quarta-feira, maio 25, 2022

Só Washington

Igreja Universal e pastor Washington rompem relações eclesiásticas

Vinicius de Oliveira

Desde que assumiu a secretaria da Pessoa com Deficiência, criada para ele, o vereador licenciado pastor Washington Uchôa não se apresentava mais como líder religioso. Com o passar do tempo, parece que as coisas finalmente azedaram entre a poderosa Igreja Universal do Reino de Deus e o político, por conta de conflitos de interesses entre as duas partes. E, definitivamente, Washington não pode mais usar a alcunha de ‘pastor’.
Em entrevista ao aQui sobre o assunto através de sua assessoria de imprensa, o secretário afirmou que a decisão de se afastar dos trabalhos religiosos teria partido de um consenso entre ele e a alta cúpula da Igreja. “Em comum acordo, considerando os 26 anos de serviços eclesiásticos prestados à cidade de Volta Redonda, cidade a qual aprendi a amar profundamente, optamos pela desvinculação do quadro de pastores”, resumiu, garantindo que o político não rompeu com sua fé e continua como membro ativo da igreja, frequentando os cultos aos domingos pela manhã e “sendo um importante aliado na defesa do evangelho”. “Qualquer informação em sentido contrário é inverídica, desconexa com a realidade e visa tão somente denegrir a imagem tanto da Igreja Universal quanto do Pastor Washington, é fruto da imaginação de pessoas que lucram com a disseminação de notícias fake news”, completou, cometendo o ato falho de chamar a si próprio de ‘pastor’.
Ao ser questionado se seu afastamento se deu por incompatibilidade política, Washington reiterou que a igreja tinha interesses mais ‘missionários’ e deu a entender que poderia exigir sua saída de Volta Redonda para atuar em outras congregações e ele, por sua vez, preferiu manter o cargo na prefeitura e sua cadeira na Câmara, atualmente ocupada por Vampirinho, em vez de servir ao Pai em outras paragens. “Reforço que a saída foi de comum acordo, por opção própria para privilegiar a permanência do pastor na cidade de Volta Redonda, para, assim, evitar eventual transferência de município (procedimento comum na igreja), justamente pelo forte vínculo com a cidade de Volta Redonda. Em nenhum momento, portanto, relacionado com política, ou gestão governamental”, disse.
A assessoria do secretário disse ainda que “insta ressaltar que o parlamentar foi eleito para atuar em defesa dos cidadãos de Volta Redonda e do evangelho, função essa que continua cumprindo integralmente como secretário da Secretaria da Pessoa com Deficiência, responsável entre outras medidas pelo avanço da educação superior entre as pessoas com deficiência”, finalizou.

Artigo anteriorDada a largada
Artigo seguinteColuna Social
ARTIGOS RELACIONADOS

LEIA MAIS

Lazer

Mudo e com a mão no bolso

Seja bem vindo!
Enviar via WhatsApp