Furada

Prefeito manda apurar nova denúncia em vacinação contra Covid-19

A prefeitura de Barra Mansa está apurando uma denúncia sobre uma técnica de enfermagem, cujo nome não foi revelado, que supostamente teria substituído a seringa durante a vacinação contra a Covid-19 no Parque da Cidade, realizada em sistema drive-thru.
Sérgio Gomes, secretário de Saúde, explicou que a ação questionada estaria dentro do que determinam as normas técnicas. “Faz parte do protocolo de qualquer vacinação o ato de aspirar o líquido e guardar o frasco imediatamente. Esse é o procedimento que garante que o imunizante não perderá a validade. A vacina contra a Covid-19 não pode ficar em temperatura ambiente, ela precisa ficar acondicionada em uma temperatura de 8 ºC. A técnica aspirou, mostrou para o munícipe que o imunizante foi aspirado, em seguida ela precisa voltar o frasco para a caixa térmica. O procedimento adotado pela técnica de enfermagem foi o correto, mas para garantir total transparência e lisura, estamos apurando os fatos”, detalhou.
O caso foi motivo de mais uma live do prefeito Rodrigo Drable, realizada na noite de quinta, 8. “Eu quero explicar exatamente o que é aquilo ali. A vacina tem uma caixa térmica, que tem um termômetro que mede a temperatura interna da caixa. O imunizante tem que ficar em até 8 graus. Então, às vezes as pessoas me veem lá correndo, vou vendo as caixas, peço para trocar os gelos, porque não pode ultrapassar os 8 graus. A caixa é aberta toda hora, então é natural que a temperatura vá se elevando. Então tem um gelo, que é reciclável, que é substituído, para garantir a temperatura”, explicou.
Ele foi além. “Quando a enfermeira pega a ampola e aspira a vacina, ela tem que imediatamente guardar a ampola de volta na caixa. A recomendação é que ela, abrindo a tampa, fique com a vacina em uma mão e a ampola na outra para quando ela colocar a ampola na caixa não gerar dúvidas. A enfermeira naquele momento cometeu um equívoco de segurar a ampola e a vacina na mesma mão e colocar na caixa. Isso fez com que as pessoas pensassem se ela trocou ou não a seringa”, disse. “Depois de aspirar a vacina, ela não pode ficar muito tempo na seringa para não perder o efeito. Não tem por que alguém tentar guardar a seringa e levar embora para vacinar outra pessoa, como sugeriram, porque não funciona”, disparou.

Deixe uma resposta