Pequenas falhas

O novo sistema informatizado da prefeitura de Volta Redonda para administrar o ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) voltou a emitir gratuitamente a nota fiscal eletrônica – que os empresários locais tinham que pagar R$ 29,90 por mês se quisessem sobreviver na legalidade. De acordo com o secretário de Fazenda, Erick Higino, a implantação foi realizada com sucesso e já se encontra em funcionamento.
“Iniciamos na sexta, 17, a transição do sistema antigo para o novo que, na prática, a maioria dos contadores já conhecia e relembrou durante apresentação oficial na semana passada”, afirmou Higino, destacando os benefícios que serão gerados com a medida. Ele foi além. “Com o fim da taxa para emissão das notas fiscais, além da economia para o contribuinte, acredito que muitas empresas irão se legalizar, inclusive os Microempreendedores Individuais (MEIs), aumentando a arrecadação do ISS e movimentando a economia”, acrescentou.
A integração do novo sistema com os de gestão da prefeitura foi realizada pela EPD (Empresa de Processamento de Dados de Volta Redonda). De acordo com dados da SMF, Volta Redonda conta com cerca de 11,4 mil contribuintes inscritos. Nos primeiros oito meses deste ano, a secretaria contabilizou a emissão de aproximadamente um milhão e 250 mil notas fiscais no município.
Desde maio de 2020, uma taxa mensal da ordem de R$ 29,90 era cobrada de empresários, microempreendedores ou qualquer prestador de serviço. Microempreendedores pagavam menos: R$ 7,90. O valor era referente ao uso do software necessário para a emissão da nota fiscal por uma empresa contratada pela antiga gestão. “Desde o início do ano estamos trabalhando para melhorar o ambiente de negócios e movimentar a economia, como parte da recuperação da nossa cidade. São muitos os desafios, mas estamos avançando mais a cada dia”, afirmou o prefeito Antônio Francisco Neto.
Falhas
De segunda, dia da mudança, até ontem, sexta, 24, o sistema apresentava algumas falhas. A memória dos dados que as empresas tinham de seus clientes tinha sido perdida. “Terei que recadastrar todo mundo. Perda de tempo”, criticou um empresário, que lamentou ainda o trabalho que está sendo necessário para a emissão das novas notas fiscais. “Era mais fácil”, disparou.

Deixe um comentário