Final feliz

Embora ainda esteja na fase final de recuperação do coronavírus, mas já sem os sintomas da Covid-19, o empresário Joselito Magalhães, secretário de Planejamento do governo Samuca, estava super ansioso na manhã de quinta, 9, quando em entrevista exclusiva ao aQui, anunciou que iria ontem, sexta, 10, em plena semana santa, tirar a prova dos 9. “Amanhã (sexta) completo os 15 dias do início dos sintomas e serei reavaliado para (poder ou não) retornar às atividades”, comentou. “Sem ser multiplicador do vírus”, acrescentou.

Ele foi além. Contou que não queria, inicialmente, espalhar a notícia de que teria contraído o coronavírus. “Eu não ia divulgar, mas acabou saindo em uma conversa nas redes sociais. Logo vieram os jornais, a TV, e aí eu percebi a importância de compartilhar com as pessoas a minha experiência e preocupações com a pandemia”, revelou Joselito, contando ainda que não poderia precisar quando contraiu a Covid-19.

“Eu não sei ao certo quando contraí o vírus, mas tivemos duas festas de aniversários na família da minha esposa. Uma no início e outra em meados de março. Na família tivemos vários casos de coronavírus, uns com mais e outros com menos sintomas, de acordo com a idade e a saúde de cada um. Estou em isolamento social desde o dia 22 de março, quando soube dos casos suspeitos na família”, detalhou.

Indagado se teria tido contato com o prefeito Samuca Silva e se o mesmo poderia contrair o coronavírus, Joselito revelou que esteve no Palácio 17 de Julho na véspera de ser informado que estava com os sintomas da Covid-19. “A última reunião que participei presencial (no Palácio) foi no dia 21. Foi em um sábado à tarde”, contou, para logo acrescentar:

 “Embora eu tenha tido sintomas leves, a doença é muito complicada para a saúde, principalmente de quem tem algum problema, como é alertado pelas autoridades de Saúde. O nível de contágio é alarmante, por isso a necessidade de isolamento social. Ainda precisamos levar essas informações para algumas pessoas que menosprezam a gravidade da Covid-19”, disse. “Não há como precisar se naquela época eu já tinha o vírus”, completou, referindo-se ao encontro que teve com Samuca e com D. Luiz Henrique no Núcleo de Posse D. Waldyr (ver foto). “Mas se não apresentaram sintomas até aqui, certamente não tiveram o contágio”, ponderou. 

Sintomas

Ao ser informado no dia 22 que poderia estar contaminado, Joselito tomou uma decisão: iria cumprir o isolamento social. “De lá pra cá, evitei contato com as pessoas por precaução, até que comecei a apresentar os sintomas no dia 27 de março. Tive febre, dores de cabeça e muitas dores no corpo, além de perder o olfato e o paladar”, revelou, acrescentando que passou a monitorar o próprio quadro.

 “Não tive os sintomas mais severos da doença, como dificuldades respiratórias. Por isso consegui monitorar o avanço da doença e me tratar em casa. Na semana passada, o médico prescreveu exame e o resultado confirmou a Covid-19”, disse. “Não saio de casa pra nada. Tenho essa preocupação”, pontuou, satisfeito por não estar passando por momentos que outros contaminados enfrentaram com vizinhos. “Não tive essa experiência”, disparou. “Eu moro em um prédio, nem vou às áreas comuns por conta disso”, contou.

Política

Empresário e secretário do governo Samuca, Joselito, provocado pelo aQui, falou sobre política e economia. E endossa a postura do prefeito de não ceder às pressões pela reabertura total do comércio. “Todos sabem que sou um desenvolvimentista, me preocupo com a atividade econômica. Mas não podemos baixar a guarda nas medidas restritivas de funcionamento das empresas, (deve-se) manter só a essencialidade”, defendeu.  “Em breve trabalharemos para restabelecer o ambiente de negócios, mas agora é cuidar da saúde das pessoas”, completou.

Joselito aproveitou para falar do momento atual, político. “O ambiente político é muito hostil e está ficando cada vez pior por conta de falta de espírito público de atores que deveriam contribuir para a melhoria desse cenário. Respeito e admiro aqueles que se propõem a dedicar-se por uma causa pública”, argumentou, garantindo que não pensou em se candidatar a vereador.  “Não sou candidato, pois não tenho ambição política. Tenho é compromisso com o prefeito Samuca até o fim deste mandato. Depois disso, cumprida minha missão, volto pra minha vida”, crê.

Para encerrar, Joselito deixou uma mensagem de amor à cidade, e à CSN. “Hoje (9 abril) é aniversário da nossa indústria mãe. Talvez o dia mais importante da história de Volta Redonda”, pontuou referindo-se aos 79 anos de existência da CSN.  “O que me motiva é o amor que tenho pela nossa cidade e o desejo de contribuir de alguma forma para torná-la melhor para nós todos”, filosofou.

Deixe uma resposta