“Ainda estamos no começo”

Ontem, sexta, 27, antes de dar a má notícia – de que Volta Redonda já contabilizava uma morte pelo covid-19 e 25 casos confirmados da doença -, o prefeito Samuca Silva conversou com o aQui sobre a situação da pandemia do Covid-19. Para ele, o momento é delicado e exige muita cautela. “Nós estamos monitorando cerca de 200 pessoas, com a realização de testes. A situação é bastante preocupante, Volta Redonda é a terceira cidade com maior número de casos no estado do Rio, e a 19ª no Brasil. Nós estamos ainda no início dessa onda de contaminação”, alertou.

Sobre a possibilidade da reabertura do comércio, e os movimentos dos empresários com a convocação de uma carreata para este sábado, 28, Samuca foi taxativo: “Tive uma reunião com os empresários ontem (quinta, 26) e me coloquei aberto a ouvir sugestões. Eu mesmo já havia falado em diversas ocasiões sobre a possibilidade de permitirmos a abertura no dia 6 de abril. Mas precisamos ver qual é a extensão dessa situação antes de tomarmos qualquer medida neste sentido”, disse ele, que não considera o movimento como uma forma de pressão.

“Não tem pressão nenhuma, existe um decreto estadual que determina isso, e vamos cumprir o decreto, tomando todas as medidas para preservarmos a população”. Mas o prefeito fez uma ressalva: “Eles (empresários) têm todo o direito de manifestar a posição deles, mas as carreatas estão proibidas por decreto estadual. Existe uma força tarefa atuando para fiscalizar isso, com Polícia Militar, Polícia Civil e procuradoria do Ministério Público. Portanto é uma questão que foge da minha alçada”, avisou, para completar. “Não há como tomar qualquer medida (para reabrir o comércio) agora, sem ter ideia da dimensão do problema”. Problema que ele não terá nesse sábado, pois uma liminar da Justiça proibiu a realização da carreata dos empresários, marcada para a manhã de hoje.

O prefeito afirmou ainda que o público que mais o preocupa é dos idosos, e que todas as atividades da Terceira Idade realizadas pela prefeitura estão suspensas por tempo indeterminado. “Mesmo havendo a liberação gradual do comércio, haverá medidas de restrição para os idosos. Ainda não sabemos quais, mas haverá”, prometeu.

Live

Os números do coronavírus em Volta Redonda não param de subir. Na tarde de ontem sexta, 27, Samuca anunciou que o município já tinha 25 casos confirmados da doença e uma morte. “De forma muito transparente preciso avisar a população que temos novos casos. Agora são 25. Nenhum deles está hospitalizado e todos permanecem monitorados”, avisou Samuca, salientando que todas as pessoas, até o momento, se contaminaram antes das medidas restritivas tomadas pelo seu governo.

Usando o exemplo do prefeito de Milão, na Itália, que teve que se desculpar com a população por não ter tomado medidas restritivas, ao contrário, banalizou os efeitos da pandemia o que ajudou a piorar as infecções por lá, Samuca reiterou que não abre mão da quarentena forçada imposta aos voltarredondenses. “Prefiro pecar pelo excesso do que ter de me desculpar como fez o prefeito de Milão”, disse, salientando que as restrições continuam até, pelo menos, o dia 5 de abril. “É o prazo que nos deram os especialistas sanitários”, destacou.

Samuca disse também que as aulas continuam suspensas até segunda ordem e que a secretaria de Educação está estudando meios de disponibilizar aos 39 mil alunos da rede formas de estudar em casa. “Estamos vendo a melhor forma para evitar perdas no ano letivo e diminuir a necessidade de pagar aulas no sábado ou domingo”, tranquilizou Samuca aproveitando para anunciar que em breve os marmitex serão disponibilizados. “Vai ser de forma agendada. Ainda não entregamos porque, primeiro, protocolamos na Justiça o fato a fim de precaver a mim e a secretária de Educação. Mas logo começaremos a entregar os kits preparados por nutricionistas”, explicou.

O secretário de Saúde, Alfredo Peixoto, aproveitou a transmissão para comentar sobre o transtorno que se estabeleceu nos postos de vacinação na manhã de hoje. “Todos saíram de casa ao mesmo tempo, isso acabou congestionando a princípio os postos de vacinação. Mas até às 13 horas o fluxo já tinha melhorado”, minimizou o secretário, reiterando que a vacinação em domicílio para idosos acima de 80 anos continua. “É só ligar e agendar”.

Deixe uma resposta