Grampos

Vai vendo – A dupla Samuca & Samuquinha, que tanto fez nos últimos quatro anos, foi desfeita. Nem deve mais se apresentar pelos bairros da cidade do aço. O motivo da ‘briga’ entre os dois, se é que houve, ninguém sabe. Mas Samuquinha tanto rompeu com o passado que abandonou o velho nome de guerra e voltou a ser apenas Fernando Garcia, como mostra o seu perfil do Instagram. Pelo menos as fotos com Samuca Fernandinho manteve… Não apagou nada, só o nome.

IPTU (I) – Essa foi obtida pelo aQui logo no início da semana: a primeira parcela do IPTU de 2021 de Volta Redonda vai vencer no dia 10 de março. E, observem só, quem pagar em cota única terá um senhor desconto, de 18%.

IPTU (II) – Em termos de comparação, o desconto oferecido às indústrias locais, como a CSN, para pagamento da cota única antecipada, com vencimento em 10 de janeiro, foi de 10%. A siderúrgica recusou e optou por pagar o imposto em seis parcelas. E logo pagou a primeira, o que acabou ajudando o prefeito Neto, pois se tivesse liquidado tudo à vista, o dinheiro poderia ter sido bloqueado pela Justiça. Com os recursos da primeira parcela, de R$ 8 milhões e 100 mil, Neto pôde quitar 70% dos salários dos servidores da ativa, como o aQui anunciou com exclusividade.

IPTU (III) – Em sua primeira entrevista nas rádios, o novo secretário de Fazenda do governo Neto, Erick Higino, confirmou a data do vencimento da primeira parcela do IPTU para 10 de março. “Quem pagar à vista terá 18% de desconto”, acrescentou. A explicação: “A gente ajuda a população, e a população ajuda os cofres do município. É o ganha, ganha”, definiu. Ele está certo.

Crise – A falta de dinheiro no Palácio 17 de Julho é tanta que começou a afetar a vida das pequenas e médias empresas da cidade do aço que têm convênio com a Asvre, uma associação dos servidores públicos de Volta Redonda. Os empresários, segundo um deles, estão sem ver a cor do dindim há dois meses. A quebradeira pode ser significativa.

CEO (I) – Os três interventores judiciais do Hospital São João Batista, segundo informações veiculadas pelo Diário do Vale, têm direito a uma remuneração mensal de R$ 102 mil. Isso mesmo: 102 mil reais. O valor determinado é praticamente o máximo que ganha um CEO (executivo) de uma grande empresa do setor hospitalar.

CEO (II) – Segundo dados da última Pesquisa de Remuneração de Presidentes e Diretores Executivos Brasil 2016-2017, realizada pela Page Executive, os salários mensais de um CEO em multinacionais do setor variam de R$ 44 a R$ 105 mil.

CEO (III) – Como o hospital da rede municipal vive em crise, com atraso de salários de médicos e enfermeiros, entre outros, e como a prefeitura está quebrada, fica a pergunta: justifica manter a remuneração máxima dos interventores nomeados pela Justiça para administrar o HSJB por 180 dias ou mais?

CEO (IV) – Ontem, sexta, 21, o promotor de Justiça Leonardo Yukio encaminhou um pedido ao juiz da 5a Vara Cível de Volta Redonda para que este reveja a decisão a respeito dos salários dos interventores. Segundo o MP, de acordo com a Constituição Federal, no âmbito dos municípios existe um teto a ser seguido, que corresponde ao salário do prefeito, que no caso de Volta Redonda corresponde a R$ 17.440,00, estipulado através da Lei Municipal nº 5.753, de 19 de novembro de 2020.

CEO (V) – No pedido, o MP destaca que caso o juiz não concorde com a tese, que os salários dos interventores do HSJB não sejam superiores aos dos ministros do Supremo Tribunal Federal, que hoje é igual a R$ 39. 293,32.

De morte – A prefeitura de Volta Redonda pretende reformar a funerária e a capela mortuária que funcionam no Aterrado. A previsão é que a obra comece no mês que vem. Faz bem.

Limpeza (I) – A secretaria de Infraestrutura da prefeitura de Volta Redonda agiu rápido e, já no sábado, 16, enviou uma equipe ao Jardim Normândia para promover uma faxina geral nas duas praças do bairro. A pasta tinha sido criticada pelo aQui por ter incluído, indevidamente, o Jardim Normândia entre os bairros que já teriam sido beneficiados em um mutirão da limpeza. E não era verdade. Agora é.

Limpeza (II) – O subsecretário de Serviços Públicos, Edson Carrá, revelou que um dos problemas que as equipes responsáveis pela limpeza da cidade têm encontrado é o desrespeito às normas de convivência coletiva. Segundo Carrá, as pessoas teimam em fazer o descarte irregular de entulhos e lixo em calçadas e terrenos, dificultando o trabalho do Poder Público. “Estamos nas ruas desde o início do ano e infelizmente é comum, depois de dois, três dias, já ter entulho e lixo novamente no mesmo lugar que limpamos. É uma falta de respeito. Nós faremos o nosso trabalho, que é o de limpar, mas a população tem que colaborar, porque quem perde é o próprio município”, desabafou Carrá.

De morte – Boatos dão conta que o único local onde se pode cremar os corpos dos voltarredondenses que morrem estaria, em tempos de Covid, fazendo apenas cremação coletiva. Acender o forno para uma cremação apenas, nem pensar.

Notificações (I) – No último final de semana, a equipe de fiscalização da prefeitura de Volta Redonda voltou a notificar vários estabelecimentos que descumpriam as regras da Covid-19. Segundo o comandante da GM, João Batista dos Reis, oito estabelecimentos foram notificados por descumprimento do decreto. “Além da aglomeração, foram identificados diversos veículos em estacionamento irregular, e alguns bares utilizando calçadas e via pública para colocar mesas e cadeiras”, explicou Batista.

Notificações (II) – De acordo com Elisângela Almeida, que é diretora do departamento de Fiscalização de Atividades Econômicas da secretaria de Fazenda, dos oito estabelecimentos notificados, três são reincidentes e podem ser interditados.

Feira – No sábado e no domingo, equipes da GM e da secretaria de Fazenda percorreram as feiras-livres do Aterrado e da Vila e, segundo Elisângela, os feirantes estão respeitando as resoluções do decreto, como o horário de desmontagem das barracas e não vender bebida alcoólica. Há controvérsias. Na manhã de domingo, por exemplo, apenas um GM, meio que fora de forma, deu uma geral nas barracas da 60.

Cultura negra – A secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, prorrogou até o próximo dia 31 o prazo de envio das propostas para selecionar instituições que desenvolvam projetos ligados à cultura negra no estado do Rio.
O envio de propostas deve ser feito por meio do e-mail [email protected] e pode ser feito até as 23:59 do dia 31. Mais informações, no edital.

À espera de um milagre (I) – Esse foi o título de uma postagem de um voltarredondense desesperado com a falta de água no bairro onde mora, o Belmonte. “Com a chegada da vacina, só falta agora chegar água na rua Grande Oriente no Belmonte em Volta Redonda!! Alô SAAE, alô prefeito Neto, alô Renan Cury, Betinho Albertassi e cia! Estamos com fornecimento precário de água desde outubro!”, desabafou, postando até os protocolos de reclamações que fez no SAAE: 1678366, 1683259, 1685680. “Compartilhem até chegar a alguém que resolva!!”, encerrou.

À espera de um milagre (II) – Fica a sugestão a PC, atual presidente do Saae-VR: que passe o abacaxi para Zeca, seu assessor e ex-presidente da autarquia, descascar. Será que consegue?

Da série “perguntar não ofende” – Por que ninguém do governo Neto explicou a contratação de Zeca, ex-presidente do Saae, como assessor de PC? Vale lembrar que Neto anunciou a dispensa de todos os CCs do governo Samuca. E nem pagou a ninguém até ontem, sexta, 23. Ou será que Zeca recebeu os salários de novembro, dezembro e 13º?

Residência médica – A prefeitura de Volta Redonda abriu inscrições para o processo seletivo para preenchimento de 29 vagas de residência médica para o Hospital São João Batista e para o Hospital do Retiro. A jornada de trabalho do médico residente será de 60 horas semanais, com vencimentos de R$ 3.330,43 somados a um auxílio-moradia de R$ 150. Veja as vagas disponíveis: anestesiologia (2); cirurgia geral (1); clínica médica (8); ginecologia e obstetrícia (2); medicina da família e comunidade (4); pediatria (7); pré-requisito em área cirúrgica básica (2); cirurgia vascular (1); cirurgia endovascular (1); e neonatologia (1). Asi inscrições podem ser feitas pela internet em www.voltaredonda.rj.gov.br/concursopublico, até às 17 horas do dia 31. Ou pessoalmente na subprefeitura do Retiro, nos dias úteis, das 8h30min às 16h30min, mediante ‘pequena taxa de R$ 350’.

Cruzando os braços – Na quinta, 20, funcionários do Hospital do Retiro andaram cruzando para protestar pelo não pagamento dos salários do mês de dezembro. Neto minimizou a situação. “Não são todos parados, né?”, disse, para logo completar: “Nós temos gente concursada que está com o pagamento em dia. Espero que possamos contar com essas pessoas”, acrescentou, dando a entender que os grevistas não serão atendidos. “Eu lamento muito pelas pessoas que estão sem receber, não era o que gostaríamos de fazer. Mas estamos a menos de 20 dias (no governo). Não faço milagres e olha que nós já conseguimos pagar o mês de novembro, que estava em atraso, pelo menos a metade. Já conseguimos liquidar boa parte do mês de dezembro para quem é efetivo e inativo”, completou. “Infelizmente, eu não consigo liquidar todo mundo”, sentenciou.

Assumiu – Na quinta, 20, Neto confirmou que Cora, ex-assessora de Deley, aceitou o convite para assumir a pasta de Planejamento, que tinha sido entregue a Erick Higino, que foi deslocado para a assumir a secretaria de Fazenda.

Bonzinho – Presidente do IPPU-VR, Abmaílton Prattri garantiu ao prefeito Neto que o empresário Mauro Campos, do Portal da Saudade, estaria fazendo uma boa ação para ajudar o governo. Teria mandado liquidar uma dívida, que tinha parcelada a perder de vista, da ordem de R$ 500 mil. “Para ajudar o município, vão liquidar”, comemorou Neto, lembrando que Mauro Campos Pereira, ex-assessor especial de Samuca, teria sido um dos poucos ‘que doaram…’. Para quem e por que, ele não disse. “Todo mundo falou que ia doar, no final só ele mesmo… pouquíssimos doaram”, completou Neto, sem explicar a que se referia.

Montagem (I) – O vereador Vair Duré postou essa foto nas redes sociais, que tem tudo para ser uma fotomontagem. É que o veículo seria do Saae-VR e teria sido usado, a pedido do parlamentar, para um serviço no bairro Pinto da Serra. Até aí, tudo bem. Mas há quem entenda que ele não poderia editar a foto para usar seu nome de guerra, dando a impressão que o carro seria dele a serviço da população. Pega mal.

Montagem (II) – No texto, Vair Duré explicou o que aconteceu: “Na tarde de segunda-feira (18), o Saae-VR (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) realizou um serviço na Avenida Francisco Torres, no bairro Pinto da Serra. Conseguimos, com a autarquia, solucionar o problema de entupimento da rede de esgoto. O problema causava transtorno aos moradores e o mau cheiro era incômodo. Em poucas horas, o Saae-VR desentupiu a rede e fez a lavagem no local. Assim, seguimos trabalhando para a melhoria da qualidade de vida de todos que vivem na Volta Redonda que sonhamos viver um dia, próspera e feliz”. Que assim seja!

Montagem (III) – O que o nobre parlamentar não sabe é que jogada de marketing ele não pode fazer usando o serviço público. Fica a dica ao vereador: De boas intenções, o inferno já está cheio.

Ironia – Na segunda, 18, a prefeitura de Volta Redonda iniciou a semana deixando uma mensagem positiva pelo Instagram @prefeitura.vr: “Segunda-feira é dia de voltar ao trabalho. Não dê descanso às medidas de prevenção à Covid-19. Me prevenindo, eu salvo vidas”, escreveu. Uma internauta – bb.dontkillmyvibe – não deixou por menos: “Não posso voltar ao trabalho estando suspensa. #JustiçaPelaEducaçãoVR”, retrucou. Não tá fácil a vida de Neto, não.

Lixo eletrônico – A prefeitura de Volta Redonda, em parceria com os Rotarys de Volta Redonda e a Casa da Amizade, realizam amanhã, domingo, 24, das 9 às 15 horas, na Praça Brasil, o “Descarte Solidário de Resíduos Elétricos e Eletrônicos”. O objetivo é recolher materiais eletrônicos e até eletrodomésticos para serem vendidos. O dinheiro será doado a instituições sociais da cidade e, importante, o descarte será feito no sistema drive-thru.

Volta às aulas (I) – As aulas da rede pública municipal de Volta Redonda retornarão a partir do próximo dia 3 de fevereiro para os alunos da secretaria de Educação e da Fevre. O ensino será na modalidade remota, pela internet, por conta da pandemia de Covid-19. A prefeitura, por meio da secretaria de Educação, fechou uma parceria e vai adotar a plataforma Google for Education, que é gratuita.

Volta às aulas (II) – “É um processo de mudança, estamos dando um passo de cada vez e buscando soluções. O objetivo é fazermos uma transição responsável, para que os estudantes e professores consigam se adaptar e melhorar a qualidade do ensino nesse período de pandemia”, explicou a secretária de Educação, Tetê Gonçalves.

Volta às aulas (III) – A partir do dia 3 de fevereiro, segundo ela, será disponibilizado o site www.smevr.com.br – um espaço virtual onde os alunos poderão se ambientar e acessar materiais produzidos pelos professores, e os docentes também serão capacitados para utilizar a nova plataforma. Os dados de acesso à plataforma Google Classroom também estarão disponíveis no endereço eletrônico.

Procura-se – A empresa de telemarketing que opera nas instalações do UBM na Cicuta está prestes a anunciar sua mudança, de Barra Mansa para Volta Redonda. Segundo uma fonte, para um local mais próximo da Vila, onde poderá se expandir e, o que é melhor, aumentar o número de funcionários. “A ideia é dobrar os empregos gerados atualmente”, dispara uma fonte, garantindo que algumas áreas já foram vistas. “Eles querem ficar mais próximos da Vila por uma questão de transporte”, justifica. Ao saber do classificado grátis, o gaiato de plantão soltou mais uma das suas: “Aluga ou compra o Escritório Central da CSN, que ainda está vazio”, sugeriu. Fica a dica.

Covid – Durante a semana, dois casos chamaram a atenção de quem passou pelo Hospital São João Batista. O primeiro foi o de uma mulher que ficou esperando quase 24 horas para ser atendida na unidade. O segundo, o de um senhor, com Covid, cuja família precisou levá-lo – devido à lotação do HSJB – mesmo sem plano de saúde, para o hospital Unimed, onde chegou e logo foi entubado.

Zoo (I) – A prefeitura de Volta Redonda voltou a exigir o cadastramento das pessoas interessadas em visitar o Zoológico Municipal. Lembrando que pelas normas de enfrentamento à Covid, o local só pode receber 500 pessoas pela manhã e 500 à tarde, de terça a domingo, das 8 às 12 horas, e das 13 às 16h30min. Das 12 às 13 horas o horário fica reservado para higienização dos espaços de convivência e banheiros. O agendamento deve ser feito em https://agendaverde.voltaredonda.rj.gov.br/

Zoo (II) – O Zoológico de Volta Redonda, além de abrigar várias espécies de animais silvestres, também conta com um programa de reabilitação e reinserção de bichos à natureza. Muitos dos animais acolhidos são resgatados após acidentes de trânsito ou frutos de doações voluntárias – motivadas pela ilegalidade de manter um animal silvestre em cativeiro.

Zoo (III) – Segundo um dos biólogos do Zoo-VR, Almir Fraga Folly Júnior, quando o animal chega, logo passa por um tratamento médico-veterinário adequado, com objetivo de devolvê-lo à natureza. “A maioria dos animais é devolvida ao seu habitat natural, e 80% das espécies que recebemos já foram reinseridas, sendo que recebemos em média de dois a três animais por dia para tratamento”, disse Folly Júnior, anunciando que na quinta, 21, alguns animais que estavam em tratamento seriam devolvidos à natureza.

Zoo (IV) – Os animais mais recebidos pelo programa de reabilitação do Zoológico Municipal são as aves, como periquitão-maracanã, maritacas, ararinha-maracanã, papagaio, coruja, tucano, urubu e ainda mamíferos, como gambá, e répteis, como jabuti.

Zoo (V) – Para driblar o calorão do verão, funcionários do Zoo-VR oferecem um cardápio especial aos animais nesta época do ano; especialmente aos mamíferos, que são alimentados com picolés de frutas naturais. De acordo com Folly Júnior, este tipo de guloseima faz parte da dieta dos bichos e não atrapalha o consumo balanceado de alimentos.

Zoo (VI) – As fotos mostram que nem tudo vai bem no Zoo. Uma delas, por exemplo, exibe uma área, vizinha a um dos banheiros, que virou depósito de entulho. A outra é pior. Mostra um brinquedo quebrado, e interditado para a criançada. Outro ponto interditado é o dos pedalinhos. Será que sai tão caro assim pra liberar os equipamentos interditados?

Covid (I) – O Estado do Rio de Janeiro deu início, na segunda, 18, à campanha de vacinação contra a Covid-19. Para marcar a data, uma ‘cerimônia’, com a presença de vários políticos, foi realizada no Cristo Redentor. O governador interino, Cláudio Castro, justificou o ato: “É muito singular começar a vacinação no Cristo Redentor, que representa a paz, o amor e a vida”, pontuou. Acredita quem quiser.

Covid (II) – No evento político, Castro informou que cinco cidades fluminenses receberão o maior número de vacinas na primeira fase – Rio de Janeiro (capital), com 231.840 doses; São Gonçalo, 27.590; Niterói, com 23.240; Nova Iguaçu, 14.930; e São João de Meriti, 14.870. Volta Redonda, cujo número de mortes é superior ao de Nova Iguaçu, foi ‘deixada para escanteio’. Iria receber apenas 1.863 doses, contra as cerca de 15 mil enviadas para a cidade da Baixada.

Covid (III) – Nas redes sociais, o prefeito Neto prometeu questionar o número de vacinas destinadas a Volta Redonda. “Amigos e amigas, o critério de distribuição das doses foi feito pelo governo Federal, sem escutar as atuais gestões. Ou seja, foram usados dados colhidos com as Prefeituras nos últimos anos”, comentou, referindo-se ao quantitativo de vacinas destinadas às cidades da região.
“Vamos questionar tais critérios e vamos em busca de mais doses, para tentar vacinar nossa população o mais rápido possível. Tudo sem teatro e sem discussões menores, que não salvam ninguém. Vamos todos continuar seguindo as orientações, como usar máscara, passar álcool em gel, manter o distanciamento”, anunciou. Aproveitando para fazer o apelo para que todos continuem acatando as regras de combate à Covid.

Covid (IV) – Tendo que engolir a pequena quantidade de doses que iria receber, a prefeitura de Volta Redonda programou o início da vacinação para quarta, 20. O público-alvo da primeira etapa, “seguindo as determinações do plano nacional e estadual de vacinação”, seria formado por 165 pessoas com 60 anos ou mais, institucionalizadas (que vivem em asilos, como o Lar dos Velhinhos, no Monte Castelo); 12 pessoas com deficiência institucionalizadas (que vivem nas residências terapêuticas); e 1.686 profissionais de saúde que estão na linha de frente no combate ao novo coronavírus.

Covid (V) – O engraçado, se não fosse sério, é que, no release aos jornais, a prefeitura informou que a secretaria de Saúde já teria enviado ofício aos hospitais e unidades de saúde, para que informassem o número de profissionais que estavam na linha de frente no atendimento à Covid-19. Será que a pasta não sabia até então quantos trabalham combatendo a Covid em Volta Redonda?

Covid (VI) – No release (viva!), a prefeitura reconheceu pela primeira vez (o aQui já vinha batendo na tecla desde o governo Samuca) que “não existe a possibilidade de compra da vacina pelos governos municipais, por determinação das autoridades federais”. E, como para justificar o pequeno número de doses que iria receber na primeira, que “o número de vacinas disponibilizadas foi definido pelo Ministério da Saúde”.

Covid (VII) – A técnica de enfermagem que fez oito cirurgias no pulmão foi a primeira a ser vacinada em Volta Redonda. Trata-se de Gilmara Licia Olimpio Pereira, 41. Gilmara (ver foto) foi vacinada na tarde de terça, 19, na Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) do Conforto, onde ela trabalha. “Me sinto muito honrada por ser a primeira pessoa a tomar a vacina, porque eu também venho de uma luta com problemas de saúde; passei por oito cirurgias no pulmão. Trabalhar na pandemia para mim foi um grande desafio. A todo momento eu tinha medo de contrair o vírus e até que ponto isso causaria danos à minha saúde. Então me sinto privilegiada por ser uma das primeiras a receber a vacina em Volta Redonda”, afirmou.

Covid (VIII) – Gilmara lembrou as dificuldades diárias enfrentadas por estar na linha de frente do combate à Covid. “Todos os dias tinha um grande desafio. Porque a gente precisa atender com qualidade os pacientes e também nos proteger, sabendo que temos uma família em casa que nos espera. A gente sai e volta pra casa esperando o melhor para eles. Não queremos levar uma contaminação, essa era minha preocupação”, disse, lembrando que se privou de se aproximar dos parentes por medo da contaminação pela Covid-19.

Hospital Regional (I) – O que o aQui previu nas redes sociais com exclusividade virou realidade. O governo do Estado simplesmente decidiu que a vacinação dos médicos, entre outros funcionários, do Hospital Regional, que é dele, teria que ser feita pela prefeitura de Volta Redonda. E assim será.

Hospital Regional (II) – Documento obtido pelo jornal mostra que a vacinação no HR, segundo a secretária de Saúde de Volta Redonda, Conceição Souza, será feita no período de 25 de janeiro a 1 de fevereiro. Só não disse quantas vacinas terá que usar do lote destinado à cidade do aço, que foi de apenas 1.863, de um total de 3.900 doses que deverá receber. Aliás, com a confusão em Brasília, em São Paulo, na China e na Índia, ninguém sabe dizer quando a cidade do aço receberá a segunda parte do primeiro lote das vacinas.

Hospital Regional (III) – O deputado estadual Marcelo Cabeleireiro, assim que soube (deve ter lido o aQui) que não haveria vacina para os profissionais do Hospital Regional, saiu em campo em busca de uma solução. E fez contato com o governo do Estado, sendo informado que as doses teriam mesmo que ser disponibilizadas pela prefeitura de Volta Redonda. Marcelo ligou para o prefeito Neto e este se comprometeu, segundo o deputado, a usar parte do pequeno contingente de 1.863 doses recebidas para imunizar os funcionários do HR.

Hospital Regional (IV) – Marcelo foi além. “Mesmo sabendo que o Hospital Regional atende pessoas de diversos municípios, o prefeito Neto me garantiu que irá disponibilizar doses da Coronavac para os funcionários do HR, que é exclusivamente voltado para o tratamento da doença. Isso mostra um senso de responsabilidade muito grande da nova gestão”, destacou. Para ser justo, deveria exigir que o governo do Estado mandasse novas vacinas para Volta Redonda para repor o estoque. Na hora que precisa de leito de Covid, o Estado não faz o que quer? Que assuma o ônus, né?

De volta – Márcia Cury, nomeada por Neto para assumir a direção do Hospital do Retiro, deverá assumir o cargo na próxima segunda, 25. Ela contraiu a Covid-19, passou um sufoco, mas teve alta e poderá voltar ao trabalho.

 

Deixe um comentário