Geral 1252

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo do Capacitar Hotelaria e Serviços, curso gratuito da Fundação CSN realizado no Hotel-escola Bela Vista. Serão apenas 500 vagas e os interessados devem fazer sua inscrição on-line até a próxima sexta, 28, ou até atingir o limite de vagas, pelo site da Fundação CSN. Para participar, é preciso ter de 16 a 29 anos, ensino fundamental completo na rede pública e ser residente de uma das seguintes cidades: Volta Redonda, Barra Mansa, Barra do Piraí, Piraí, Pinheiral, Quatis, Resende ou Porto Real.
Serão selecionados 88 jovens, divididos em duas turmas, uma na parte da manhã e outra à tarde, com início das aulas previsto para 20 de julho, sendo que 32% das vagas são reservadas para jovens encaminhados pelo: Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas); e na cidade de Volta Redonda para jovens encaminhados pelo Centro de Cidadania LGBTQIA+ Médio Paraíba, Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam) e Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti).
“A Fundação atua em consonância ao Pacto Global e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). As novas vagas são muito importantes e possuem o mesmo intuito inicial do ‘Capacitar’, de qualificar e oportunizar mais chances no mercado de trabalho”, explica o Gerente de Projetos da Fundação CSN, Fábio Silvestre, destacando que, ao longo de um semestre, os alunos participam de aulas teóricas on-line e práticas em diversas áreas, incluindo recepção, cozinha, eventos, garçom, bar e atendimento ao cliente, totalizando 220 horas de formação. São divididos em pequenos grupos e participam das aulas práticas respeitando todos os protocolos de segurança.
O processo seletivo inclui análise socioeconômica e prova on-line com os conteúdos básicos de português e matemática, que será realizada em 4 de junho, às 9 horas. Confira o edital completo no site da Fundação CSN.
Inscrições
A inscrição é feita pelo site www.fundacaocsn.org.br, até as 15 horas do dia 28 de maio ou até atingir o limite das vagas. Para realizar a inscrição, os candidatos devem anexar os seguintes documentos digitalizados: RG e CPF e comprovante de residência com até 90 dias de emissão em nome do candidato ou terceiro com quem comprovadamente resida.
Prova
A prova será no dia 4 de junho, às 9 horas, com três horas de duração. O conteúdo programático pode ser consultado em www.fundacaocsn.org.br.

O cantor e compositor Aroldo Júnior divulgou na segunda, 17, através das redes sociais o lançamento de “Quem de Nós”, o seu mais novo single. A música, que chegou nas plataformas digitais na quarta,19, às 00h, faz parte da divulgação de seu quarto álbum de estúdio, que ficará pronto até o fim do ano. Em seu último trabalho, lançado em 2019, o artista recebeu o prêmio ‘Arigó de Compositores’ através da lei Aldir Blanc executada pela secretaria de Cultura de Volta Redonda com a música “O segredo”. Aos que se interessaram em conhecer melhor o trabalho do artista, basta clicar nesses links:
Spolity :https://open.spotify.com/artist/4SlSTQ8XGtYcJcHrv6ZsvxLink
YouTube:https://www.youtube.com/channel/UCZ8V7mrbY_kNa-0IlhOQdIgLink
Instagram:https://www.instagram.com/aroldojr_ofic

O Gin Amázzoni Maniuara, produzido em Barra Mansa, foi eleito o melhor destilado de 2021, no World Gin Awards, em Londres. O prêmio projetou a cidade de Barra Mansa para o mundo, já que a maior destilaria de gin artesanal da América Latina fica na Fazenda Rochinha, na altura do Km 24,1, da Via Dutra, no distrito de Floriano. Esta não é a primeira vez que um Gin Amázzoni fatura um prêmio. Em 2018, o gin tradicional foi eleito o melhor produto artesanal do mundo, e em 2021, considerado o ‘Melhor London Dry Brasileiro’, pelo mesmo World Gin Awards.
Devido ao sucesso, a secretaria de Desenvolvimento Econômico busca ações para inserir a destilaria no roteiro do turismo rural no Estado do Rio. A ideia é realizar, em breve, um tour sempre às quintas e sextas, e poderá funcionar da seguinte forma: a visitação começa no bar, onde uma dupla de bartenders recebe o público com uma generosa taça de gin tônica. Já no local, os visitantes têm a chance de observar 20 tanques da sala de infusão, processo que utiliza maxixe e casca de limão siciliano frescos, além de sementes de coentro, zimbro e castanha do Pará.
Na sequência, os visitantes passam pelo primeiro destilador, chamado Estrela, que fica no jardim, para então seguir em direção a sala dos alambiques denominados de Naia, Inara, Iara, Amana e Jaci, nomes de origem indígena que estão relacionados à água, exceto o último, que representa a lua. Ainda na sala dos alambiques é servido um almoço harmonizado com drinques, e cardápio italiano. Durante o tour, a produção do destilado é detalhada minuciosamente. “Nossa intenção é buscar programas e ações que fomentem o turismo rural, criando um roteiro turístico junto ao Governo do Estado que destaque a Fazenda Rochinha e a produção do Gin Amázzoni. Já no próximo dia 22 (hoje, sábado), vamos acompanhar uma equipe da secretaria de Estado de Turismo ao local para a coleta de dados e a produção de material de fomento ao segmento turístico” detalhou o secretário de Desenvolvimento Econômico de Barra Mansa, Bruno Paciello, ressaltando que o Gin Amázzoni é uma das preciosidades do município.

A Coordenadoria da Juventude de Volta Redonda resolveu ampliar o ‘Centro Oportunizar’, que funciona à Rua 25, na Vila. O local, que a pasta garante ter ficado fechado por quatro anos (governo Samuca), era conhecido como o Quiosque da Juventude e tinha o objetivo de ser referência a jovens de 15 a 29 anos que vivem à procura do primeiro emprego ou capacitação profissional. De acordo com a nova Coordenadora da Juventude, Larissa Garcez, no cargo há quase seis meses, os jovens terão acesso, entre outros, conforme informações da assessoria de imprensa, “às fichas de inscrição dos editais abertos das principais empresas da região: CSN, CBSI, ArcelorMittal e Saint-Gobain”. Detalhe: que sempre ficam à disposição de todos nas redes sociais.
Larissa informa ainda que será fornecido “acesso aos atendimentos diretos, informativos e direcionamentos, criação de currículo, cadastramento no portal de empregos e consultoria em parceria com as universidades da cidade”, disse. “Pretendemos também desenvolver um site para que todos os documentos utilizados no Centro Oportunizar bem como todas as atividades ofertadas pela Prefeitura para jovens estejam na palma da mão. Esses mesmos arquivos poderão ser obtidos através do site da PMVR, na página da Coordenadoria da Juventude e também nas salas de informática das escolas públicas, Degase, Criad e de qualquer outra instituição que tenha interesse”, explicou.
Nota da redação: O antigo titular da Coordenadoria da Juventude foi procurado para se pronunciar a respeito da acusação de que o ‘Quiosque’ teria ficado quatro anos sem funcionar. Preferiu não polemizar.

 

A Comissão da Verdade da Escravidão Negra do Brasil, da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), de Volta Redonda comemorou na quarta, 19, a derrubada do Projeto de Lei que tramitava na Câmara de Paty de Alferes para alterar o nome da ‘Praça Manoel Congo’ para ‘Praça Pastor João Auto da Silva’, no centro do município. A desaprovação era tanta que a entidade voltaredondense chegou a emitir uma nota de repúdio à proposta. Para o presidente da OAB-VR, advogado Rodrygo Monteiro, a derrubada do PL provoca um alívio, pois, segundo ele, caso o projeto fosse aprovado, a medida apagaria da memória histórica, nomes de homens e mulheres explorados em lavouras da região, mas que resistiram aos piores tipos de escravidão. “É uma vitória da sociedade civil que trabalhou para manter viva a história e evitar que mais um fragmento da escravidão, no Ciclo do Café fosse apagada”, disse ele.

A Fundação Cultura de Barra Mansa, por meio do Conselho Municipal de Políticas de Promoção de Igualdade Racial (Comuppir), em parceria com o Centro Universitário de Barra Mansa, lançou na quarta, 14, o vídeo “14 de maio”, que visa provocar uma reflexão sobre o dia após a abolição da escravatura no Brasil, celebrado na quinta, 13. O vídeo está disponível no canal ‘Fundação Cultura de Barra Mansa’, no Youtube, e ilustra a música “14 de maio de 1888”, do autor barramansense Jocélio Maciel.
A canção tem como inspiração e motivação o livro “Pós-abolição e cotidiano”, do professor Kleber Amâncio, da Universidade de São Paulo (USP), que faz um diálogo entre várias fontes que ajudaram a explicar para onde foram e como sobreviveram os libertos do 13 de maio e seus familiares. “A escravidão deixou uma marca muito profunda na nossa sociedade. Quando refletimos sobre o período pós abolição, refletimos sobre as causas das desigualdades e do racismo estrutural, fatores determinantes na estrutura social do Brasil. A Lei Áurea não integrou o nosso povo. Enquanto as barreiras sociais e raciais não forem reconhecidas aos olhos do senso comum, não vamos evoluir como sociedade”, disparou a vice-prefeita de Barra Mansa, Fátima Lima.

Deixe um comentário