quinta-feira, novembro 25, 2021

‘Deu certo’

Rodrigo Drable diz que conseguiu tirar cidade da lama

O prefeito Rodrigo Drable vive um dilema: o que fazer em 2022? Em tese, vai trabalhar, trabalhar e trabalhar para fazer seu sucessor nas eleições de 2024. Que pode ser o deputado estadual Marcelo Cabeleireiro; o presidente da Câmara, Luiz Furlani; o médico Sérgio Gomes, seu secretário de Saúde; ou a própria vice-prefeita, a professora Fátima Lima. Dos quatro, Drable espera fidelidade total e que cumpra a promessa de não lhe virar as costas depois de eleito.
As exigências fazem sentido. Ao deixar o cargo em 2024, o atual prefeito terá que esperar até 2026 para retornar à vida política, candidatando-se, então, à Câmara, Alerj ou ao próprio governo do Estado, por que não? E o que fazer em 2025 e 2026? A pergunta, dizem, ele já fez aos quatro possíveis candidatos à sua sucessão. E todos, segundo uma fonte, teriam lhe garantido pelo menos um cargo de ‘assessor especial’, com a função de ser uma espécie de braço direito com direito de voto-opinião e voto em todas as questões do futuro governo municipal.
Em tese, a estratégia tem tudo para dar certo. Só que Rodrigo Drable é escaldado. E todas as suas ações para 2022 podem mudar dependendo da ‘chuva’ que cair em Barra Mansa. “A política tem uma dinâmica muito grande”, disparou, ao ser provocado pelo aQui a falar se será candidato ou não à Câmara ou à própria Assembleia Legislativa. “No momento, não sou”, acentuou.
Na entrevista exclusiva que concedeu ao aQui ao comemorar um ano da sua reeleição, Rodrigo Drable fez questão de citar uma foto feita pela sua equipe em 2019, quando Barra Mansa foi atingida por uma tromba d´água e ele, levado pelo impulso, arregaçou as mangas e foi para a batalha de tentar tirar a lama da Via Sérgio Braga, que impedia o trânsito pela avenida que liga Barra Mansa a Volta Redonda. “Essa foto simboliza meu governo… Peguei a cidade na pior e entrei de cabeça para fazer dar certo”, pontuou.
Veja abaixo a íntegra da entrevista de Rodrigo Drable ao aQui:

aQui: Há um ano, o senhor ganhava a eleição para prefeito de Barra Mansa, sendo reeleito com muita facilidade. Esperava que fosse assim tão fácil?
Rodrigo Drable: Você conseguiu sintetizar todos os motivos. Mostramos mais trabalho e entregamos resultados. Seguimos as propostas realizadas sem demagogia. E a concorrência era realmente sofrível. A maioria não tinha e nem tem o menor projeto para a cidade. Têm projeto para as próprias vidas no modelo sanguessuga. Além disso, a covardia que fizeram contra mim e minha família, foi muito evidente. Ninguém gosta de covardia, ainda mais com quem trabalha.

aQui: O que o levou a ganhar a eleição? Seu carisma? Seu plano de governo? Ou foi fruto da decepção dos eleitores com os nomes que concorriam com o senhor?
Rodrigo Drable: Quanto ao carisma, esse eu até queria ter. Mas consigo fazer a linha do tapinha nas costas e contar historinha.

aQui: O senhor chegou a temer por uma derrota?
Rodrigo Drable: Não temo derrotas. Sou apaixonado pela minha cidade e por cuidar dela, mas não tenho o menor apego a cargos. Penso que, como cidadão, já fiz a minha parte. Se quiserem que eu continue, estou à disposição até meus 98 anos, depois disso penso em aposentar.
aQui: O que aconteceu, em termos práticos, em Barra Mansa até hoje?
Rodrigo Drable: Estamos resolvendo o Pátio de Manobras, dobramos o número de creches, criamos escolas públicas em horário integral. Estou transformando a realidade dos postos de saúde, e temos asfaltamentos pela cidade toda, além de termos recuperado locais abandonados como a Beira Rio e o Palácio Barão de Guapy, dentre várias outras ações. Mas o que está acontecendo de verdade, é que temos um grupo que interage com a sociedade, que trabalha demais, e não enrola ninguém. A gente não faz milagre, mas faz tudo o que é possível para melhorar a realidade da cidade que a gente ama!

aQui: O senhor sente que venceu a guerra contra a Covid-19 em Barra Mansa? Não teme que o vírus volte, como tem ocorrido na Europa?
Rodrigo Drable: Ninguém venceu a guerra contra a Covid-19. Serão várias batalhas, e o exercício é o da sobrevivência permanente. Os riscos existem, e estamos trabalhando sempre atentos a isso. Já está claro que no verão a situação ameniza. A Europa está entrando no inverno e a situação está se agravando. Temos que conjugar vacinação com o monitoramento permanente. O que eu acho um absurdo descabido é alguém não tomar vacina e ser contra, pois expõe toda a sociedade.
aQui: Quais são seus planos para 2022?
Rodrigo Drable: Fazer a inauguração das obras do Pátio de Manobras, concluir asfaltamento importantes, continuar entregando novos postos de saúde, construir um novo e ampliado Centro Cirúrgico na Santa Casa, e ouvir a opinião do nosso povo.

aQui: O senhor vai promover algo especial para o Natal e para a passagem de ano em Barra Mansa?
Rodrigo Drable: O Natal será lindo! Estamos trabalhando junto com as entidades e dividindo tarefas e despesas. Será um Natal literalmente realizado entre a prefeitura e as entidades empresariais.

aQui: Em 2022, teremos eleições para a presidência, para o governo do Estado, e para a Câmara e Alerj. Já definiu quem vai apoiar em todas elas?
Rodrigo Drable: Teremos candidatos na cidade. Já temos o deputado Marcelo, que tem sido brilhante, e teremos outros nomes disputando.

aQui: Se o senhor não for candidato em 2022, o que será do cidadão Rodrigo Drable depois que deixar a prefeitura em 2024?
Rodrigo Drable: Não penso em ser candidato em 2022. Não está nos planos, mas também não estou descartando 100%. A política tem uma dinâmica muito grande. Mas meu objetivo é concluir meu mandato, entregar as obras mais esperadas na história da cidade, e depois me dedicar a família e a outros projetos pessoais. Mais da metade da minha vida está entregue a política, e os últimos anos foram muito duros. Meus cabelos brancos não escondem isso!

aQui: Marcelo Cabeleireiro, Furlani e professora Fátima são os prováveis candidatos à sua sucessão. Qual deles teria seu apoio? Se der, justifique caso a caso.
Rodrigo Drable: Até agora quem colocou a candidatura de forma clara foi o deputado Marcelo que concorrerá à reeleição de estadual. O Furlani vem forte para Federal, e o Ademir Melo também. O Dr. Sérgio Gomes provavelmente será candidato a minha sucessão.
Não dá para ter dentro do mesmo grupo vários candidatos para as mesmas funções, e nem o candidato que vem para perder uma e se fortalecer para outra.
Quem vencer a de deputado terá o compromisso de desempenhar o melhor mandato pelo desenvolvimento da cidade, e se alguém perder, não será o candidato a prefeito depois. Essa é a minha condição para apoiar a candidatura.

Previous articleNeto, paz e amor
Next articleColuna Social
ARTIGOS RELACIONADOS

Neto, paz e amor

‘Sem despesas’

Grampos Barra Mansa

LEIA MAIS

COMENTÁRIOS RECENTES

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp