Bate bola – Sergio Luiz

A foto é da seleção da LDVR – Liga de Desportos de Volta Redonda de 1966, uma das melhores formadas em Volta Redonda. Pertence ao acervo do Sebastião Alves Viana, o “Tira Gosto”.

Em pé da esquerda para a direita: Lino (massagista), Jesus, Anísio, Zé Ó, Mariano, Jota e Sidney. Agachados: Tira Gosto, Valter, Jair Amorim, Enir e Nena.

 

Tudo de novo

Na segunda, 11, os jogadores do Volta Redonda se reapresentaram ao técnico Neto Colucci, dando início a preparação para o estadual de 2021, que começará no dia 27 de fevereiro, sendo que a estreia será contra o Madureira, ‘em casa’. Até lá, o treinador terá um bom tempo para armar a equipe do seu jeito. Isso, se o time for reforçado, como promete a diretoria do clube. E desde que os reforços não venham em gotas homeopáticas. Ou seja, cada semana chega um. Aí fica difícil, né?
Tem mais. As contratações devem visar também as disputas da série C e Copa do Brasil. Não adianta contratar para o carioca e depois mandar todo mundo embora. Quando isso acontece, fica difícil achar no mercado da bola, jogadores bons e barato, já que os melhores estarão empregados. Sobram, de praxe, os ‘craques dos empresários’, que só jogam quando querem. O torcedor está cansado, ano sim outro também, de ver isso ocorrendo na sede da 207. Quem viver, verá!

Raulino
O prefeito Neto garante que o estádio estará pronto para o Voltaço estrear, em casa, contra o Madureira pelo carioca de 2021. Promessa é dívida.

Perguntar não ofende
Por que o Voltaço emprestou o atacante Léo Melo, artilheiro da Copa Rio sub20 e revelação do estadual da categoria, para o Sampaio Correia-MA e trouxe o atacante Gabriel Silva, 23 anos, formado na base do Flamengo e com passagens pelo Corinthians? O da casa já é conhecido, o outro ainda é uma incógnita, e custa mais caro. Não deu pra entender nada…

História
Essa quem contou foi meu amigo, um grande gozador, Dário de Paula. Lá pelos idos de 80, havia um jogador no Voltaço, que adorava fugir da concentração nas vésperas dos jogos. Certa vez, foi apanhado em flagrante pelo saudoso treinador Alfredo Gonzales, que com aquele sotaque argentino mandou: “Onde andavas, rapaz?”. O fujão não se fez de rogado e com a cara mais limpa do mundo, devolveu: “Ora professor, estou frequentando uma seita chamada BU”. Irado, o velho hermano, não se conteve e devolveu: “Só se foi a BU seita, seu moleque”. Eeepa!

Barra Mansa
Empatou em 3 a 3 com o Mageense e está praticamente fora da semifinal do segundo turno, o que adia de vez a sua volta à série B1. A despedida do Leão será neste sábado, 16, às 15 horas, contra o Barra da Tijuca, na Colônia Santo Antônio.

Tiro no pé
O grupo que investiu no futebol do Barra Mansa não ficou satisfeito com o terceiro lugar no primeiro turno, quando somou apenas 11 pontos, ficando fora da semifinal – perdeu a vaga para o Casemiro de Abreu, que terminou com 12. Esse teria o motivo da despensa do técnico Waltinho. Imagine o que pode acontecer agora, com o time à beira da semifinal do segundo turno. Não será surpresa para ninguém se o grupo jogar a toalha e deixar o Leão rugindo como um desesperado.

Bola fora
Para o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que autorizou a volta da torcida aos estádios e meia hora depois revogou a decisão. Não é hora de brincar com isso.

Bola dentro
Para Palmeiras e Santos, que merecidamente vão decidir o título da Taça Libertadores em jogo único a ser disputado no dia 30 de janeiro no Maracanã. As duas equipes foram brilhantes e deverão fazer um grande espetáculo. Tá valendo!

Deixe uma resposta