segunda-feira, janeiro 17, 2022
CasaEditoriasEspecialAno de desafios

Ano de desafios

Com objetivo de votar contas de Samuca e modernizar Legislativo, Dinho assume presidência da Câmara

Mateus Gusmão

Modernizar os processos internos da Casa; realizar concurso público, mesmo que seja para preencher apenas cinco vagas; votar as contas do ex-prefeito Samuca; e ainda disputar as eleições de outubro. Esses são apenas alguns dos desafios que o vereador Sidney Dinho (Patriotas) terá pela frente em 2022 desde que assumiu, em 1º de janeiro, pela segunda vez, a presidência da Câmara de Volta Redonda.
Dias antes de tomar posse, Dinho concedeu uma entrevista ao programa Dário de Paula, feita pelo também vereador Renan Cury, e de cara foi avisando que será um parceiro do governo Neto. “Eu sou um pouco ousado, sou bastante ansioso e eu tenho um curto período de tempo para colocar as coisas em prática que eu acho que a Câmara precisa. Eu tenho um objetivo de acabar com os processos legislativos na forma do papel para a gente dar a nossa contribuição para o Meio Ambiente e também gerar uma economia em relação ao consumo de papel”, destacou.
Segundo Dinho, o objetivo é que os projetos de lei, indicações, ofícios, entre outros, sejam feitos de forma eletrônica e que em 45 dias os servidores sejam capacitados para que todo o processo seja feito pelos computadores da Casa. Outro desafio, diz Dinho, é realizar um concurso público. “A Casa necessita de mais servidores. Inicialmente nós queremos preencher cinco vagas. Também queremos fazer uma reforma administrativa”, completou, ressaltando que a estrutura física da Casa de Leis também necessita de reforma.
Atualmente, quem quer acompanhar as sessões legislativas da Câmara de Volta Redonda pode fazer através do Facebook – na página oficial da Casa. Entretanto, a transmissão é de baixa qualidade. “Nós queremos melhorar. Vamos modernizar, teremos cinco câmeras que possam visualizar a Mesa Diretora, quem vai fazer uso da Tribuna, visualizar o vereador que está fazendo o uso da palavra para defender o projeto que está em pauta ou também para poder argumentar contra alguma matéria que ele não concorda. Nós queremos dar ênfase ao trabalho do vereador com bastante transparência. Então é uma ideia que você tem que dar uma corrida contra o tempo para colocar em prática”, acrescentou.
Dinho foi além. Ele, que fez parte da base do governo Samuca, mas rompeu em meados de 2019, disse que um dos seus objetivos é colocar as contas do ex-prefeito para votação. O parlamentar lembrou que, em 2017, quando também foi presidente da Casa, ele colocou para votação as contas do prefeito Neto. “Eu confesso a você que no dia 3 (de janeiro) eu vou encaminhar os processos das contas do ex-prefeito para a Comissão de Finanças e vou pedir aos vereadores para que possam exarar os pareceres. A gente sabe que analisar uma conta de um ex-prefeito é complexo, você pega um relatório técnico do Tribunal de Contas. E também não quer dizer que a divisão de finanças vai concordar com o parecer técnico do Tribunal de Contas”, disse o parlamentar, destacando que Samuca terá direito ainda a fazer sua defesa dentro do processo. Samuca teve as contas de 2017 favoráveis pelo TCE, e de 2018, 2019 e 2020 com pareceres contrários.
Questionado por Renan Cury se será candidato a deputado em 2022, Dinho deu a entender que tem tudo para disputar o pleito de outubro. “Eu já participei de umas três reuniões com a executiva estadual do Patriota, o meu nome está sendo cogitado para ser deputado federal lá. Só que no Patriota ninguém empurra nada goela abaixo de ninguém, né?”, disse. “Eu tive quase 13 mil votos para deputado estadual na última eleição, fiquei nessa condição de primeiro suplente no Patriota. E eu penso que nossa região, sem entrar no mérito de mandato de A ou de B, carece de mais representatividade em nível federal. Então esse desafio de ser candidato a deputado federal virá e eu vou encarar com a cara e a coragem”, prometeu, sem citar o nome do deputado federal que alfinetou e que se diz de Volta Redonda.
O parlamentar completou, entretanto, que fará uma campanha com pé no chão. “Se a população de Volta Redonda, do Sul Fluminense, do Médio Paraíba e do Estado do Rio entender que eu tenho condições de ajudar de alguma forma, eu estarei pondo a cara. Eu vou fazer uma campanha bem pé no chão, olho no olho. Hoje a gente fala de uma pré-candidatura, tentando conscientizar as pessoas que podemos sim ter um espaço melhor no governo Federal para poder ajudar nosso estado”, acrescentou.
Visita a Neto
Já na segunda, 3, o presidente da Câmara, Sidney Dinho, fez questão de ir ao Palácio 17 de Julho trocar dois dedos de prosa com Neto. Segundo o prefeito, no que depender dele e do vereador, a união entre os dois poderes será constante. “Desejo a ele toda a sorte no seu mandato e estaremos à disposição para o que a Câmara precisar. Vamos caminhar juntos para continuar recuperando Volta Redonda e melhorando os serviços para nossa população”, frisou Neto, que também esteve acompanhado do vice-prefeito, Sebastião Faria.
Durante o encontro, Dinho e Neto conversaram sobre assuntos relacionados à Saúde do município, como a implantação de um tomógrafo no Hospital do Retiro; e temas ligados à segurança pública, como os investimentos e implantação das câmeras na cidade; além de reformas das escolas, infraestrutura e outros assuntos. “Hoje (segunda) foi meu primeiro dia de trabalho como presidente da Câmara e aqui compareci para estreitar a harmonia dos poderes em prol da população. Colocamos o Poder Legislativo à disposição para o que for melhor para Volta Redonda. Seguimos firmes e unidos, com o mesmo objetivo de recuperar o município que tanto amamos”, afirmou Dinho.

Artigo anteriorA força no braço!
Artigo seguinteSIM, SIM
ARTIGOS RELACIONADOS

“Não enganei ninguém”

Luto sem fim

Balanço de 2021

LEIA MAIS

“Não enganei ninguém”

Luto sem fim

Grampos

Grampos Barra Mansa

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp