

Indiretas (I) – Logo a seguir, aproveitando que Betinho levantou a bola, Neto não perdeu a chance e ‘fechou o set’ – como se os dois estivessem em uma partida de voleibol. Foi quando o vereador-radialista pediu que o prefeito falasse de economia. “Volta Redonda atravessa um momento muito delicado financeiramente”, iniciou, detalhando por longos minutos tudo o que encontrou – deixado por Samuca, ‘um péssimo gestor’, definiu. “Hoje a minha receita fixa é de 28 milhões de reais, e a minha despesa, só com a folha de pagamentos, é de 41 (milhões). A conta não fecha, né? Não fecha mesmo, por isso temos que reduzir, temos que ser verdadeiros gestores, contar com pessoas competentes envolvidas na diminuição das despesas e no aumento de receitas. Ninguém sobrevive do jeito que esse município está, a situação está muito delicada”, revelou.

Indiretas (II) – Foi nesse momento que Neto abordou a mensagem do aumento da contribuição previdenciária de 11% para 14%, que Betinho Albertassi votou contra. “A Câmara me ajudou, na verdade nem me ajudou, ajudou o funcionalismo público, porque houve uma Lei do governo Federal, que você tinha que aumentar o desconto do funcionário público para a previdência de 11% para 14%”, comentou, indo além: “Na verdade, não é nem para a aposentadoria do funcionário e nem para o município, que não arrecada um tostão disso. Pelo contrário, no momento que você aumenta a receita da aposentadoria do funcionário público, que desconta dele, você tem que descontar do município. O município, que não tem onde cair morto, vai ter que aumentar quando colocada em prática essa lei, e hoje não pode fazer, porque não tem como cobrir a parte dele”, detalhou.

Indiretas (III) – Para encerrar Neto, deu o xeque-mate, sem ser contestado. “Eu quero agradecer à Câmara, que entendeu esse desafio, entendeu que o município não ganha nada com isso; quem ganha é o funcionário público, né? Tem gente que não consegue entender isso, ou quer fazer oposição por fazer, mas o próprio Sindicato (dos Servidores) entendeu que o município não gostaria de estar fazendo, mas a Lei Federal nos obriga”, encerrou.

Taxa de luz (I) – Outro ponto de discórdia entre Betinho e Neto foi com relação à taxa de iluminação pública, que seria votada na noite de terça, 11. É que, até prova em contrário, não teria voto do vereador como queria Neto (os dois chegaram a bater boca no Palácio 17 de Julho). “Eu tô fazendo um apelo pela aprovação. Se aprovar, eu agradeço em nome da cidade; se não aprovar, vamos ficar sem luz”, disparou. “Lamentavelmente, eu não quero ser irresponsável de deixar a cidade às escuras”, acrescentou. “Eu devo à Light 50 milhões de reais”, destacou. Vale lembrar que o número real pode não ser esse, pois o prefeito já falou em outras entrevistas que a soma do abacaxi era de R$ 40 milhões, e até R$ 60 milhões.

Taxa de Luz (II) – Uma coisa Neto deixou claro: “Eu devo não, o município deve”, ressaltou, voltando a responsabilizar Samuca, ex-prefeito, pelo tamanho do rombo. “A grande maioria dessa dívida é do governo passado, que não pagou. Agora, eu estou fazendo o apelo, que todos ajudem o município. Tô implorando a todos aqueles que gostam de Volta Redonda, porque estou sendo muito pressionado pela Light”, desabafou.

Taxa de luz (III) – “Eu, como prefeito há 16 anos, quatro mandatos, nunca quis criar taxa nenhuma, mas tô vendo que não tenho outra alternativa. Pelo amor de Deus, ajudem a nossa cidade. É o futuro de Volta Redonda. Eu não quero amanhã ser chamado de irresponsável porque ficamos às escuras”, desabou.

Taxa de luz (IV) – Depois de salientar que sua receita fixa é da casa de R$ 27 ou R$ 28 milhões, e que só a folha de pagamento consome R$ 41 milhões dos cofres públicos, Neto voltou a destacar que a taxa não é dele. “Não fui eu quem fez isso”, destacou. “Eu pago de iluminação pública R$ 1 milhão e meio. Esse município está falido, se não tivessem pessoas de bem governando essa cidade, não sei como estaríamos hoje”, pontuou. “Eu tenho certeza de que muita gente que é apaixonada por essa cidade já estaria se mudando para outro município”, comparou, garantindo que a arrecadação da taxa de energia “será só para pagar a iluminação pública”.

Taxa de luz (V) – Como tentando colocar pressão em cima de Betinho, Neto anunciou que “apesar de dificuldade, Volta Redonda vai trocar todas as suas lâmpadas para o sistema de LED”. Veja só o que ele disse a seguir: “Vamos começar com o Retiro. Eu vou de loja em loja, no Retiro, com o Jorginho, que é o subprefeito do Retiro, dizer a todos os comerciantes que eu devo isso – a troca das lâmpadas – aos vereadores”.

Taxa de luz (VI) – Depois de dar a dica política, é claro, que todo vereador adora, que é de ser pai da criança, Neto fez um apelo a Betinho. “Vamos lá, vamos lá, Betinho, vamos lá. Eu sou brasileiro, não desisto nunca, sou apaixonado por Volta Redonda”. Betinho, é bom que se diga, à noite, votou contra a taxa de iluminação proposta pelo prefeito Neto. Ele e mais seis outros parlamentares: Renan Cury, Jari, Fuede, Luciano Mineirinho, Walmir Vitor e Rodrigo Furtado.

ISS (I) – Já na entrevista a Dário de Paula, na quinta, 13, Neto revelou que o Hospital Santa Cecília (que assumiu espaço do antigo Hospital Vita) e a LIV Saúde (que passou a atender à família siderúrgica) não estariam pagando ISS. “Eles entendem que, por serem uma empresa com certificado de filantropia, estão isentos (do pagamento), e nós não concordamos. Estamos indo para a justiça”, anunciou.

ISS (II) – Outra novidade é que, segundo Neto, a LIV Saúde já teria prometido pagar uma parcela do ISS. “O Plano de Saúde não recolhia o ISS, e vai recolher ‘o pra trás’. Nós vamos começar a receber”, disse. “Me disseram que vou receber R$ 700 mil (mais à frente, subiu para R$ 780 mil, grifo nosso). Vai chegar em boa hora”, comemorou, adiantando que espera receber mais R$ 400 mil, R$ 450 mil do Hospital Santa Cecília (HSC).

ISS (III) – Indagado se o hospital, antes de ser assumido por uma empresa do grupo ICC, do Ceará, pagava ISS, Neto disse que sim. “Pagava em torno de R$ 400 mil por mês””, disparou, adiantando que o faturamento do grupo era de R$ 8 milhões por mês, desembolsando 5% de ISS. “Continuam faturando isso”, pontuou, revelando que o Hospital Santa Cecília manteve a média de faturamento mensal do antigo Vita.

ISS (IV) – Neto anunciou ainda que o Santa Cecília detalha a ele quanto fatura por mês. Mas não paga o ISS. “Eles falam pra gente quanto estão faturando, mas (o ISS) não é pago!”, reiterou. “Hoje eles devem R$ 3 milhões e meio. E a LIV deve estar nos devendo uns R$ 4 milhões, que vão começar a pagar”, adiantou. “Fizemos um acordo. O Plano de Saúde vai começar a pagar esse mês ainda. Quanto ao ISS do Hospital (Santa Cecília), nós vamos discutir na justiça. O município vai tomar todas as providências para buscar esse recurso, que é direito nosso”, pontuou.

Qualidade (I) – Provocado a falar sobre o atendimento do hospital e ainda da LIV, que assumiu o posto da Bradesco Saúde, Neto não se esquivou. “Nós estamos torcendo muito para que eles melhorem o atendimento, para que eles possam vender mais planos de saúde, para o poder público também arrecadar mais. Uma situação puxa a outra!”, salientou.

Qualidade (II) – Segundo Neto, até a CSN estaria preocupada com a situação que envolve as suas duas parceiras. E, de acordo com o que o prefeito falou, uma pesquisa de opinião pública estaria sendo feita pela CSN para avaliar o atendimento do HSC e da LIV. “A informação que eu tenho é que a pesquisa já começou. O que a gente ouve dos usuários é que eles estão precisando melhorar”, disparou.

Doação (I) – A situação de penúria do Palácio 17 de Julho levou Neto a fazer uma confidência a Dário de Paula. Disse que pediu lâmpadas usadas à prefeitura de Barra do Piraí para poder trocar as que estão queimadas pela cidade. “Volta Redonda está totalmente quebrada. Só pra você ter uma ideia, as últimas lâmpadas que o município trocou, eu ganhei de Barra do Piraí, que tá trocando a sua iluminação para Led. Eu peguei as lâmpadas a vapor que eles me doaram e eu estou usando em Volta Redonda”, disse, sem medo de ser feliz. “Eu devo 50 milhões para a Light”, justificou.

Doação (II) – Para completar, uma incoerência: “Assumi um compromisso com eles (vereadores) de trocar todas as lâmpadas, hoje a vapor, para Led. No domingo (amanhã) eu começo a trocar (lâmpadas) do Viaduto Nossa Senhora das Graças e vou até a outra ponte, pela Lucas Evangelista. Daqui a menos de 30 dias eu vou trocar todas as lâmpadas do comércio de Volta Redonda, Retiro, Vila Santa Cecília, Amaral Peixoto. Vou trocar por Led e, logo em seguida, vou trocar todas as lâmpadas de Volta Redonda; e devo isso a esses 13 vereadores que atenderam meu apelo”, disse. A pergunta que não quer calar: se não tem dinheiro e teve que pedir lâmpadas usadas em Barra do Piraí, como vai arrumar lâmpadas novas de Led?

Taxa de luz – Com relação à taxa de iluminação que os 13 vereadores aprovaram, Neto adiantou dados que não tinham sido divulgados por ele até então. “45% de quem mora em residência não vão pagar. Estão isentos”, garantiu. “Até quem vai pagar 140 reais (de conta à Light) não vai pagar iluminação. 45% do comércio não vão pagar a iluminação pública, a taxa de contribuição. E 40% das empresas de Volta Redonda também não vão pagar…”, detalhou. “O restante? Eles vão nos ajudar. Procuramos fazer um modelo inteligente, que certamente não vai apertar nenhuma indústria, nenhum comércio. ‘Brigado’ aos vereadores que atenderam meu apelo. Se alguém quiser criticar, que me critique, porque eu pedi pelo amor de Deus a eles pra me ajudarem!”, argumentou, em defesa dos aliados.

Xepa – Um determinado radialista de Volta Redonda tem contado aos amigos que tomou a vacina contra a Covid-19 antes do prazo. Não chegou a furar fila, pois foi um dos sortudos que conseguiram tomar a ‘xepa’, imunizante que sobra na ampola e que é jogado fora caso não tenha ‘ninguém por perto’ para ser vacinado. Esse seria, inclusive, o motivo do radialista não ter postado a sua alegria no momento da vacinação. Ah, vale lembrar que Conceição Souza, secretária de Saúde, jura de pé junto que a xepa não existe em Volta Redonda.

Avisado – Por falar em radialista, o prefeito Neto já esperava que Renan Cury votasse contra a taxa de iluminação pública. É que Renan foi ao Palácio 17 de Julho avisar ao prefeito sobre sua posição, já que no governo Samuca fez campanha contra a Cosip. Faz sentido.

Campanha – A eleição de 2022 já começou; a campanha, também. Munir Francisco, irmão de Neto, já anda para cima e para baixo com um marqueteiro, que filma todos seus passos e falas em inaugurações.

Asfalto – Mesmo reclamando que a prefeitura está falida, Neto está prestes a realizar uma licitação milionária. De recapeamento asfáltico de ruas e bairros da cidade. Valor: R$ 12 milhões. O pregão está marcado para 7 de junho.

Convênio – Após ler a reportagem do aQui sobre a secretaria de Saúde não esclarecer detalhes do convênio com a Unimed-VR, o vereador Jari (PSB) fez um requerimento pedindo cópia da parceria entre o município e a cooperativa dos médicos que prevê a realização de testes de antígeno e teleconsulta. O requerimento será votado na sessão de terça, 18.

Vacinas (I) – Ontem, sexta, 14, a prefeitura de Barra Mansa tratou logo de informar à população que recebeu 1.990 doses das vacinas contra a Covid-19. Do total, 1.420 eram da CoronaVac e 570 da AstraZeneca. Importante: deixou claro que serão usadas para vacinar aqueles que receberam a primeira dose entre os dias 22 e 29 de março.

Vacinas (II) – Até mesmo a prefeitura de Pinheiral divulgou que recebeu, ontem, sexta, 14, 350 doses da CoronaVac para aplicação da segunda dose em pessoas que tomaram a vacina entre os dias 22 e 29 de março. Além da CoronaVac, o município recebeu 90 doses da AstraZeneca para atender pessoas a partir dos 40 anos com comorbidades e os grupos específicos acima dos 18 anos.

Vacinas (III) – Já a prefeitura de Volta Redonda informou que recebeu 3.630 da CoronaVac, que serão destinadas integralmente à aplicação da segunda dose em idosos que receberam a primeira até o dia 7 de abril. Detalhe: hoje, sábado, 15, a vacinação será para os acamados, que estão com a segunda dose em atraso. Durante o dia, a prefeitura espera anunciar a programação da vacinação para segunda, 17.

Luto – A Assembleia Legislativa do Estado do Rio lamentou a morte do ex-deputado Jorge Picciani, ocorrida na madrugada de ontem, sexta, 14, aos 66 anos, vítima de um câncer na bexiga, contra o qual lutava há vários anos – ele estava internado num hospital em São Paulo. Picciani foi presidente da Alerj por seis mandatos e se notabilizou como líder político. A Alerj decretou luto de três dias em homenagem à memória de Picciani.

Deixe um comentário