quinta-feira, maio 26, 2022
CasaEditoriasEspecialChuvas típicas

Chuvas típicas

Chuvas voltam a castigar Sul Fluminense; previsão é de tempo chuvoso pelos próximos dias

Mateus Gusmão

Onze entre dez leitores sabem que no verão – a estação mais quente do ano – as chuvas vão castigar as cidades do Sudeste. E esse ano não está sendo diferente. Volta Redonda e Barra Mansa, por exemplo, sofreram com temporais durante a semana, em especial na segunda, 7. E os velhos problemas de alagamentos e deslizamentos de terra foram registrados. A incidência de chuvas é tão grande nesse período que a cidade do aço está em ‘Estado de Alerta’ desde novembro de 2021, conforme decreto assinado por Neto.
Apesar de previstas, as cenas geradas por conta das chuvas ainda assustam. Pioram a cada ano quando fotos e vídeos, feitas por internautas, profissionais ou não, tomam conta das redes sociais, criando uma dimensão muito maior do caos. Foi assim na segunda, 7, quando Volta Redonda registrou alagamentos no Centro, na Avenida Amaral Peixoto, na Vila Santa Cecília, na Vila Brasília, na 207, Conforto, Açude e Santo Agostinho, entre outros. As águas do Rio Paraíba transbordaram em diversos pontos e interditaram a via que passa sob a Ponte Pequetito Amorim.
O aQui chegou a publicar diversos vídeos dos transtornos provocados pelo temporal de segunda. Por sorte, ninguém se feriu. Ninguém morreu. A Defesa Civil registrou 28 ocorrências, sendo a maioria por deslizamentos. A localidade mais afetada foi o Complexo da Vila Brasília, onde quatro residências precisaram ser interditadas preventivamente: duas no Eldorado, e outras duas no Belo Horizonte. O motivo da interdição é o risco de deslizamentos em trechos próximos dos imóveis. No total, 9 pessoas foram abrigadas temporariamente em casas de parentes.
Em suas redes sociais, o prefeito Neto comentou as consequências do forte temporal. “Como o Rio Paraíba do Sul está com nível muito acima do normal, o escoamento das águas pluviais e dos córregos ficou comprometido. Literalmente, a água bate e volta”, comentou, ressaltando que as equipes da prefeitura estariam atuando desde a noite de segunda, varando a madrugada, para minimizar o impacto das chuvas.
A fala de Neto, entretanto, não agradou a todos. O vereador Rodrigo Furtado (PSC) postou em suas redes sociais um compilado de vídeos de alagamentos pela cidade. “A população paga imposto e paga em dia para não ter o nome inscrito em Dívida Ativa. Contamos com o Poder Público para que o imposto seja bem aplicado. A população não pode passar por esses problemas recorrentes. Contamos com o prefeito para que esses problemas não ocorram mais e fiquem no passado”, completou.
A Defesa Civil de Volta Redonda aproveitou para fazer um alerta à população para que, sempre que possível, evite transitar ou trafegar em pontos alagados, mesmo que não haja interdição do acesso e para não se abrigar sob árvores. E é bom mesmo, pois a previsão é de chuva pelos próximos cinco dias (ver box).
Deslizamentos em Barra Mansa
O temporal de segunda, 7, também deixou um rastro de estragos por Barra Mansa. De acordo com a Defesa Civil local, as ocorrências mais graves foram duas quedas de muros de contenção, registradas nos bairros Santa Rita da Dutra e Boa Vista. Deslizamentos de terra também foram registrados nas duas localidades. A Rua João Xavier Itaboraí, em frente ao Centro de Triagem e Tratamento da Covid-19, na Região Leste, foi parcialmente obstruída. Já no Santa Rita da Dutra, o deslizamento ocorreu na Rua Jarbas Cansado Trindade.
Além das chuvas, as autoridades locais estão de olho no aumento da vazão da represa do Funil, em Itatiaia. Segundo o coordenador da Defesa Civil, João Vitor Silva Ramos, em um dia houve três aumentos de vazão. “O nível do Rio Paraíba do Sul está em 3,82 metros e com uma vazão de 738 metros cúbicos por segundo. Com a nova vazão e a previsão de chuvas fortes na região há riscos de transbordo do Paraíba no município”, destacou.

Mais chuvas
De hoje, sábado, 12, até quarta, 16, a previsão do tempo é de chuva para Volta Redonda e Barra Mansa. Os dados são do popular site ‘Climatempo’. E como quem avisa amigo é, é bom as prefeituras ficarem atentas às possibilidades de novos transtornos. Para este sábado, por exemplo, a previsão é de 90% de chance de chuva, com um acumulado de 7 mm, nas duas cidades. Já amanhã, domingo, 13, pode chover cerca de 15 mm, com chance de pancadas de chuva no final da tarde.
Na segunda, 14, a previsão é de temporal rápido à noite, com 6 mm no acumulado. Na terça, 15, a chance de chover é maior. Pior, com um acumulado de 35 mm durante o dia e com pancadas de chuvas à tarde e à noite. Na quarta, 16, a previsão é de chuva pela manhã e à tarde, com 15 mm acumulados. O tempo começa a firmar no final do dia. Na quinta, 17, já não há previsão de chuva.
Vale registrar que a Defesa Civil Nacional emitiu um alerta para a região Sudeste por conta da possibilidade de chuvas fortes, com probabilidade de alagamentos, inundações e deslizamentos de terra para os próximos dias. Foram emitidos avisos meteorológicos de perigo (laranja) pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) para o Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Segundo o órgão, haverá atuação do fenômeno Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) – quando uma faixa de nuvens fica praticamente estacionada, provocando grande quantidade de chuvas contínuas, na mesma área.

Artigo anteriorDe quem é a culpa?
Artigo seguinte‘Tempo louco’
ARTIGOS RELACIONADOS

Crime animal

Pela via legal

Mistério a sete chaves

LEIA MAIS

Lazer

Mudo e com a mão no bolso

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp