Bate bola – Sergio Luiz

Olha a rapaziada do time de waterpolo do Recreio do Trabalhador que, representando Volta Redonda, conquistou o I Campeonato Fluminense da modalidade em 1955. Pertence ao acervo do José Vicente.

Em pé da esquerda para a direita: Zé Vicente (técnico), Joel Stocco, Nandi, Waldemar, Dr. Pareto (presidente da Federação Fluminense de Desportos) e Benevenuto dos Santos Neto (presidente da LDVR). Agachados: Aprígio, Horácio, Arnoud e Walter Delunardo.

Voltaço a uma vitória para conquistar a Taça Guanabara
Depois de arrancar um empate diante do Bangu, em Moça Bonita, por 1 a 1, o Voltaço continua como líder do campeonato carioca e poderá conquistar o título da Taca Guanabara no domingo, 25, diante do ‘poderoso’ Flamengo, em partida que será disputada no Maracanã. Ao Voltaço basta uma simples vitória, ou ainda um empate, desde que o Fluminense não vença o Madureira.
Se o Voltaço empatar com o Flamengo e se o Fluminense vencer o Madureira, os dois chegarão a 22 pontos, mas o título será tricolores das Laranjeiras por terminar, então, com vantagem no número de vitórias: 7 a 6.

Sacanagem
A Federação Carioca continua uma piada. Atendendo ao Flamengo, a entidade adiou de quarta, 14, para quinta, 15, o clássico com o Vasco, sem consultar os dirigentes vascaínos. O time rubro-negro alegou desgaste dispendido na decisão da Supercopa, contra o Palmeiras, em Brasília, cujo viagem ‘cansativa’ durou 1h30min. O engraçado é que os caras da federação não tomaram conhecimento da viagem do Voltaço à Bahia, que durou cerca de 32 horas, entre ida e volta, e manteve o jogo contra o Botafogo para o dia 10, sábado, no Raulino, três dias após a partida contra o Juazeiro. Parece sacanagem, E é. Mas a culpa também é do Voltaço, que não tem um representante forte na Federação.

Viagem
Para que todos tenham uma ideia do sufoco que os jogadores do Voltaço enfrentaram, a delegação saiu às 13h30min, de ônibus, e chegou em Campinas às 19h30min, onde os atletas jantaram e, às 23h50min pegaram um voo até Petrolina-PE, onde chegaram às 02h30min. Pegaram as malas e foram para o hotel, indo dormir por volta das 4 da manhã. É mole?

História
Na década de 80, o Voltaço contratou um jogador com características de ‘macho’, um autêntico cabeça de área, que não perdia a viagem. Certo dia, jogando contra um time da segunda divisão (não me lembro do nome), que tinha uma defesa que batia mais que bateria de escola de samba, em uma bola dividida, o “vigoroso” craque tirou o pé. Indignado, o treinador Alfredo Gonzalez, com seu sotaque argentino, gritou: ”Ô rapaz, é para dividir, pô!”. Nosso herói devolveu na lata: ”Ei professor, que isso? Eu vim aqui para somar e não para dividir, pô!”. O pipo-queiro nunca mais foi escalado. É mole?

Boca de siri (I)
Alef Manga, artilheiro do carioca, está sendo monitorado por diversos clubes, entre eles Vasco, Fluminense, Flamengo e Botafogo, entre outros, do Brasil e também do exterior. Até aí tudo bem, é justo e merecedor. Porém, o empresário Marlei Feliciano, da Pantera Sports, vem anunciando aos quatro cantos que combinou com o Volta Redonda que o jogador será negociado ao final do estadual. Às vésperas da semifinal, não era hora de se falar do assunto. Isso pode mexer com a cabeça do atleta, podendo influenciar no seu rendimento. Aliás, já vi esse filme em 2005, quando o empresário dos jogadores Schneider, Lugão e Léo Guerra, anunciou, as vésperas da decisão, que os jogadores seriam negociados com o Fluminense. Deu no que deu e o Voltaço acabou perdendo o título. Na época, mesmo tendo falhado no gol que deu o título ao Fluminense, Lugão foi considerado o melhor goleiro do estadual e Túlio, o artilheiro da competição. Alô Feliciano, quem fala muito dá bom dia a cavalo.

Boca de siri (II)
Indiferente ao que possa acontecer em campo, Marlei garante que 50% dos direitos de Alef Manga pertencem ao Volta Redonda e ao atleta, e os outros 50% a um grupo empresarial. Tem mais. Diz que o jogador tem vínculo com o Volta Redonda até 2022, com multa de R$ 2,5 milhões se quiser rescindir o contrato. Detalhe: O Voltaço diz que não tem interesse em liberar o jogador.

VAR
Na próxima quinta, 22, os clubes vão definir se o VAR – Árbitro de Vídeo, será utilizado ou não no matamata do carioca. Se for aprovado, o Raulino de Oliveira estará incluído na lista dos estádios em condições de receber o VAR.

Deixe uma resposta