Em casa

Sindicato dos Metalúrgicos lança pesquisa para condomínio em terras da CSN

O Sindicato dos Metalúrgicos começou a ouvir os trabalhadores da CSN quanto à proposta de construção de um condomínio de casas ou apartamentos em área da siderúrgica. A novidade foi divulgada há cerca de um mês pelo presidente do órgão, Silvio Campos. Desde então, ele vem conversando com bancos para discutir a viabilidade do financiamento com juros baixos para facilitar a vida dos metalúrgicos que sonham com a casa própria. Essa semana, a pesquisa saiu do forno e os trabalhadores devem votar no modelo de moradia que preferem: casa ou apartamento.
Quem estiver interessado deve acessar o link https://www.heapup.com.br/opinionboxV9Q9uPfpUY e responder ao questionário disponível na página. Vale ressaltar que o formulário só estará disponível até o dia 7 de julho; depois disso, a pesquisa será encerrada para a apuração dos dados.
Segundo Silvio, a pesquisa pretende saber se o trabalhador da CSN tem interesse no projeto de financiamento, qual o grau de interesse, valor dos vencimentos e da renda mensal familiar, se tem preferência por casa ou apartamento, quantas pessoas residem na mesma moradia, quantos banheiros, entre outras informações que vão ajudar na elaboração do projeto de construção. Para o preenchimento do formulário, o trabalhador precisa informar sua matrícula e responder o questionário até o final.

Projeto
A ideia é construir um condomínio – de casas ou apartamentos – em uma área da CSN no entorno do Vila Rica/Tiradentes. O local oferece uma excelente infraestrutura, com comércio, loteria, escola, supermercado, farmácia, área de lazer, posto de gasolina e até unidade de saúde. Sem contar na logística, com saída rápida para a Dutra, deslocamento fácil para o Hospital da Unimed e circulação de ônibus para toda a cidade. “A ideia é aproveitar a estrutura já existente ali. E o papel do Sindicato é fomentar esse projeto junto à CSN e aos bancos para tentar diminuir os custos ao mínimo possível para que seja acessível para o trabalhador pagar”, concluiu Silvio Campos.

Deixe uma resposta