quarta-feira, julho 17, 2024
CasaColuna SocialColuna Social

Coluna Social

A CSN e a prefeitura de Volta Redonda começaram na terça, 11, a fazer o recruta-
mento de 100 profissionais do projeto ‘Mulheres Mãos à Obra’. O encontro foi no Centro de Qualificação Profissional Aristides de Souza Moreira, no Aero Clube, e contou com a presença de mais de 140 mulheres, entre as que já concluíram os cursos e aquelas que ainda estão assistindo às aulas teóricas e práticas oferecidas.
O acordo para o início do processo seletivo foi fechado no gabinete do prefeito Neto na sexta, 7, durante reunião com Ana Paula Gonçalves, gerente de Siderurgia da CSN. Hoje, as mulheres receberam informações sobre todas as etapas da possível contratação (preenchimento de cadastro, entrevista, avaliação psicológica, exame médico, entrega de documentos e efetivação). E tomaram ciência do que a CSN oferece, como vale-alimentação, planos de saúde e odontológico, auxílio-creche e previdência privada, entre outros, além de dicas para irem bem na seleção – entre elas, procurar tirar todas as dúvidas quanto às vagas oferecidas.
“Quando criamos o projeto, sonhávamos com dias como esse, em que tantas mulheres pudessem dar esse importante passo em suas vidas, de encontrar uma nova qualificação, e pudessem ocupar espaços no mercado de trabalho nos quais elas podem trabalhar em igualdade de condições. Nossos parabéns a todas elas, e nosso agradecimento à CSN por essa parceria”, pontuou Neto.

O Mercado Popular da Vila ganhou mais um quiosque para a comercialização de trabalhos
executados no Programa de Inclusão Produtiva e Geração de Renda, da Secretaria de Assistência Social de Volta Redonda. O box foi aberto, totalmente reformado, na tarde de segunda, 10, e passou a abrigar peças de artesanato confeccionadas por alunas e ex-alunas das oficinas do Centro de Inclusão Produtiva dos Cras (Centros de Referência de Assistência Social) do município. O horário de funcionamento é das 9 às 18 horas, de segunda a sábado; e das 9 às 13 horas aos domingos.
“O objetivo é contribuir para o empreendedorismo, fazendo com que essas pessoas que concluíram as oficinas nos Cras tenham oportunidade de ganhar dinheiro com o que aprenderam, aumentando a renda familiar e gerando crescimento econômico para a cidade”, comentou o prefeito Neto, lembrando que Volta Redonda vai ganhar uma segunda unidade do CIP na próxima semana.
O deputado estadual Munir Neto estava satisfeito em ver a continuidade de um projeto, iniciado em sua gestão à frente da secretaria de Assistência Social. “A Inclusão Produtiva traz autonomia para os nossos usuários e muda a realidade das suas vidas. Ser capacitado para o mundo do trabalho é essencial. E ter um espaço para mostrar à comunidade e vender essa produção é fundamental”, avaliou.
A coordenadora do Programa de Inclusão Produtiva, Marlene Mota, explicou que o quiosque vai funcionar com o trabalho de 18 artesãs, selecionadas pelas instrutoras das oficinas. “Mas esse número pode aumentar. As professoras levam em consideração a capacidade de produção das alunas. Quem conseguir criar as peças sem supervisão, em casa ou na sede do CIP, que fica na Vila Mury, pode atuar no quiosque. O ponto de venda funciona em sistema de rodízio, a cada dia da semana uma artesã fica responsável pelo espaço”, contou.

Uma parceria entre a prefeitura de Volta Redonda e a Casa da Criança e do Adolescente
possibilitou a abertura de mais um espaço para as atividades do Projeto Curumim na cidade do aço. O novo espaço, entregue na segunda, 10, fica no bairro São Sebastião e vai atender cerca de 120 crianças e adolescentes, de 4 a 17 anos, em risco de vulnerabilidade social. O local vai abrigar ainda oficinas e projetos culturais com foco em geração de renda, além de cursos profissionalizantes nas áreas de beleza e marcenaria.
Para a secretária de Assistência Social, Rosane Marques, a “Branca”, o novo espaço vai ser de grande importância. “Com esta nova sede do Curumim, somado ao trabalho que a Smas realiza no Cras e também com a Casa Bom Samaritano, que também atua aqui, vamos conseguir fortalecer muito o que já vem sendo feito, realizando uma grande revolução do bem aqui no bairro e em todo o entorno desse lado da nossa cidade”, ressaltou.
A cerimônia de inauguração da nova sede do projeto Curumim contou ainda com a presença do deputado estadual Munir Neto; da presidente da Casa da Criança, Guaraciara Lopes; da presidente da Casa Bom Samaritano, Solange Whehaibe; e da coordenadora do projeto Advogado Social, vinculado à Smas, Adriele Gama. Um representante da Fundação Oswaldo Cruz, do Rio de Janeiro, esteve presente e anunciou uma parceria para construção de uma horta comunitária dentro do novo espaço.
A Secretaria de Cultura de Volta Redonda promove nos dias 17, 18 e 19, o 1o Seminário de Economia Criativa com o objetivo de capacitar artistas e fazedores de cultura do município. Será na Biblioteca Municipal Raul de Leoni, na Vila, e os interessados em participar das palestras e oficinas de especialização já podem se inscrever pelo site cultura.voltaredonda.rj.gov.br, ou presencialmente nos dias do evento.

Na sexta, 7, o meio jurídico de Volta Re- donda se reuniu no ple- nário da Câmara de Ve- readores para a cerimônia de entrega de carteiras e da Medalha Sobral Pinto (concedida àqueles que completaram meio século de serviços prestados à advocacia). Comandado pela presidente da OAB/ Volta Redonda, Carolina Patitucci, o encontro contou com a presença da vice-presidente da Seccional, Ana Tereza Basílio, que foi paraninfa dos novos colegas. “Desejo sorte aos novos advogados e advogadas. Lembro que, quando peguei minha carteira da Ordem, já na semana seguinte estava dentro da OAB, e tenho certeza de que isso me fez uma advogada diferente. Passamos por dificuldades, mas a advocacia é unida, e combatemos isso com muito trabalho”, declarou Patitucci.
Os membros da
advocacia condecorados com a Medalha Sobral Pinto foram ngela Maria Padilha Velasco; Antonio Gustavo da Silva; entregue em memória, Jayr Affonso de Oliveira (representado pelo filho, Jair Lima de Oliveira); Maria Carmem Santos; Pedro Fernando Silva Monteiro (representado por seu filho, Pedro Fernando Ribeiro Monteiro); e os ex- presidentes da OAB/Volta Redonda, Rosa Maria de Souza Fonseca e Sebastião Jeronimo da Costa.
No mesmo dia, uma comitiva da OAB/RJ, liderada pela vice- presidente da Seccional, visitou a casa de custódia na Cadeia Pública Franz de
Castro Holzwarth, em Volta Redonda, para averiguar as condições estruturais da sala da OAB. Segundo Basílio, o atual estado da sala para uso dos advogados e advogadas é longe do ideal, e mudanças serão pleiteadas ao Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ). “Viemos a pedido da presidente da OAB/Volta Redonda, Carolina Patitucci, e constatamos que a sala da OAB é muito pequena. Temos outro espaço dentro do presídio e a nossa proposta para o Tribunal de Justiça será trocar a sala, que tem cerca de 14m2, pela área ao lado de fora, que está sem uso pelo TJ”, ponderou.

Artigo anterior
Artigo seguinte
ARTIGOS RELACIONADOS

Coluna Social

Coluna Social

Coluna Social

LEIA MAIS

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp