‘Eu, legislador’

O prefeito Samuca Silva acaba de mexer em mais um vespeiro. Que tem tudo para mexer com os brios dos vereadores de Volta Redonda, especialmente os de oposição. Trata-se do projeto ‘VR Democracia’, site que será mantido pela sua equipe e por onde a população poderá discutir as mensagens e leis que o Palácio 17 de Julho encaminhar para apreciação do Poder Legislativo. Poderá até dar pitacos em cima delas. Tem mais. Todo cidadão poderá, ele mesmo, apresentar para análise do Poder Executivo, a proposta que bem entender. Ou seja, o morador não precisará mais pedir ajuda a um parlamentar para propor uma lei municipal que entenda como justa e necessária.  

“Vou aceitar (as propostas). Vou analisar tanto a demanda da sociedade quanto a população poderá analisar as minhas. Poderá analisar até os decretos que eu for encaminhar para a Câmara”, garantiu Samuca, durante entrevista exclusiva ao aQui, concedida na redação do jornal, onde ele esteve na manhã de segunda, 17.  “Eu vou deixar as pessoas opinarem sobre o que nós pensamos e o que queremos”, acrescentou, citando o exemplo de um projeto de lei que envolva empresários, população, comerciantes. “Você atende a um e o outro reclama. Quando passarmos a colocar a nossa ideia no site, todos vão poder opinar previamente. Que cada um defenda o seu ponto de vista antes de a mensagem ser enviada para a Câmara”, detalha Samuca. “O que eu quero, na realidade, é reduzir fake news”, disparou.

Samuca foi além. “Quero evitar que depois de o projeto ser aprovado (na Câmara) ainda permaneça a insatisfação deste ou daquele porque eu estou dando, previamente, a oportunidade de a pessoa entrar, discutir, opinar e propor. Se todo mundo pensasse nisso contra o fake news, seria muito bom. E eu estou pensando sob o ponto de vista da administração. Vou mandar todas as mensagens (projetos de lei) para a Seplac (Secretaria de Planejamento, Transparência e Gestão) e ela vai ficar encarregada de fazer o contato com o cidadão”, prometeu, garantindo que qualquer cidadão que tenha dúvida, que queira conversar e explicar uma situação, “poderá ser convidado a ir na pasta para conversar com os técnicos”, disse.

Ao ser questionado sobre a reação dos parlamentares, que poderiam se sentir diminuídos politicamente falando, Samuca garantiu ao aQui que nenhum deles reagiu. Nem a favor nem contra. Mas não descartou a hipótese de a iniciativa causar algum desconforto. “Na realidade, não teve (reação). Eu respeito o Poder Legislativo e entendo que cada vereador foi eleito por uma causa específica. Não me meto nisso. O que eu quero, sob o ponto de vista do Poder Executivo, é ter a opinião do cidadão”, destacou.

Samuca garantiu ao aQui que o projeto ‘VR Democracia’ não vai tirar poder dos vereadores em legislar. Muito pelo contrário. “Não queremos tirar poder de ninguém. Em nenhum momento me passou isso. Agora, obviamente que (as mensagens) vão para a Câmara já com um viés mais democrático, um viés mais transparente, inclusive. E prévio. Ou seja, será colaborativo. Vai para lá (Legislativo) com a visão do cidadão”, destaca Samuca.

Segundo o prefeito, que vive às turras com um pequeno grupo de vereadores, o ‘VR Democracia’ vai facilitar até a análise dos seus projetos. “Obviamente quando uma mensagem for para a Câmara, ela já terá sido amplamente discutida com a população. Vamos evitar o desconhecimento de causa da população”, dispara, para logo concluir. “Pode trazer algum desconforto, mas o voto (favorável ou não) é deles. Eu só vou dar um aprimoramento”, concluiu o prefeito. 

A plataforma

Todo orgulhoso com mais um projeto desenvolvido no seu governo, Samuca conta que Volta Redonda está sendo a primeira cidade brasileira a implantar a  ferramenta do VR Democracia (www.voltaredonda.rj.gov.br/vrdemocracia). “Nosso governo sempre prezou pelo diálogo e transparência. Somos a primeira cidade a implantar esse sistema, que será mais uma importante ferramenta de participação popular”, disse.

Deixe uma resposta