Um brinde!

Volks Caminhões e Ônibus comemora quatro décadas no Brasil

Pollyanna Xavier

No ano em que a Ford anunciou a sua saída do Brasil, a Volks Caminhões e Ônibus comemora 40 anos de atividades no país. Gigantes no setor, as duas montadoras não são concorrentes: elas fabricam modelos distintos, com propostas completamente diferentes. O encerramento das atividades da Ford provocou o fechamento de três fábricas e milhares de demissões. A Anfavea, na ocasião, se manifestou dizendo que não comentaria uma decisão estratégica de uma representante, mas afirmou que “isso corrobora com o que a entidade vem alertando há mais de um ano sobre a ociosidade local, global e a falta de medidas que reduzem o Custo Brasil”.
De fato, o Custo Brasil é um grande desafio para as montadoras de veículos automotores no país. A gigante Volks é uma das que têm conseguido vencer esse desafio. Desde fevereiro de 1981 no Brasil, a Volks Caminhões e Ônibus já fabricou mais de um milhão de veículos nestas quatro décadas e mantém um polo exportador para países da América Latina, África e Oriente Médio, levando produtos a cerca de 30 mercados internacionais. Os números tendem a aumentar nos próximos anos. É que para comemorar a chegada dos 40 anos, a Volks Caminhões e Ônibus anunciou um ciclo de investimentos de R$ 2 bilhões entre os anos 2021 a 2025.
Atualmente, a montadora produz caminhões e ônibus sob medida para seus clientes. A história que começou no início da década de 1980 vem seguindo uma trajetória de sucesso, o que faz com que a marca seja líder no mercado. No início eram apenas dois modelos de caminhões: o VW 11.130 e o VW 13.130, ambos fabricados em São Bernardo do Campo (SP). Hoje, a linha para o transporte de cargas vai de caminhões de 3,5 a 125 toneladas de peso bruto total, com três famílias (VW – Delivery, Constellation e Meteor), além dos MAN TGX.
A montadora desenvolveu também uma linha completa para o transporte de passageiros, com chassis Volksbus para os mercados de ônibus rural, urbano, fretamento, rodoviário e escolar. Os produtos são montados em Resende e na filial de Querétaro, no México. Por falar na fábrica de Resende, ela conta com um cinturão de empresas prestadoras de serviço e produção de componentes – o chamado Consórcio Modular –, que em novembro de 2021 completará 25 anos de operação. O consórcio é formado por sete fornecedores que a Volks chama de parceiros, e que juntos têm a responsabilidade de montar os caminhões e os ônibus da marca.
O complexo é gigante. A Volks Caminhões e Ônibus de Resende foi concebida para produzir inicialmente 150 veículos por dia em dois turnos, e hoje a fábrica possui uma capacidade instalada de até 100 mil unidades por ano. “Ao longo desses anos, sob medida, desenvolvemos e produzimos veículos que se tornaram verdadeiros ícones do transporte, e criamos um modelo até hoje inovador de produção, o Consórcio Modular”, destacou Roberto Cortes, presidente e CEO da Volks Caminhões e ônibus.

Veículos elétricos
Com o slogan “Menos, você não quer; mais, você não precisa”, a marca já produziu alguns dos maiores sucessos do mercado brasileiro de veículos comerciais, como as famílias de caminhões Delivery e Constellation, líderes em seus segmentos. A Volks também apostou na tecnologia e deu um grande passo na viabilização da mobilidade elétrica, ao produzir os primeiros caminhões elétricos do país.
Segundo Roberto Cortes, o ineditismo na criação de veículos elétricos fez com que a Volks se tornasse a primeira marca no mundo a desenvolver desde a montagem até a infraestrutura de recarga e gerenciamento de ciclo de vida da bateria. “O progresso alavanca o comprometimento de toda a cadeia de fornecedores de maneira integrada”, comemorou o CEO.
Outra novidade na celebração dos 40 anos da Volks Caminhões e Ônibus é a oficialização de um acordo com a Ambev, para a entrega dos 100 primeiros caminhões elétricos da família e-Delivery. A entrega da frota está prevista para o segundo semestre deste ano e os veículos serão usados na distribuição de bebidas no eixo Rio-São Paulo. O acordo faz parte do compromisso da companhia de ter 1.600 caminhões Volkswagen elétricos na sua frota parceira até 2023 – um dos maiores anúncios do tipo no mundo.

São Paulo


A Volks Caminhões e Ônibus também fabricou uma série de caminhões para o Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo. Foram 40 novos caminhões Constellation 17.280, e os veículos reforçam a frota de salvamento e combate de incêndios e serão divididos entre municípios do estado de São Paulo. “É motivo de grande orgulho ver em operação mais um lote de caminhões Volkswagen desenhado sob medida para o Corpo de Bombeiros, desta vez de São Paulo. A VWCO está sempre procurando por inovações para desenvolver veículos na configuração ideal para cada aplicação e cliente, entregando segurança, eficiência e expressiva redução de custo operacional”, comentou Ricardo Alouche, vice-presidente de Vendas, Marketing e Pós-Vendas da montadora.
De série, os Constellation 17.280 contam com motor MAN D08, que entrega potência máxima de 277 cv e torque de 1.050 Nm. O propulsor tem tecnologia EGR para controle de emissões, dispensando o uso de Arla 32. Os veículos da família Constellation também são referência no mercado em atributos como robustez e confiabilidade. Para o combate aos incêndios, os caminhões receberam o implemento denominado autotanque-bomba, capaz de armazenar 12 mil litros de água e bomba com capacidade de 500 galões (1.900 litros) por minuto.
“Os veículos têm demonstrado uma grande eficiência, principalmente nos quesitos desempenho, segurança, facilidade de manutenção e minimização do tempo e custos necessários para as manutenções”, afirmou o tenente-coronel Wagner Giurni Gomes, chefe do Centro de Suprimento e Manutenção do Material Operacional de Bombeiros de São Paulo. “Além disso, os caminhões têm nos proporcionado menor tempo de resposta para os deslocamentos nas ocorrências operacionais, em função da melhora da performance da viatura, e a diminuição do estresse e fadiga dos motoristas durante essa movimentação para o atendimento das emergências que resulta em maior segurança para o nosso trabalho”.

 

Deixe uma resposta